,

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Reunião Escolar

Lembram da reunião da qual falei nesse post aqui? Então... foi ontem.
Cheguei e logo fui atendida pela Odenise (a coordenadora) e logo em seguida chegou a tia Thaís.
Ambas são firmes em afirmar o quanto Arthur é carinhoso com todos e gosta de receber carinho também. Assim como concordam que houve uma evolução enorme na fala de uns meses pra cá. Para ser mais exato, desde o início do tratamento com a fono.
Mas... e eu não sei pra que que inventaram essa palavra...  não é só o que elas reclamam: Arthur não interage com os amigos.
Assim... não é que ele não goooooste dos amigos. Se houver uma atividade em conjunto, ele vai estar do lado, vai participar, mas certamente fará sua parte sozinho.
Diferente das outras crianças que brincam em conjunto, Arthur prefere brincar com as professoras, ou, na falta delas, ele brinca sozinho mesmo. Além disso, segundo elas, ele é disperso.
Elas acham que a falta da fala, junto ao fato dele ser realmente tímido, acaba inibindo essa aproximação com os amigos.
E que não sabem como proceder com esse avanço na aprendizagem dele. Que talvez até isso possa estar ajudando na falta de interesse dele em permanecer naquele grupo...
E blá, blá, blá...  
E no meu questionamento de sugestões (já que eu realmente não sei de que forma poderia ajudar) ela (a coordenadora) disse que participou de uma palestra com uma fonoaudióloga muita boa e que achava válida uma consulta com ela para que ela avaliasse o quadro dele.
Como eu também falei no último post, estou realmente muito cansada desse assunto. Estou cansada de pensar e de procurar problemas que no meu ponto de vista nem existem.
Ele é normal.
Ele já está tratando o atraso da fala.
Ele está encontrando o tempo dele... e ponto!
Mas, como ele é meu filho, e como realmente é de meu interesse eliminar qualquer dúvida que seja, aceitei a sugestão, e vou ligar para marcar uma consulta.
Sem pressa e sem pressão.
Isso se eu não mudar de ideia nos próximos dias... como falei e repito: esse assunto me cansa!

Transcrito abaixo o relatório da Paulinha, fonoaudióloga, que eu entreguei ontem para a coordenadora da escola:
"O paciente Arthur continua sendo atendido no tratamento fonoaudiológico domiciliar.
Durante as sessões de fonoterapia vem sendo realizadas atividades para estimulação da linguagem oral, limitação de espaço e regras através do lúdico, figuras de objetos e da vida cotidiana, onde o mesmo se interessa pelos brinquedos e nomeia cada um deles quando solicitado pela terapeuta chegando a falar duas palavras em sequência e começando a obedecer o limite de espaço e regras.
O paciente vem apresentando uma boa resposta ao tratamento.
Coloco-me a disposição para maiores esclarecimentos."

Agora o relatório escolar que me foi entregue ontem:
"Relatório de atendimento ao responsável por Arthur, matriculado no Jardim I, nessa instituição de educação, para tratarmos do seu desenvolvimento, social e cognitivo.
Arthur é uma criança meiga e carinhosa, que adora receber carinho dos amigos e professores.
Nas brincadeiras livres, prefere brincar sozinho, apresentando dificuldade em interagir com as outras crianças. Participa das atividades dirigidas, porém dispersa-se com facilidade.
No que se refere à linguagem oral, percebemos que existe certa dificuldade em expressar-se.
Percebemos que Arthur apresenta conhecimentos que não correspondem a sua faixa etária, nem ao que foi trabalhado nas turmas que já frequentou, por exemplo: reconhece as letras do alfabeto e numerais, nomeando-os, faz a leitura dos nomes dos colegas e outras palavras escritas em folhas de atividades e murais. Vale ressaltar que o mesmo frequenta essa escola desde 01 ano de idade.
Sendo assim, solicitamos à família uma avaliação fonoaudiológica mais precisa, a fim de que possamos atuar no desenvolvimento do aluno. 
Pedimos um retorno com laudo no prazo de 03 (três) semanas, ou seja, até o dia 21 de maio de 2010."   

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Zoo/Quinta da Boa Vista

Aproveitamos o feriado para fazer algo que há muito tempo queríamos fazer... levar Arthur ao Zoológico.
Convidamos Berna e Helio, e meio que no sopetão (já que não preparamos um piquenique merecido) lá fomos nós 4 e mais 4 crianças (Arthur, Bia, Bê e Hellen).
Já no Zoo, bem no início do trajeto, Arthur nos dá um susto sumindo do nosso campo de visão. Aproveitou nossa distração procurando uma cobra e partiu correndo num corredor que tinha vááááárias possibilidades de caminho. Fui no primeiro, no segundo e no terceiro lá estava ele, rindo, como que brincando de pega-pega comigo.
Depois que mostrei aos outros que o tinha encontrado, briguei sério com ele e ele chorou, chorou e chorou... mas parece ter entendido o que fez.
E eu, tremendo mais que vara verde, pude ter uma noção do que é perder um filho, ainda que todo o processo tenha levado, no máximo, cinco minutos.
Também aprendi a minha lição: não se pode bobear com uma criança de 4 anos e muito menos confiar que alguém possa estar olhando por você.
Como o susto aconteceu no início do passeio dali a pouquinho já havíamos esquecido e pudemos curtir o dia lindo que fazia.
Ele adorou ver cada bicho. Apontava, repetia o nome... mas o que ele gostou mesmo foi do espaço para correr!

