,

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

De tudo um pouquinho

Com toda agitação qe passei por conta de final de ano, trabalho apertado e depois com os preparativos da festa, acho que chegou o momento de respirar... ufa!
Ainda não consegui manter a assiduidade com as visitinhas, mas vez ou outra dou uma espiadinha só para ver como vão. Mês que vem vou me redimir, juro! Estarei de férias, u-la-lá! Desde a licença-maternidade não sei o que é ficar em casa, sozinha, de pernas para o ar...
Nos meus planos estão meu curso de decoupage, alguns livros que me façam viajar em pensamento, assistir meus DVD's, fazer scraps, namorar e curtir meu molequinho.
Amanhã será meu último dia, e daqui mesmo estou partindo para a Região dos Lagos, onde curtiremos o Carnaval e ficaremos até 10/02. No dia 11/02 as aulas do pequeno iniciam-se e vou poder levá-lo e acompanhá-lo na nova adaptação já que a escolinha se mudou (se é que ele vai precisar de adaptação, né? rs). Segundo comentários das tias e das mães que tiveram oportunidade de conhecer a nova escola ela ficou linda. Em especial a sala do Ninho, a segunda casa do Arthur.
Por falar nele, está tão arteiro... (ah, sim! Já devo ter falado isso antes... rs), mas é que a cada dia que passa ele tá com mais cara de menino arteiro mesmo! E como está enorme! Basta ver as fotos do aniversário, no colo das pessoas... como está comprido!
E está mesmo levando a vida como menininho de dois anos!
Parou de acordar às sete, de dormir 03, 04 horas seguidas na parte da tarde e apagar às 21h. Não sei se por causa das férias escolares, mas o danadinho tem acordado às 09, dormido bem pouco à tarde e para dormir à noite só a partir das 22h, e olhe lá! Tanto é que passou o aniversário ligadão no 220v e só apagou quando praticamente todos os convidados já haviam ido embora. De qualquer forma continua indo a noite inteira, mamãe continua agradecida!
Está se trepando em tudo com muita facilidade. A gente pisca o olho e já está nos locais mais impróprios possíveis. Agora cismou de pular da cadeira para o sofá, na casa de minha sogra. E não adianta falar que não pode, ele continua fazendo...
A propósito ele aprendeu a balançar a cabeça em sinal de negativa. Sai igual um maluquinho no meio da casa dizendo não para tudo... rs
Se damos água, ele quer segurar o copo. Mas basta que tiremos nossa mão para que ele vire o copo para ver a água cair no chão.
Para comer, tem que segurar o talher também. E não é que ele sabe levar à boca? Danado de inteligente. Ontem fomos pra minha mãe e a meu pedido ela fez angu com carne moída (amo loucamente!). Mesmo ele já tendo jantado, fez questão de me acompanhar também. Dei a colherzinha e ele simplesmente se empanturrou de angu. Está um tremendo comilão (graças a Deus)! Termina de almoçar o dele e já vem para o nosso prato. É visível ver que ele esta mais rechonchudo mesmo. Está diferente, grande e parrudo!
Não falei aqui, mas na semana que antecedeu o aniversário um novo furúnculo ensaiou aparecer. Antes que acontecesse eu já iniciei com o antibiótico para cortar o mal pela raiz e de fato ele não foi adiante. Mas com isso ele perdeu um pouco o apetite, só tinha interesse nas balas e pirulitos que ficaram expostos por causa do aniversário dele. Nossa! Ele viciou em doce... E o pior é que ele já sabe que as guloseimas estão no baleiro e volta e meia ele nos puxa até lá e leva direitinho nossa mão na direção certa. Tem como resistir? Isso quando ele não alcança o que quer... Na minha sogra, por exemplo, as balas do aniversário ficaram na mesa da cozinha, então bastou ele alcançar o pote que dava mole para tomar um banho, mas não de bala... e sim de açúcar! Quando chegaram na cozinha já havia açúcar espalhado por todo o chão. E ele mais doce ainda, hahaha!
Outro dia, ao colocá-lo para dormir, comecei a cantar bem baixinho a musiquinha da escola que ele adora: "Seu Lobato tinha um sítio, ia-ia-ô.... E no seu sítio tinha um cachorro, ia-ia-ô... Era au-au-au pra cá, era au-au-au pra lá, era au-au-au pra todo lado, ia-ia-ô!" E eis que ele danou a cantar também: "Au-au-au-au-cááá!" - Nem preciso dizer que beijei muito, né? rs
Com essa queda de temperatura, já está há alguns dias resfriado, e já entramos com o decongex.
Semana passada esteve no homeopata e ele indicou medicação contra meningite, já que iremos para Cabo Frio e lá está um andaço da dita cuja. A medicação funciona como uma vacina de via oral (três glóbulos por dia), mas eu fiquei meio assim em dar, já que ele tomou a Prevenar (aquela vacina cara que eu já falei aqui, e que nos esforçamos em aplicar justamente porque dentre as doenças que prevenia estava a meningite), então liguei para a pediatra e ela simplesmente falou que existe vários tipos de meningite e a Prevenar (ou pneumocócica) apenas previne da mais leve, que para previnir totalmente ele deveria ter tomado a meningocócica e essa ele não tomou (hã? como?). Em suma, não adianta reclamar pelo que não aconteceu, mas também não vou sair daqui correndo para vaciná-lo em consultório. Como a vacina do homeopata custava R$18,50, já pedi e ele já está tomando.
Ai gente, eu não vejo a hora de ver a reação dele nas areias de Cabo Frio... Vai ficar doido! No ano passado eu tinha um bebê que só engatinhava... agora tenho um molequinho danado que certamente vai querer correr de um lado para o outro e que vai provavelmente vai até fazer birra para ir embora... Já estou preparando meu físico pra correr atrás dele...
Tá vendo essa foto aí de baixo? Ele anda repetindo essa caretinha o tempo inteiro... Um fofo!
É ou não é a carinha típica de um menininho sapeca?

