,

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

E cá estamos!

Ando tão sem tempo para escrever... e acho que sem paciência também!
Na verdade eu queria vir aqui para contar que Arthur já me chama de mamãe... Ou melhor, que ele já fala de tudo! Que canta todas as musiquinhas da escola com as respectivas coreografias... que conversa e conta para mim as estórinhas que imagina... que beija e abraça todo mundo... que faz gracinhas e que já arruma sozinho os brinquedos que espalha (e por conta disso eu não termino o meu final de semana sempre tão cansada).
Mas nada disso ainda aconteceu...
Eu sei que cada criança tem seu tempo, que menino é mais preguiçoso, que ele já tem maturidade em muuuuitas outras coisas, que falar não é o mais importante, e blábláblá...
Mas como boa taurina eu sou muito ansiosa e puxa... o danadinho não fala nem "mamãe"! Aff!
Não gosto de comparações, detesto quando as pessoas falam "Puxa, mas fulaninho já fala tudo..." Tá, mas o meu não fala, ué? Vou fazer o quê se a pediatra diz que até os dois anos é normal?
E não é por falta de estímulo. Eu sempre repito tudo para ele. Mostro cada objeto e repito o nome de cada um. E ele entende tudo... Se eu falo "Vamos tomar banho?", ele corre em direção ao banheiro. Se eu pergunto "Cadê a Deidei?" ele corre em direção ao quarto dela. Se eu falo: "Quem quer ver a Xuxa?" ele abre o sorriso e corre pra frente da TV. Então ele entende o que se passa ao redor dele, mas... cadê as palavras?
Na verdade eu tenho absoluta certeza que a comunicação oral está muito próxima, só preciso controlar minha ansiedade... rs
No final de semana ele começou com um "áááá" pedindo que a gente abra a boca para que ele coloque algum alimento. Já é um começo né? hahahaha
Independente desse pequeno detalhe de não falar (já controlei meus anseios, viram só?!) continua um lindo e sapeca. Inteligente que só!
Na quinta feira passada teve reunião extraordinária na escola só para informar novos valores, pegar autorização dos pais cujos filhos sairiam em propaganda da escola em jornal (Arthur é um deles e a propaganda já saiu) e para avisar que a escola se mudará de endereço, para a rua de trás, onde hoje mora a proprietária da escola. Ela explicou que a escola cresceu muito no último ano e que mesmo que fizesse obra na atual escola, não seria tão vantajoso como utilizar o espaço que ela tem na própria casa. Então nos meses de dezembro e janeiro a escola estará fechada para todas as mudança acontecerem sem prejudicar as crianças.

No domingo de manhã não aguentou ver o pai limpando a piscina e praticamente se atirou lá dentro. Como não tinha ninguém para entrar com ele, fui eu mesma. Sentei na beira da piscina e coloquei nele suas bóias de braço. Esticava meu braço e lá ia ele, flutuando com a novidade. Acho que mais alguns treinos e ele já entra sozinho com essas bóias... Com o calor insuportável que estava fazendo a piscina se transformou no melhor refúgio, e por isso na parte da tarde ele entrou novamente com os primos que estavam lá, só que dessa vez foi com a bóia de avião. O difícil foi tirá-lo lá de dentro, principalmente porque as crianças fazem aquela farra, e ele ama!

O curso continua ótimo, mas não tenho conseguido praticar... e para me ajudar comprei um computador novo (pois eu mereço me dar um presente antecipado de Natal!)

Ah! Lembrei de postar o vídeo que fizemos do Arthur "escrevendo"... Não tem som, mas dá pra ter noção de quão fofo ele fica... E se a gente se esforçar um pouquinho dá até para ler o que ele escreveu: "Mamãe não seja tão ansiosa... já já eu tô falando tudo!" Porque ele pode até não saber falar AINDA, mas já escreve muitíssimo bem!



E como o vídeo ficou escuro (pois a esperta aqui não sabe clarear...) vai aqui embaixo uma foto do tão especial acontecimento.