Tanto que na minha opinião, eles até gostaram do Zoo, mas o encanto mesmo ficou pela Quinta da Boa Vista!
Eles subiam aquele morro do museu e desciam numa velocidade que a única coisa que eu podia fazer era fechar meus olhos e rezar para nenhum deles cair feio.
Como Deus protege, não houve nenhum acidente com nenhum dos quatro.
Compramos uma bola e pronto, foi suficiente para ficarem todos acabados e os dois mais novos capotarem na volta.
Passeio mais que aprovado e com gostinho de um breve retorno. 
Todas as fotos aqui.      

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Diga "x"

Depois que descobriu que ficando perto de mim, dizendo "x" e apertando o botão sempre sai uma foto de "Arthur e mamãe", meu celular não tem sossego...
Não tem hora e nem lugar: "Mamãe, diga X!"
Algumas das trocentas poses...

Amo muito tudo isso, viu?

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Índio

Na segunda feira Adriano chegou na escola e tinha um índio esperando por ele...
Levou para casa, claro! Índio lindo assim não se encontra todo dia!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

As vogais

Não me perguntem como, quando e onde ele aprendeu...
Só descobrimos no sábado. Foi o Adriano quem viu e me chamou pra babar junto.



Ele deve ter repetido umas vinte vezes mais ou menos...
Reparem no "E" cheio de pernas... hahahaha
É ou não é um gênio? :)

terça-feira, 13 de abril de 2010

A saga da fala

Sexta-feira veio na agenda da escola um pedido de reunião com os familiares.
Escolheram um dia péssimo e um horário pior ainda. Respondi que infelizmente não poderia naquele dia, mas adiantei uma data propável e pedi que a tia me ligasse para me adiantar o assunto - meu signo é touro, sabem né? rs.
E aí que eu esperei o dia inteiro e nada de me ligarem. Liguei então. Óbvio. Não ficaria até o dia 28 (dia em que eu agendei) sem saber o motivo da reunião.
Fui atendida pela coordenadora, Odenise, que mais me ouviu do que falou.
O motivo? O de sempre, de novo e mais uma vez: Fala e interação.
Sinceramente? Esse assunto passou a me cansar...
Primeiro porque eu não sei o que fazer para fazê-lo soltar o verbo. Se a própria neuropediatra me diz que minha ansiedade atrapalha o processo e que ele é tímido e pronto, o que eu posso fazer para ajudar?
Segundo porque eu já vejo muita evolução dos últimos seis meses para cá. Basta passar os últimos vídeos aí de baixo e vocês vão concordar comigo. Quando que ele cantava? Quando ele contava até 20? E em inglês, que ele conta até 5? E as letras que ele conhece todas, vogais e consoantes? E as formas geométricas? Até o pentágono ele conhece...
Enfim... 
Passei tudo isso para ela, que me ouviu atentamente e longamente, mas infelizmente, o que ela quer eu não posso fazer...
O texto dela é o de praxe e eu até concordo, em parte. Ela também não tem a receita para fazê-lo falar, também não tem dicas, mas acha que a gente tem que ter esse bate-bola pra trabalhar junto: escola e família. Acho digno por parte da escola.
E então eu perguntei se ela não via os avanços por lá também. Ela disse que sim. Que inclusive outra preocupação dela é esse avanço inesperado de conhecimento. Porque se ele não fala como esperado para a idade dele, ele também tem o conhecimento acima da sua faixa etária, na verdade, seu nível de conhecimento é esperado para crianças acima de 6 anos, e também isso precisa ser observado. 
Pronto! Ele não pode ser inteligente! 
Seria cômico, né? Mas não é.
No domingo, por exemplo, ele se sentou sozinho na sala e ficou folheando minhas revistas.
Para cada título da página, ele soletrava letra por letra, direitinho. Ao final batia palmas de si mesmo e falava: "Muito bem! Todas as letras!"  Foi a Ziza quem me chamou para ver e ouvir. Eu ainda não tinha visto.
Na última visita que fizemos para a Rô ele pegou um brinquedo de encaixe do Davi de formas geométricas, e para cada forma encaixada o referido nome: quadrado, triângulo, retângulo e... pentágono! Gente, nem eu sei direito o nome das formas geométricas... (desculpa aê! rs)
Mas essas pequenas coisas têm me assustado sim! Tenho orgulho, claro! De bater no peito e dizer: "Viu? Ele não bate papo mas é um gênio!"  Mas no fundo eu sei que isso não é normal. Ou é. Sei lá! Confusão é o meu nome!
E aí voltando ao papo com a coordenadora. Eu falei com ela que em casa ele vai indo muito bem. Que tem brincado muuuito com as crianças da família, especialmente com o Cauã e o Bê. Com os menores ele não dá muita bola, mas também não maltrata, como nunca maltratou. Se os maiores estão com companhia da mesma idade, Bê e Robson, por exemplo, ele passa a ser excluído, e por isso prefere brincar sozinho. Não vejo isso como um problema. Há de chegar a hora em que ele será visto pelos outros como um menino crescido, e então vai se entrosar. Enquanto isso, como aconteceu no último sábado, Bê, Robson e Victor estavam brincando de pique-esconde entre eles e Arthur foi pego em flagrante brincando também... sozinho! "1, 2, 3, ..., 10! Lá vou eu!"  atrás de ninguém, tadinho. Dá uma pena, sabe? Mas não posso obrigar os maiores a aceitá-lo... como não posso obrigá-lo a brincar com os menores.
E então eu faço o quê?  
A escola deveria ser o melhor lugar pra ele ter contado com sua faixa etária, mas esbarramos no problema de serem todos os amiguinhos mais novos e ainda ter o agravante dele ter esse avanço de maturidade. Aff! Complicado, viu?
De qualquer forma marquei o encontro com a coordenadora no dia 28 e também estará presente a tia Thaís. Espero ouvir delas que a escola não está apenas me cobrando atitudes, mas que também tem feito a parte dela na socialização dele com os amigos de turma.
Ontem ele teve sessão com a fono e eu conversei a Paulinha.
Disse que atualmente está trabalhando com ele com a  formação de frases e que ele tem se saído muito bem. Reiterou a tese de "inteligência acima do normal" e disse que também já havia observado isso.
Ela confirmou os avanços nas últimas semanas e disse que vai preparar um relatório para eu entregar na escola.
Enquanto isso, fiquem com meu coelhinho preferido!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