Agora deixem eu ir ali arrumar minha gaveta, pegar algumas coisas pessoais, e deixar meu trabalho organizado para só voltar no final do mês.
Por aqui eu volto, tá? Mas só depois do dia 10!

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

A festa

Foi perfeita!
Desde a chegada do pequeno, que ficou c-o-m-p-l-e-t-a-m-e-n-t-e encantado com tudo: com a mesa, o painel de parede, o painel de chão (feitos em papel marchê), os brinquedos do parquinho (gangorras e escorrego), o tyrone que ganhou logo na sua chegada à festa (presente da Dinda Jacque), enfim... a criança rodava o salão inteiro sem saber pra onde ia, com um sorriso lindo estampado de orelha a orelha que por si só já pagava todo o trabalho que a festa deu.

Não que tenha dado taaaaanto trabalho assim, já que graças a Deus muitas pessoas se envolveram e cada um fez um pouquinho, mas é que eu fiz questão de participar de tudo, desde a confecção dos convites até as bolas que decoraram o salão, então no final eu já estava tão saturada de Backyardigans (rs) que não aguentava nem olhar as lembranças que foram distribuídas. Desgaste natural que foi completamente recompensado quando vi o resultado final.

Dali a pouco os convidados foram chegando. Os nossos amigos, os amigos do Arthur, família... E o salão encheu! Nem foi muito difícil, já que o salão era realmente muito pequeno, mas preciso deixar aqui um alerta para quem faz festa sem convite individual: insira um percentual de 10% a mais de pessoas, pois alguns de seus convidados certamente levará algum convidado extra (mesmo que vc nunca o tenha visto) e esse foi o único inconveniente da festa. O salão ficou muito cheio e os convidados mal conseguiam se locomover no meio do salão.

Como a festa não era para adulto e a parte destinada às crianças foi um sucesso, então o resultado final foi positivo. Aluguei cama elástica para as crianças maiores e de lá eles não saíam. Para as crianças menores aluguei o parquinho e o Gagau Alê levou o telão onde passamos DVDs dos Backyardigans e Aline Barros (a atual paixão do Arthur), e foi parada certa do pequeno que ficou ali por uns bons 40 minutos.
Distribuímos estalinho, pipas, sacola de doces e um kit pintura (pastinha com 06 desenhos dos Backyardigans e giz de cera - tudo embalado em papel celofane e fita de cetim).

Vendo as crianças felizes eu fechei meus olhos para o resto e quer saber? A festa ficou linda! E eu me orgulho de ter proporcionado mais essa alegria pro meu filhotinho. No fundo amei participar de todos os detalhes da festa e cá entre nós, já estou planejando a do ano que vem! rs

No dia seguinte eu trabalhei, mas não sem antes ajudar na abertura dos trocentos embrulhos de presente. Vixe! Ganhou foi coisa o menininho! E para meu "deleite" ele ganhou muitos brinquedos, mas ganhou muuuuuuito mais roupas! Mamãe agradece!

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

É hoje!