Detalhe para a cor dos pés depois de correr a casa inteira da vovó!

terça-feira, 23 de outubro de 2007

21 meses

É hoje.
Meu pequetito completa 01 ano e nove meses.
Totalmente independente e cheio de vontades próprias. Aliás, ontem eu implorei por uma foto e as únicas que consegui foi dele se escondendo embaixo dos lençóis, mexendo onde não devia, se jogando da cama, enfiando a cara no travasseiro... fiz o scrap com uma foto que não tinha gostado e... (editado 24/10) ...ontem à noite consegui essa foto, e essa sim! É digna de um scrap comemorativo de mesversário!
Ainda não fala, mas também nem precisa... Consegue se comunicar muitíssimo bem.
E se não fosse por esse (pequeno) detalhe, dessa vez o site estaria certinho:
.
Nesta idade a criança atira uma bola para a frente, rola uma bola grande, rebate e desvia da bola, dá passos para trás, identifica figuras apontando para elas, remove roupas, escova os dentes. Pode subir degraus e descer também. Distingue comer com as mãos e utilizando a colher, pode ainda derrubar um pouco de alimento. Segura o copo com uma mão e coloca sem derrubar em cima da mesa. Adora explorar ao redor da casa e entrar dentro de armários ou caixas. Consegue realizar tarefas simples, como guardar um brinquedo e construir uma torre de blocos. Suas frases são curtas e com sentido. Tem dificuldade para esperar por alguma coisa e quer tudo naquele momento.
.
Amor de nossas vidas, que Papai do Céu continue te abençoando.

Créditos:
Papéis e elementos by Lisa Whitney @ SA / Frame overlay by Lindsay Jane DesignsFontes: Bernhard Modern, Wildstyle e Attic Antique

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Estranhos hóspedes

Graças a Deus o problema de prisão de ventre passou. Na sexta-feira antes de ligar para a pediatra liguei para a escola e ele já tinha feito. Assim como fez nos dias seguintes.
Só posso chegar à conclusão de que foi mesmo o mucilo de milho que provocou o problema, pois foi só trocar e o intestino voltou a funcionar. Além disso foi um tal de mamão de sobremesa, de lanche e na vitamina que o bichinho tinha mesmo que se soltar... rs
.
Com relação ao título desse post, eu tenho uma perguntinha básica: alguém me explica como é que pode uma cabeça ter lêndeas secas e não ter piolho?
Pois é. Essa era a cabeça do Arthur. Uma cabeça impestiada de lêndeas secas e sem um piolho sequer. Tá bom, tá bom... Graças a Deus! Mas se tinha as criaturas, que fim levou o criador?
A novidade foi vista no sábado pela manhã. Estou indo (feliz e contente) para minha primeira aula de scrapbook digital e Dri me liga desesperado porque encontrou lêndeas na cabeça do Arthur. Como ele ficaria na minha mãe, orientei ao papai que pedisse a vovó que desse uma olhada, já que essa é especialista no assunto, pois quando criança eu fui uma constante vítima da indesejável visita desses bichinhos nogentos e D. Quinha sofria para me livrar deles. Sim, era ela quem sofria... para conseguir me segurar, catar minha cabeça, matar aqueles imundos. E olha que eu era perseguida por eles! Devia ter um sangue delicioso, sei lá, pois não tinha remédio que desse jeito. Aliás, na época nem tinha esses remedinhos de hoje em dia... enfim! O fato é que me lembro muito bem do dia em que minha mãe desistiu de correr atrás de mim com o pente fino e me levou ao salão para cortar minhas madeixas no melhor estilo joãozinho. Acho que o trauma foi tão grande (em perder meus cachos, claro!) que a partir dali não era nem preciso minha mãe me chamar para catar piolho, eu mesma já passava o pente fino e descobri ali uma nova forma de diversão: matar os pobrezinhos... hahahaha, como eu era má!
Agora vejo o quanto minha mãe sofreu comigo (e meus piolhos de estimação).
Quando ela me disse que só achou lêndeas mortas eu não acreditei e me pus a procurar.
Óbvio que nisso ele tinha que ter me puxado... quem disse que ele deixava?
Nada que uma boa dosagem (quase uma overdose) de XSPB não resolvesse. Olhei cada milímetro daquela cabecinha loira. E olha que nem é difícil já que o cabelinho dele é bem ralinho, e realmente não tem piolho nenhum ali. Na dúvida, só para garantir mesmo, fiz como minha mãe: cortei as madeixas dele, unindo o útil ao agradável, pois já estava mesmo na hora de cortar.
Aí hoje me ligaram da escola para pedir autorização para um foto que vai sair no jornal e eu aproveitei e perguntei se há algum caso de piolho na turma dele. A coordenadora disse que não, mas que iria verificar. Na verdade eu até já esperava por isso, já ele é do integral e com isso as chances aumentam. Nesses 05 meses de escola já veio por 02 vezes na agenda o pedido de que nós mães olhemos as cabecinhas de nossos pimpolhos. E eu dava a olhadela e não via nada. E ponto. Para ser sincera, eu acho mesmo é que demorou para que os infelizes alcançassem a cabecinha dele. Se é que alcançaram, pois volto a repetir: Não tinha piolho nenhum!
.
Mas vamos ao curso!
Amei! Embora numa preguiça danada de acordar mais cedo do que já acordo aos sábados e me despencar para um centro da cidade totalmente vazio, foi uma delícia!
Conhecer a Mic pessoalmente foi muito engraçado pois nesse mundo de blogs você meio que já conhece as pessoas, a vida de cada uma delas... você se torna íntima daquela pessoa. Aí quando toquei a campainha e ela atendeu perguntando: "Você é a...?" tive vontade de dizer: "Como vc não sabe quem eu sou, se eu sei da sua vida inteira?????" hahahahaha
Para mim a Mic era meio que um mito do mundo virtual. Uma das minhas ídolas (rsrsrs)! Todo mundo conhece a Mic, e eu sou mais uma de suas fãs. Só que tem um enorme detalhe: a Mic é de verdade. Uma fofa! Generosa e super alto astral. Disposta a dividir com a gente o muito do que ela sabe. De quebra ainda conheci as outras meninas: Kika, Monalisa e Ana Rita. A Monalisa é a mãe da Mariana e até já me achou aqui (bj monalisa!)
Sábado que vem tem mais aula, e como Tia Mic passou dever de casa, hoje fiquei aqui no meio de tanto trabalho tentando, em cada brechinha, exercitar o que aprendi.