A semana em resumo

A Páscoa foi ótima. Coelhinho passou na casa da sogra e deixou pegadas... Só lá ele achou 3 ovos! Entre eles o do Cars e do Charlie e Lola.
  
Lá em casa ele também passou e deixou dicas para Arthur, Bernardo e Hellen... E depois de muita procura com a ajuda do primo mais velho, ele encontrou o da Era do Gelo.

Fora esses, menininho ganhou muuuuuitos outros e, como diria minha amiga blogueira Monalisa, "eu achei que nunca fosse dizer isso, mas não aguento mais ver chocolate na minha frente, hahahaha". Tem ovo que nem abrimos ainda... Acho que até o final do ano damos conta de tudo! rs 
O primeiro chocolate do dia, um coelho da lacta, foi devorado em menos de dez minutos. Resultado: Na segunda feira evacuou quatro vezes, uma delas, já de noite, foi absurdamente gigante... e quem limpou???? Eu! aff!
Por outro lado, ainda no final de semana, fui contemplada com dias felizes de um rapazinho obediente que me deixou perceber que era hora de fazer nº2. Levava ao banheiro e inacreditavelmente ele fazia... Que o sonho não acabe com esse próximo final de semana!
Terça feira, como muitos cariocas, fiquei presa no trânsito e não consegui chegar ao Centro do Rio. Voltei para casa após 5 horas dentro de um ônibus e nem tinha ideia do quanto estava sofrendo a Cidade Maravilhosa e Niterói/Saõ Gonçalo. Em 33 anos de vida eu NUNCA vi nada parecido acontecendo. Eu vejo as imagens na televisão e me emociono com tanta tristeza, tanta gente que perdeu o que conquistou numa vida inteira de luta, ou, pior que isso, gente que perdeu seu bem mais valioso, sua família. Enfim... que Deus possa confortar cada um deles e dar força para seguir adiante. E que o Governo tenha a sabedoria de juntar os cacos que sobraram.  
Quarta feira foi aniversário do pequeno Davi, meu afilhado caçula. Não fosse o caos da cidade no dia anterior e no próprio dia, já que a chuva não dava trégua, a comemoração teria sido muito melhor. Ainda assim, curtimos muito e agradecemos a Deus pelo seu primeiro ano de vida.     

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Feliz Páscoa!

Coelhinho se atencipou lá em casa para mandar um recadinho...
Feliz Páscoa!!!!
E que Deus nos abençoe sempre!!!  

PS.: Só para constar...
Semana passada, em comemoração ao Dia do Circo, as crianças saíram da escola vestidos de palhaço mas Arthur se recusou a vestir a roupa e se pintar...
Ontem ele não só se vestiu e se pintou, como ficou um tempão com a roupa!
Moral da história: O que não faz uma barra de chocolate, presente das tias, na vida de uma criança? :)
Como hoje não teria aula, a distribuição dos ovos das professoras aconteceu ontem mesmo no final da aula. Com o tempo escasso, o máximo que pude fazer de capricho foi colocar tags feitas no photoshop. Espero que elas tenham gostado.