Chegou o grande dia!
Não costumo fazer isso, mas hoje fui obrigada a tirá-lo do berço para dar-he um abraço bem apertado! Acho até que ele gostou pois me abraçou também...
Para a festinha praticamente tudo pronto.
Salão aberto.
Buffet/trem de lanche confirmado.
Mesa decorativa confirmada.
Brinquedos confirmados.
A chuva é que ainda não deu trégua, mas que de qualquer forma não impedirá o sucesso do dia.
Meu bebê está com a vó Quinha, pra passar o dia tranquilo e dormir (espero) a tarde toda.
Lá na minha sogra acontecem os preparativos finais: enfeite de mesa, lembranças, etc.
E eu aqui, no trabalho, recebendo ligações de todos envolvidos: faço isso? e aquilo? e aquilo outro? Aff! Totalmente ansiosa pelas 13h, horário que vou sair e acompanhar os detalhes finais pessoalmente.
Amanhã volto, tá?
*Doodles @ scrapblog

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Quase 02!

Amanhã é 23...
Só mais um dia para o dia mais lindo do ano!
Arthur faz aniversário...
Nem faz tanto tempo assim que ele nasceu...

Era tão pequenino, tão frágil, tão dependente de mim, tão meu...
E como eu sonhei com ele, nossa! E estava ali, nas minhas mãos.
No início foi difícil... muito trabalho e nenhuma experiência. Muita gente para opinar e somente eu para decidir o que fazer ou não. Era o início da vida dele. Era o início da minha vida. Da vida que eu escolhi viver... por ele e para ele. Muito medo de não dar conta, de não ter o tal do instinto materno, de não superar todas as expectativas que me cercavam, vixe! Era medo até de dar banho! rs
Conforme os dias se passaram eu pude ver que o bicho papão não era tão feio assim... era só uma questão de adaptação. Tirando as cólicas fora de hora, as mamadas em plena madrugada, o sono que eu não conseguia curar, foi até fácil. Claro que também vou excluir daqui as dores que não pude tirar, o desconforto com a primeira dentição que não pude trazer para mim, as lágrimas que derramei junto com ele... ah! Isso tudo eu queria não ter que passar... Porque mãe que é mãe dá a vida para não ter que ver o sofrimento de sua cria e diante dessa impotência o sofrimento é enorme! Mas passei por ele e sobrevivi!

Aí teve aquele monte de primeiro tudo: o primeiro sorriso, a primeira papinha, o primeiro corte de cabelo, o primeiro moletom, o primeiro "Dia das Crianças", o primeiro "Natal", o primeiro All Star... E haja click para tudo isso!

Numa questão de meses ele já se fazia o dono do pedaço. Eu não tinha mais sala de estar, sala de jantar, e se bobear até minha cama era propriedade dele... A mesa de centro da sala foi escondida, minha esteira elétrica vendida, os souvenirs foram para o alto e tivemos que nos adaptar com um menininho engatinhando de um lado para o outro. Diziam que a adaptação deveria ser dele para conosco e não o contrário, mas como poderia explicar para um bebê que isso ou aquilo poderia machucá-lo? Pagar para ver? Deixar acontecer? Eu hein! Tirei tudo e deixei a casa confortável para ele e de forma que ficássemos tranquilos... E é claro que ainda assim ele conseguia alcançar onde não devia...


Os sorrisos se tornaram constantes lá em casa. Os dele, e os nossos. A cada aprendizado, a cada gesto, a cada novidade... Do engatinhar para o andar foi um pulo. E a partir de então ele ganhou o mundo.

Foi para a escola e a tal da adaptação nem precisou existir. Ah, sim! EU precisei me adaptar! Com sua independência, com seu desenvolvimento... "Céus, cadê o meu bebê?" Sumiu, desapareceu, foi para o ralo! E ao mesmo tempo, apareceu aqui na minha frente um menininho lindo e loiro, de sorriso cativante, com o olhar mais lindo que eu já vi em toda a minha vida!