Créditos:
Papéis e elementos by Lisa Whitney @ SA / Fontes: Calvin and Hobbes e DonnysHand

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Noites mal dormidas - O retorno

Arthur está desde quinta-feira com aquela (velha) estória de acordar no meio da noite chorando de forma sentida... Lá vou eu ninar e colocar no berço e na maioria das vezes é encostar no berço e ele volta a chorar... Aff! É como se ele tivesse tomado pavor do berço, sei lá! Muito estranho! Fiquei de pedir para meu sogro dar uma rezada nele e no berço, mas acabou que na madrugada de quarta-feira ele dormiu bem e deixamos a reza de meu sogro para depois. Infelizmente ontem a coisa foi pior. Meu bebê foi dormir bem e por volta das 23:00 acordou chorando. Ninei, coloquei no berço, acordou de novo. Por exatas três vezes. Na última vez o choro foi tão sofrido que custei a acalmá-lo. Coloquei na Discovery Kids, sentei com ele na minha cama, levei na porta pra ver a chuva, e nada. Demos novalgina e nada. A essa altura os seus olhinhos já estavam super vermelhos e inchados, e eu assutada com tanto choro. Até a Beth acordou e desceu para ver o que estava acontecendo. Foi dela a idéia de fazer um chá de erva doce. E no mesmo momento Adriano subiu e pediu ao pai que viesse rezá-lo. Nesse meio tempo senti que ele soltou um pum e então comecei a massagear a barriguinha dele. Dali a poquinho outro pum e acho que com a massagem, a dor (?) aliviou e ele dormiu no meu colo. Meu sogro o rezou já no berço e o chá não foi dado porque ele literalmente apagou. Às 02:00 acordou novamente, sentou no berço e ficou lá. Aproveitei para dar uma mornada no chá e dei. Tomou todinho! E só acordou de manhã.
Bem, com a cabeça fria, fui analisar...
Na terça-feira ficou amuado na escola. Não evacuou. E não me lembro se evacuou comigo, em casa.
Ontem também não evacuou na escola, e nem comigo.
Sinceramente eu nunca fui de ficar controlando suas evacuações, já que ele sempre foi um relóginho. Errado! Não evacuar por dois dias seguidos já deveria ter me deixado em alerta.
Então num súbito me lembrei que trocamos o mucilon de arroz pelo de milho, e acho que essa troca prendeu seu intestino, motivo pelo qual hoje ele já volta para o mucilon de arroz.
Daqui a pouquinho vou ligar pra escola para saber se evacuou. Do contrário ligarei para a pediatra e saber como proceder.

Repassando o feriado

Quatro dias em casa e o resultado é uma mãe a-c-a-b-a-d-a!
Eu até tento encontrar, mas ainda não descobri onde se esconde o botão liga/desliga do guri... É fôlego que só se acaba quando se rende ao soninho, e nesse período é "meu" momento de organizar a "nossa" vida. No final eu tenho que admitir: Aqui no escritório a vida acaba sendo mais tranquila que em casa... hahahahaha
.
Na sexta-feira acordamos cedo e fomos à missa de N. Sra. Aparecida. Definitivamente é uma combinação que não dá muito certo: Criança x Igreja. Arthur não ficou quieto um momento sequer e a única folga que dava era quando o levávamos para o pátio. Ano passado ele ainda estava de colo então foi mais tranquilo, mas agora... Na verdade eu já imaginava que seria assim... mas também não posso deixar de frequentar os locais por que tenho um bebê serelepe que não pára quieto (graças a Deus, por sinal! rs). Enfim, chegamos em casa e eu já estava um bagaço. Arthur dormiu por quase três horas seguidas.
Quando acordou foi para a piscina com o pai e acho que não foi uma boa idéia pois no dia seguinte acordou tossindo.
.
Ganhou muuuuitos presentes. Um trem didático (que veio com os trilhos defeituosos e já seguiu para troca), uma casa também didática cheia de encaixes e atividades, uma girafa, peão que ilumina, jogo de ferramentas plásticas, três camisetas e os DVDs: XSPB 3, XSPB 7 e Barney A a Z.
..
No sábado fomos à festa do primo Robson e descobri a nova paixão do guri: o tema Carros. Ficou louco com a mesa, querendo mexer em tudo. Desde a festa do amigo da escola e que ele ganhou uma cartela/ímã do tipo quebra-cabeça que tem todos os personagens do filme. A cada vez que ele passava pela cozinha desmotava o treco inteiro e eu, cansada de encaixar os carrinhos em seus devidos lugares resolvi colocar o tal adesivo no alto. Agora ele só passa e aponta, fazendo festa. E acho que de tanto ver os tais na geladeira já reconhece quando vai às festas do tema. Aliás eu diria que 90% das últimas festas que fomos seguiram esse tema... rs
.
No domingo não fizemos nada demais. Minha mãe foi lá pra casa e no fim do dia recebemos a visita da Dinda Jacque.
.
Na segunda foi feriado para mim e para o Adriano, mas esse arrumou um extra (muito bem vindo por sinal) e só chegou em casa na parte da tarde. Então pela manhã cometi a loucura de ir numa loja de roupas (que vende a preço de custo para revendedores) e levar pimpolho junto. Qual a loucura? As duas! Ter levado Arthur e ter gasto o que gastei! Mas se lembam do meu lema? "Trabalho o ano inteiro. Se não puder me oferecer um mimo de vez em quando é melhor me matar!" hahahaha
Fiz a festa na loja! Lavei a alma!
.
Para fechar com chave de ouro, criei coragem e me matriculei no curso de scrapbook digital da Mic. O início já é no próximo sábado e estou muuuuuito ansiosa.
Ueba! Tenho muito a aprender!

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

O dia de ontem

Ontem veio na agenda:
"Mamãe, hoje enquanto brincávamos no parquinho uma amiguinha mordeu o nosso príncipe. Passamos gelo e reparil gel no local. Contamos com sua compreensão."
Compreendo sim, pois acidentes acontecem. Poderia até ter sido o inverso.
Tadinho, deve ter chorado pra caramba... Aff! Nem quero pensar...
Vou segui o lema da Celinha (do "Toma lá - Dá cá"): Já passou! Tã-nã-rã! Já passou! Tã-nã-ra!
.
Por falar em escola, ontem terminamos de aprontar as oito cestas (com bonequinha, plaquinha/mensagem e chocolates) que vão hoje de presente para as tias da escola. Isso mesmo, oito tias! A tia Andrezza (a oficial), as três auxiliares da manhã, as três auxiliares da tarde e a tia Carol, da música. De quebra vou mandar uma caixa de chocolates para a tia Vânia, que é quem prepara e serve (com todo carinho) a alimentação do meu pequeno.
.
Ontem, na casa da avó, Arthur achou (ou alguém deu pra ele) um giz de cera. Beth disse: "Bebê, nada de escrever nas paredes, hein?!" e deu-lhe uma folha de papel. Como ele é muuuuuito inteligente, ele sabe que giz foi feito para escrever (ou pintar) no papel e imediatamente se acomodou no chão e iniciou sua obra de arte. Perdi o momento, mas minha sogra disse que foi cena digna de fotografia. Ele de bruços no chão, pintando no papel! Eu, que tiro foto até do ovo estalado no chão, perdi esse clic... snif!
.
E por falar em foto, ontem peguei as 234 fotos que criei vergonha e mandei revelar. Desde Novembro/06 não revelava as fotos digitais que estão no meu computador. De quebra, mandei revelar a primeira página de scrap que fiz, que modéstia a parte ficou linda!
Já prometi a mim mesma que a partir de agora, a cada três meses, o CD de melhores fotos seguem para a revelação! Será que consigo? rs
..
Ontem Arthur descobriu onde fica o botão do ventilador, e agora a atenção tem que ficar redobrada para deixá-lo sempre fora da tomada, para que ele não resolva se refrescar sozinho!
.
E também foi ontem que minha sogra completou mais uma primavera! Com alguns pequenos problemas de saúde (que espero do fundo do meu coração que passe logo, logo!) tudo que desejei para ela foi a plena recuperação.
Sograaaa, paz, felicidades e saúde, muita saúde! Amamos você!