E foi feito por mim... não é incrível?
Eu olho todos os dias e custo a acreditar que saiu daqui de dentro... que foi ele quem me chutou, me acompanhou, compartilhou comigo os desejos mais incríveis: sundae, milk shake, tortinha de limão.
Agora ele fala mamãe... Pode estar com quem quer que seja, mas se me vê... "mã-mã"
É um amor puro. Todinho meu. Que não pede nada em troca. Ele me ama e pronto!
E amanhã já completa 02 anos.
Dou o que de presente para quem me presenteia todos os dias?
Descobri que posso transformar a Valsa para uma menininha (Vinícius de Moraes e Toquinho) numa versão para o MEU menininho, e mudando apenas uma letrinha eu encontrei exatamente o que quero dizer a ele:
.
Menininho do meu coração
Eu só quero você
A três palmos do chão
Menininho, não cresça mais não
Fique pequenininho na minha canção
Menininho levado
Batendo palminha
Fingindo assustado
Do bicho-papão
Menininho, que graça é você
Uma coisinha assim
Começando a viver
Fique assim, meu amor
Sem crescer
Porque o mundo é ruim, é ruim
E você vai sofrer de repente
Uma desilusão
Porque a vida é somente
Teu bicho-papão
Fique assim, fique assim
Sempre assim
E se lembre de mim
Pelas coisas que eu dei
E também não se esqueça de mim
Quando você souber enfim
De tudo o que eu amei
.
***
.
"Menininho sapeca, mamãe precisa te dizer que embora possa ser cansativo estar atrás de você o tempo inteiro, é indescritível o sentimento de paz que sinto quando você (por um minuto que seja) se deita ao meu lado e me deixar te curtir... Mamãe já sente saudades do bebê que se foi, mas a cada dia que passa se apaixona mais ainda pelo garotinho arteiro em que você está se transformando.
Mamãe te ama, sabia?"

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Travessura

Bastou um minuto de silêncio para eu ir atrás da criança... e ao chegar na cozinha o que encontro?


Depois do "estrago" feito só me restou rir... e registrar!
Até criar coragem para limpar a sujeirada da criança arteira.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

A genética explica!

Sabe aqueles detalhes, aquelas manias, aquelas coisas que descartam qualquer possibilidade de dúvida a respeito de paternidade? Pois é. Arthur é todo o pai dele. Em tudo!
A começar pela aparência física... embora eu não ache semelhança (sei lá, não consigo ver!) eu já ouvi taaaantas vezes o quaaaaaaanto ele é a cara do pai que passei a acreditar... Outro dia os dois estavam dormindo juntos e eu fiquei olhando... encantada... se são parecidos fisicamente ou não eu ainda não consigo ver, mas que a foto ficou linda, ah... ficou!

Depois tem o amor pela música. É clara a fascinação do menino por qualquer instrumento. Se toca uma música na TV ele pára tudo o que está fazendo para prestar atenção. Seja um comercial, abertura de novela e os DVDs dele (atualmente está fascinado pela Aline Barros...). Pode contar que o tempo que a música rolar é o tempo que ele fica quietinho na frente da TV. O Dri tem dois violões e um deles fica exposto na sala, no suporte. Vez ou outra ele tira a palheta que fica presa no braço do violão e dana a tocar, como se fosse um grande entendedor do assunto. O que causou espanto na primeira vez que aconteceu foi o fato dele ter usado a palheta de forma correta, na intuição. Como ele sabia que o pequeno objeto era para aquilo? rs
Se o Adriano quiser tocar, que o faça longe dele, pois ele sempre quer fazer uma parceria com o pai.... rs

Agora ele desembestou em dormir segurando a orelha de quem quer que seja... Reza a lenda que Adriano só dormia agarrado na orelha da mãe ou da Beth. O Arthur não é tão exigente... a orelha pode ser a mais acessível...

É muito engraçado! Ele chega a estender os braços a procura da cabeça mais próxima a fim de puxar a pessoa para seu lado e aí iniciar a deliciosa massagem orelhística... Aí a gente fica lá, imóvel, durante o tempo em que ele está mamando...

Fico na trocida para que ele seja tão prendado como o pai, que sempre dá jeito em tudo e sabe fazer de tudo um pouco... É bom vendedor, eletricista, pintor, limpador de piscina, consegue consertar tudo o que vê pela frente, enfim... o danado é tão disputado que estou pensando em alugá-lo... rsrsrs (Jacque, exceto para você, tá? Que agendou o empréstimo dele antes dessa minha nova resolução! rs)
Em pensar que eu fiquei toda boba quando descobri o sexo dele e me gabei pra todos os lados: "Todo menino é a cara da mãe! Arthur terá cabelo preto, cheio de cachinho e será a minha cara!" Hahaha, me ferrei! É a cara do pai e loiro como as tias... aff! Carregar por nove meses e ter que passar por isso! Eu mereço! rs

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Feliz 2008!