Ainda que Dia da Criança seja TODO DIA, desejamos aos nossos amiguinhos blogueiros que tenham um dia extremamente feliz! Aproveitem bem o feriadão de sol!

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Reunião escolar, vacina e semana da criança

Tudo de volta aos eixos, graças a Deus!
Com o final do antibiótico na quarta feira (03/10), bebê voltou ao seu apetite normal e com seu habitual bom humor. Não é que ele tenha ficado mal humorado, mas faltava aquela sapequice, aquela carinha levada, aquele sorriso gostoso por qualquer (ou nenhum) motivo.
No sábado foi o 3º encontro de pais e mestres. Deixei-o com minha mãe e fui.
O tema principal da reunião foi "Que escola você quer para seu filho?" dando ênfase para a modernidade na educação (no caso, o método construtivista - adotado pela escola) sem deixar de lado a responsabilidade. Também abordaram o espaço físico da escola: De que adianta uma escola de renome, com muito espaço espaço físico se o aluno não utilizar metade dele? Vejam trecho fragmentado do livro "Escola! Cuidados na escolha", do autor Marco Aurélio Tagatlian, da Ed. Catedral das Letras:
"... Não está muito longe o tempo em que se achava que a escola deveria apenas informar seus alunos, ou seja, a carga de conhecimento era e ainda é em muitas delas, o mai importante. Porém, com a evolução das próprias crianças e com as experiências do dia-a-dia, o que se constata é a necessidade urgente da escola não só informar, mas também ajudar a formar cidadão, que sairá dos bancos e das salar de aula e atravessará os muros da escola para enfrentar sua vida com tudo que ela pode lhe oferecer de bom e de ruim... sendo assim... não adianta a escola possuir milhares de metros quadrados se a área utilizada pelos alunos não passa da sala de aula e de algumas dependências externas. É necessário que o espaço físico seja compatível com os objetivos planejados pela escola e que este espaço seja bem distribuído. Por esse motivo é que em alguns casos mais vale uma escola não muito grande, mas com espaços definidos e organizados para uma real utilização pelos alunos, do que uma verdadeira "fazenda" de área verde, onde os alunos raramente ou nunca frequentam..."
Achei válido e concordo. A escola do Arthur, por exemplo, é uma escola pequena, na verdade uma casa que foi adaptada, mas que tem todos os espaços necessários para o que a escola propõe. A casa abriga a secretaria, as salas, a cozinha e os banheiros. Nos fundos dela temos a sala de vídeo, a biblioteca e o refeitório. E o quintal é dividido em 04 partes: área coberta (onde acontecem as aulas de capoeira e jazz e onde brincam em dia de chuva), área aberta/quadra de jogos (com muito espaço para correr e jogar bola), parque de areia (o local predileto do Arthur) e parque sem areia (com o chão todo emborrachado). Nos dois parques tem todos aqueles brinquedos próprios para a faixa etária das crianças: gangorra, escorrego, velotrol, etc. As crianças fazem uso de todos os espaços, e isso para mim foi fundamental na hora da escolha.
Depois dessa reunião com coordenadora e diretora, seguimos para a sala de cada turma onde tratamos dos assuntos pertinentes a cada aluno. Segundo ela Arthur continua sendo o queridinho dos amigos, sendo ajudado nos momentos de dificuldades (a subir nos brinquedos mais altos, por exemplo). Se interessa pelas salas de vídeo (especialmente quando é exibido qualquer DVD da Xuxa) e pela aula de música. Embora não cante, presta bastante atenção. As tias distribuíram as letras das músicas mais cantadas por eles e foi então que eu descobri que a coreografia que ele andava fazendo (e eu não conseguia decifrar de qual música era) referia-se à música da baleia. Agora estou tentando aprender todo o repertório da escola - aimeudeus!