Créditos:
QP KsharonK @ Artistic Musings/Fonte:CoolDots

Vixe! Mais um ano se passou!
Engraçado eu ter iniciado 2007 com um bebezinho de 11 meses que só engatinhava e fechei o mesmo ano com um garotinho prestes a completar seus 02 anos. Um menininho sapeca, arteiro, que corre tudo, mexe onde deve e não deve, enche a casa de alegria com seus DVDs prediletos, e faz a diferença quando não está presente porque o silêncio da casa sem ele é insuportável.
Pensei em fazer aquela tradicional retrospectiva anual, mas putz! Ando tão atrasada por aqui que vou atualizar com esses últimos dez dias e depois eu prometo fazer um balanço geral do ano que passou.
Vou iniciar falando do nosso Natal. Como de costume fomos jantar na minha mãe e abrimos os presentes de lá. Arthur ganhou uma guitarra barulhenta, dessas cheias de botões coloridos. Amou! Ele já aprendeu a rasgar os embrulhos de presentes e então fica ansioso até que consiga livrar o que tem dentro dele. A carinha dele é muito engraçada. Se o presente for grande ele fica de cócoras abrindo e dando voltas no embrulho. hahaha.
Da minha mãe partimos para a minha sogra e após as 00:00 conferimos o que Papai Noel havia deixado: Um avião maluco que dá cambalhotas, um carro de bombeiros com bonecos de encaixe e uma sandália do homem aranha. Descemos para nossa casa e Papai Noel também passou por lá, deixando uma máquina fotográfica também barulhenta, e que ele também amou.
Depois fomos pra casa dos vovós Paulo e Umbelina e o Papai Noel deixou um peão enorme que Tio Paulo já havia encomendado havia um tempão. Dali fomos pro tio Josué e lá havia um jogo de pá e enxada. Na Tia Bina tinha um jacaré também barulhento e na casa do Bê um jogo de argolas educativas. Bem, nem preciso falar que ele amou cada brinquedo, mas bastava chegar um novo para o anterior ser deixado assim, meio de lado. Por fim estavam todos na minha sala, ou melhor, ainda estão. Apenas o jacaré perdeu a boca de tanto que ele abriu e fechou, rs. Também ganhou um all star novo, uma bola, camiseta e CD do Barney, uma ferrari amarela, um boné lindo, aff! Papai Noel caprichou! E a criança ficou tão eufórica com tantos mimos que só foi dormir às 2:30 do dia 25.
Nem o furúnculo que fez hospedagem no seu pescoço foi suficiente para tirar-lhe a alegria a cada embrulho aberto. Tadinho, ficou igual um robô. Como aconteceu da vez anterior, a picada de um mosquito infeccionou (já que ele coça com a mão suja) e virou o furúnculo. Como foram duas picadas, o furúnculo ficou bem grande. Então no dia 24, após a vã tentativa de falar com a pediatra, decidi por conta própria voltar com a cefalexina, que foi indicado pela própria da vez que o bendito pareceu na testa dele. Fiquei com medo de levá-lo ao PS e ser atendida por algum carniceiro que fizesse questão de espremer. Eu hein! Nem pensar! E fora que dali a 03 dias ele teria consulta com a Dra. Mônica. Se fosse para espremer que fosse ela própria. Paralelamente, um furúnculo aparecia também na minha axila, mas tão preocupada com o dele, esqueci de atacar o meu (que ainda estava no início de formação). E como família unida tem que sofrer unida, Adriano também me apareceu com um em pleno bumbum, rsrsrs.
No dia 25 almoçamos na Tia Bina e a Idenise (prima do Dri) nos orientou a lavar com sopaex e usar a pomada verotex que foi muito boa para o Victor, seu filho, que meses atrás teve vááááários furúnculos na perna (sofreu o bichinho). Imediatamente fiz o processo no Arthur e dali a pouco já saía a secreção. No dia seguinte já estava bem melhor. Adriano idem.
No dia 27, quinta-feira, foi a consulta com a pediatra. Mal entrei e já fui falando do que havia acontecido. Dra. Mônica disse que agi certo em iniciar o tratamento com o antibiótico, e como da outra vez, fazê-lo por 10 dias. Não é que o furúnculo seja contagioso, mas ela explicou que por ser causado por uma bactéria, essa pode se alojar em qualquer pessoa que tenha uma porta de entrada (no meu caso a depilação). Indicou o uso de supirocin para nós três (a família furuncuncum) e que essa pomada vai funcionar como forma de prevenção.