Segue a avaliação bimestral do 3º bimestre (deixei a do 2º bimestre para comparação):
Eles utilizam as seguintes legendas:
S - Sim
N - Não
ED - Em desenvolvimento
NT - Não trabalhado no bimestre
.
Linguagem Oral (organização de idéias e pensamentos)
- Repete palavras e sons emitidos anteriormente: ED/N
- Relata fatos já acontecidos: N/N
- Pronuncia corretamente as palavras: N/N
- Reconhece e nomeia pessoas de seu convívio: N/N
.
Linguagem Escrita (coordenação motora)
- Utiliza giz de cera, cola colorida e tinta como meio de comunicação escrita: S/S
.
Matemática (Noções de cor, tamanho, formas geométricas e números)
- Identifica objetos quanto à cor: NT/N
- Associa objetos de acordo com a cor: NT/N
- Identifica objetos quanto ao tamanho: NT/NT
- Associa objetos de acordo com o tamanho: NT/NT
- Identifica objetos quanto à forma: NT/NT
- Associa objetos de acordo com a forma: NT/NT
- Interessa-se por atividades com números: NT/NT
.
Natureza e Sociedade (Corpo humano/Datas comemorativas)
- Desenvolve movimentos corporais: S/S
- Reconhece as partes do corpo: N/N
- Nomeia as partes do corpo: N/N
- Participa, ativamente, das datas comemorativas: S/S
.
Artes Visuais (coordenação motora e criatividade)
- Amassa e rasga papéis: ED/ED
- Interessa-se por atividades com giz de cera, cola colorida e tinta: S/S
.
Educação Física (desenvolvimento psicomotor)
- Corre: NT/ED
- Controla seu movimento corporal seguindo trilhas simples: NT/ED
- Segura objetos de uso diário: ED/S
.
Iniciação Musical (sons e ritmos)
- Localiza a direção dos sons: ED/ED
- Executa movimentos próprios de acordo com o ritmos da música: ED/ED
.
Atitudes gerais:
- Entra na escola com tranquilidade: S/S
- Relaciona-se bem com a professora: S/S
- Aceita os limites da rotina escolar: ED/ED
- Participa das atividades livres: ED/ED
- Participa das atividades dirigidas: ED/ED
- Aceita, com facilidade, as situações novas: ED/ED
- Apresenta reações de medo: N/N
- Relaciona-se bem com os amigos: ED/S
- Divide seu material ou objetos pessoais: ED/ED
- Apresenta reações de choro diante de determinadas situações: S/ED
- Atende às solicitações das professoras: N/ED
- Encontra, sozinho, soluções para dificuldades na rotina escolar: N/N
.
Ontem ele tomou a 2ª dose da pneumococo (que deveria ter tomado com 1a e 6m e por lapso, deixei passar).
O pai o levou e disse que não deu vexame - Êta príncipe!
A pediatra aproveitou para dar uma olhada no olho (que continua meio roxinho) e confirmou não ser nada além da reação do antibiótico.
E também ontem iniciou a Semana da Criança na escola, que vai contar com festival de picolé, de pipoca, de cachorro quente e de sorvete, um festival para cada dia da semana. Também vai ter oficina de artes, teatro (com a peça "A cigarra e a formiga"), e várias outras atividades.
No domigo coloquei o DVD XSPB Circo e descobri que ele sabe cantar a música "Ta-ra-ra-bum-di-ei" - quer dizer, ele tenta! Muito engraçado...
Ah! Está danado naquela fase de se trepar em tudo quanto é lugar e de arremessar todos os itens da fruteira no chão... seja em casa, seja na casa das avós. Tá pintando o sete de todas as formas e cores! E graças à sua saúde!

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Senta que o papo é longo!

Sexta feira, 28 – Consulta com a pediatra
Já entrei na sala falando dos acontecimentos da semana anterior, da febre, da infecção da mordida do inseto (se é que foi isso...), da visita ao PS, do antibiótico... Dra. Mônica examinou, mas não viu muita coisa já que o troço já tinha secado, mas me deixou encucada em citar que qualquer ferimento na cabeça (na região do ouvido, das meninges) é perigoso e com isso prolongou o uso da cefalexina para 10 dias (ao invés de 07). Disse que tomamos a melhor atitude em levá-lo ao PS. Com relação a febre ela associou à infecção já que a mesma não voltou durante toda a semana.
Examinou garganta, auscultou pulmões e disse estar tudo dentro dos conformes.
Como sempre elogiou a simpatia do pequeno e nossos cuidados para com o mesmo, abrindo inclusive parênteses para o papai Dri que está sempre presente nesse processo de criação: leva à escola, participa, leva ao médico, enfim, um pai de verdade!
Elogiou seu crescimento de 3 cm (passou para 84 cm), mas acho que começou a ficar preocupada com seu peso que não passa dos 10 kg. Pesou 9.900 gramas e embora ela continue dizendo que é normal, que nessa fase as crianças tendem a perder peso (o que não aconteceu por ele está tomando o suplemento alimentar – Pediasure), passou o complexo B (Beneroc) para ser administrado 2 vezes ao dia por 02 meses.
Manteve o redoxon (ou cewin) (15 gts) + própolis (3 gts) e pediu para reiniciarmos com decongex, já que ele está (de novo) resfriado. E usar muuuuuuito Salsep nas narinas (o que é bem verdade que a gente não passa tanto assim...).
Aumentou a dose de novalgina para 4 ml, em caso de febre.
O asmax só será dado por mais esse mês (até o final do vidro que está em uso).
Marcamos a vacina do pneumococo para o dia 08 (na verdade deveríamos ter dado com 1 ano e 06 meses, mas eu perdi a data) seguindo o lema do antes tarde do que nunca!
Ah! Passou a pomada Postec para passar no pênis à noite para ajudar a abrir a pele e evitar a fimose, embora já esteja praticamente aberto.
É tanto medicamento... não sei como não me perco ao administrá-los.
De manhã ele está tomando vitamina C (+ própolis), asmax, complexo B, decongex e cefalexina.
À tarde decongex e cefalexina.
À noite asmax, complexo B, decongex e cefalexina de novo.
Putz! Isso porque ainda não voltamos com a homeopatia, o que pretendo resolver nos próximos dias. Estou tentando convencer o Adriano à leva-lo antes da escola, pois eu acho que se tivesse continuado o tratamento ele não andaria tão resfriado como ultimamente.
É muito dinheiro que se gasta com remédio, mas... assim, Dra. Mônica tem uma coisa boa... Como a danada nos dá amostra grátis!
Tudo o que ela passa ela dá! Saí do consultório com uma sacola com 01 Postec, 04 vidros de Cewin e mais 02 vidros de Salsep. Na ponta do lápis vai aí uma boa economia.
Para controle do peso, pediu nova consulta para daqui a dois meses.

Nova descoberta
Na escola eles brincam com lego. Sei disso porque no primeiro dia de aula - em que eu estava lá por causa da (minha) adaptação, as tias pegaram um saco lotado e dividiram entre as crianças, que por sua vez também estavam sentadas em grupo. Aí cada criança fica com umas dez peças e brincam de forma livre. Como na época Arthur tinha 01 ano e 04 meses ficou com uma ou duas peças na mão e acho que nem entendia pra que servia. Eu também nunca tinha prestado atenção em qualquer interesse com relação ao lego (embora ele tenha um montão de peças que ganhou no aniversário) e por isso nunca me preocupei em tirar os seus lá do fundo do cesto de brinquedos.
Eis que na sexta-feira, arrumando os brinquedos, dei algumas peças pra ele, e automaticamente ele as encaixou! Saí catando todas as outras e o pequeno fez a festa! Acho que nunca tinha visto tantas peças, e tudo dele, sem precisar dividir!
Sabe aquela concentração que eu falo que ele tem em frente à TV? Era a mesma! Ele ficou muuuuuuito tempo brincando de lego, montando torres altas, algumas vezes fazendo uma força enorme para encaixar, e outras vezes rindo quando a torre despencava. Delícia!
Lembrei então que junto aos brinquedos que ele ganhou de aniversário (e eu ainda não havia entregue a ele, pois ele ganhou muuuuuitos brinquedos), tinha um navio com mais um bocado de lego com rodinhas para montar um carro e tudo! E estava lá no armário! Dei pra ele esse navio (como se fosse presente meu – hahahaha), mais um jogo de blocos para montar uma casa e mais um caminhão enorme que vai servir para guardar os legos (para que eles nunca mais se percam! Rs). O danadinho ficou feliz da vida e basta ver o caminhão de lego que já levanta a caçamba e espalha aquelas trocentas peças no chão!
.

Iniciando no mundo da leitura
Como minhas cunhadas são professoras ambas foram à Bienal do Livro que aconteceu cerca de dez dias atrás aqui no Rio. Cada uma trouxe um livro pro Arthur. Beth trouxe de pano e Berna, de plástico. O da Beth tem três personagens: um cachorro, um pintinho e um rato. Criei uma estória e agora a cada vez que Arthur pega o livro ele folheia direitinho, apontando para cada personagem e me olhando à espera da narrativa. No final, de acordo com a estória criada, os bichinhos dormem e eu faço xiiiiiiiiii com o dedo na boca em sinal de silêncio. Não é que o danado aprendeu a fazer igual? E se não é o dedo dele próprio, ele pega o meu e coloca na boca. Lindo!
O da Berna é de formas geométricas. Sabe aquele comercial da Discovery Kids? Círculo, Retângulo, triângulo, quadrado? Aponto as formas e vou repetindo no mesmo tom de voz do comercial. Ele adora e aponta também.
Outro dia ele estava com esse nas mãos e quando terminei de narrar cada forma geométrica, falei para ele: “Cadê o outro livro, o dos bichinhos?” Acreditam que ele foi no quarto, achou o livro no meio dos brinquedos e me trouxe? Bebê-fofo-inteligente-da-mamãe!
.