Reclamei do leite de soja, pois percebi que Arthur passou a mamar menos, principalmente a vitamina da tarde que não passa da metade e já fui adiantando que Arthur deve ter emagrecido por conta disso. Inacreditavelmente aconteceu o inverso... Arthur engordou 540 gramas! E finalmente passou da marca dos 10 kg. Ponto para a pediatra! E ela ficou satisfeita por ter decidido tirar a lactose dele, por ter encontrado a "razão" pelo qual meu pequeno não ganhava peso. Fora que aquela corisa constante também desapareceu. Tá bom, tá bom... ele voltou com o tratamento da homeopatia, e não sabemos se a melhora foi por conta disso, mas é fato que da outra vez que ele fez uso da medicação ainda assim ficou resfriado, so...
O único incoveniente com essa estória de soja tem sido pagar R$25,00 a cada lata de leite e a vitamina da tarde que fica horrível com o tal, mas para isso ela liberou o Adess natural, que é bem mais saboroso (e $aboroso!)
Ah! Arthur tem moluscos nas axilas (uma espécie de cravo transparente) e ela orientou que se esprema e passe álcool. Disse que é contagioso e lembrou que o Bê (que também é seu paciente) apareceu com a mesma coisa na sua última consulta. Quem pegou de quem, hein? rsrsrs
Suas medidas foram: 10.290 gramas e 85 cm. Tá grandão o meu moleque!
Na sexta 28 quem não conseguia levantar o braço era eu, tão grande era o meu furúnculo! No dia seguinte eu já estava apelando para todos os santos, rezas, receitas caseiras e simpatias que me falavam. Por fim, no sábado, Santa D. Ana (mãe da Rosana) me mandou folhas duma planta chamada "fortuna" que eu nunca tinha ouvido falar. Foi batata! No dia seguinte a secreção já tinha saído quase que completamente.
No domingo 30, fizemos um churrasco lá em casa para confraternizarmos com a turma. Foi uma farra que durou o dia inteirinho! E o dia estava lindo, com um sol escaldante! Arthur curtiu um bocado já que fazia meses que não entrava na piscina e nadou tudo o que tinha direito. Almoçou e apagou. Dormiu de 13:30 às 17:00h. Quando acordou tomou a vitamina e foi pra piscina novamente.
Na segunda 31, como de costume, ficamos em casa para curtir o Reveillón. Diferente do ano passado Arthur se assustou com os fogos. Devo ter ficado os primeiros dez minutos de 2008 tentando acalmá-lo. Tadinho... olhava para o céu, fazia biquinho e chorava. Não quis levá-lo para dentro de casa para não alimentar o medo dele, mas também não fiquei forçando a barra para não apavorá-lo ainda mais. Alguns minutos depois ele dormiu e eu cheguei a conclusão que ele estava era com sono...
Por volta das 01:30 iniciamos nosso tradicional amigo oculto familiar e só fui dormir às 03:30h.
No dia seguinte o também tradicional churrasco de Ano Novo na casa da minha sogra. Família reunida, muitos amigos, comidinha gostosa e um dia inteiro em volta da piscina.
Arthur estreou sua bóia de braço e já conseguiu ficar independente na piscina (com a gente pertinho dele, claro!). Fez a maior farra... Para tirá-lo de lá foi o maior sufoco!
Com relação ao 2º aniversário, tudo encaminhado, Thanks God!
Já aluguei salão, buffet, pula-pula e aqueles brinquedos para a turma baby - gangorra, escorrego, mesinha de atividades, etc. Também já estou entregando os convites. Eu mesma fiz! :)

Só falta fechar a mesa do tema, mas tá difícil... Não gosto dos enfeites de pelúcia quando não são originais, sabe? Chaaaaaaaaaata....
Já tinha falado aqui que o tema será Backyardigans?
A princípio seria Circo, mas ele anda tãããão apaixonado pela Tasha que não resisti e mudei o tema, levando em consideração que a festa é dele e não minha. Estou tentando gravar o episódio predileto dele, que ela canta "Eu amo ser princesa... adoro ser princesa... adoro não me preocupar e nunca me esforçar!" Eu não sei qual a graça que ele encontra naquele episódio, mas sempre cai na gargalhada enquanto ela está cantando...
Enfim! Minha contagem regressiva agora é para o dia 23, e se eu continuar sumida daqui é porque estou para lá e para cá envolvida com os preparativos da festa.
Não vou nem cobrar os recadinhos carinhosos que eu tanto amo, já que também eu não tenho deixado para ninguém... Mas eu volto, viu? Daqui a pouquinho eu saio do atolamento em que me encontro!