.
Voltando ao mundo da leitura
Desde a descoberta da gravidez os únicos livros que me enchiam os olhos eram os que tratavam os assuntos interessantes na época. “Onde vende o manual?”, “Ligeiramente grávida” e outros que tratavam do desenvolvimento do feto foram alguns deles. Mas fazia algum tempo que vinha sentindo saudade de ler, de viajar junto às estórias fictícias, de conhecer outras culturas, outros mundos... Então meu chefe me emprestou “O Caçador de Pipas” e “A Cidade do Sol”, ambos de Khaled Hosseini. Acho que em 20 dias eu devorei os dois. E isso porque dei um intervalo de 05 dias entre um e outro para continuar curtindo aquela estória tão emocionante. Li no ônibus, voltando para casa. Hahaha, em determinados momentos o povo do ônibus não devia entender o porquê da louca aqui chorar tanto... Excelentes! Recomendo!
.
Faxina
Aproveitando que meu final de semana foi de três dias aproveitei para fazer arrumação e limpeza de armários e gavetas. Comecei na sexta-feira pelo quarto do Arthur. Na verdade a coragem veio após ter “liberado” as três caixas dos presentes de aniversário. Consegui liberar espaço e organizar uma prateleira com todas as suas fotos, CDs e DVDs.
No sábado parti para o computador. Sabe aquele monte de papel velho, disquetes que nem funcionam mais, e que ocupam um espaço enorme? Pois é. Joquei tudo fora! A mesa ficou até mais espaçosa.
E ontem, para finalizar com chave de ouro, e aproveitando que Arthur dormiu de 10:40 às 13:50, arrumei as gavetas da cozinha (com aquele monte de pano de prato, toalha, descansos) e do meu quarto (onde guardamos as contas de casa). Organizei tudo, separei o que não uso, rasguei o que era lixo e queimei as contas mais antigas. Ufa! Sabe aquela sensação de limpeza? E olha que devia ter aí uns 03 anos de enrolação, de deixar para depois...

E para finalizar, ela: a febre, mais uma vez!
A danada voltou no fim de sábado, de mansinho. O termômetro marcou 37,8º e antes que aumentasse já administramos a novalgina.
Acordou às 05:00 da manhã de domingo com 38º. E à tarde voltou mais alta, 38,3º.
E eu já não sei como interpretar. Como é que pode uma febre ficar indo e voltando? Se na semana anterior a culpa foi da infecção cutânea, qual o novo motivo para ela ter voltado? Tá bom, ele está resfriado, mas e se o motivo for outro? E se da outra vez não foi por causa da infecção. Ai... já não sei! Se a danada tivesse vindo antes da consulta...
Também perdeu o apetite. Para comer está sendo um custo. E isso, vindo do Arthur, é no mínimo muito estranho.
Para piorar, ontem ele apareceu com uma mancha roxa na pálpebra inferior do olho direito, do mesmo lado do ferimento. Parece uma olheira, mas bem roxa. Ele teria que ter ficado muuuuuitas noites sem dormir para ter uma olheira tão feia. Então fui ler na bula da cefalexina quais as reações adversas e lá diz: “Hipersensibilidade – foram observadas reações alérgicas na forma de erupções cutâneas, urticária, angioedema...”
Poderia ter sido uma batida que ficou roxa, mas eu acho que se ele tivesse batido em algum lugar ele teria no mínimo reclamado, o que não aconteceu.
Acabei de ligar pra escola e a tia disse que continua da mesma forma, então antes que aconteça mais alguma coisa, já deixei recado com a secretária da pediatra para que ela me ligue assim que puder...
(Editado às 09:30 de 02/10/07)
Ontem no final da tarde Dra. Mônica me retornou. Disse que enquanto ele estiver tomando o antibiótico essas reações serão normais. A falta de apetite, a mancha roxa no olho... tudo é forma do organismo dele se defender. A única coisa que a preocupou foi a febre: ela pediu para observar e caso volte é para eu avisá-la imediatamente, porque aí sim ela vai trocar o antibiótico. Perguntei se não seria o caso de suspendê-lo, e ela foi bem clara: "Não! É para manter!"
Foi isso... Fiquei de certa forma mais tranquila, em ouvi-la dizer que é normal, e torcendo para a bendita febre não voltar. Estou aqui na contagem regressiva para chegar logo amanhã, quarta-feira, dia em que completa os dez dias de antibiótico, e meu bebê volte a ser meu bebê feliz de sempre, sapeca e comilão.