,

segunda-feira, 28 de agosto de 2006

Final de semana

Nada de expetacular... exceto para a nova do Arthur, que começou no sábado: sentado no meu colo encurvava a cabeça querendo ver de onde vinha o barulho feito por meus dedos na mesa. Quando percebi, repeti as batidas. E novamente ele se jogou encurvando a cabeça. Dessa vez com minha ajuda. Ainda no sábado fomos contribuir com o "Mc Dia feliz" e fomos de carona com Tios Paulo e Belina. Sentado no meio do banco de trás (fora de meu colo, mas bem seguro pelos meus braços) ele ouvia a voz do Tio Paulo no volante e novamente levava a cabeça à frente e a encurvava querendo ver quem estava ali. Acho que ele pensava algo do tipo: "Ué, não é meu pai..." rs. E isso se repetiu por todo o trajeto, tanto de ida quanto de volta. Aliás, essa estória de andar no banco de trás começou a ficar perigosa, já que ele não aceita mais ficar sentado no meu colo. Agora quer ficar de pé olhando tudo do lado de fora. Sei que é errado, mas não consigo mantê-lo sentado por muito tempo. Então ontem resolvemos a questão: compramos a cadeira de auto. Ele até tem o bebê conforto, que eu deveria ter usado desde o início, mas por comodismo (ou preguiça mesmo de ficar colocando e tirando) o bebê conforto ficou lá, sendo usado para dar o almoço dele. Como a cadeira é fixa... Espero que ele goste... e se habitue com a novidade!
Compramos a Matrix 2 da Burigotto e consegui um ótimo desconto. Aproveitamos a economia e compramos uma barrinha da Fisher Price para colocar no carrinho. É linda, com três patinhos com funções diversas. Eu adoro os brinquedos da Fisher Price, mas é tudo tão caro! Na mesma hora colocamos no carrinho e ele ficou vidrado sem saber em qual pegava primeiro...

Outra novidade é que agora ele já fica sentado e não só por longos segundos... consegue se equilibrar por um tempinho bom.
Ah! Ele já reconhece minha voz... (risos de uma mãe totalmente boba!)
No sábado, antes de eu ir pra casa da Tia Belina, a Ziza (prima) o levou. Tinha muitas pessoas lá e ele ficou sério. Eu fiquei em casa esperando o Dri terminar de limpar a piscina e tomar banho. Como vi que ele já estava lá na Tia Belina havia uma hora (ou quase isso), liguei para avisar que já estaria indo. Então a Ziza falou; "Nossa Sandra, ele tá sério... tô até preocupada!" Então eu pedi que ela o colocasse no telefone e falei com ele "Oi Bebê! Mamãe já vai, tá bom?" A Ziza disse que ele riu! Delícia da Mamãe!
Acabei de ligar pra casa e pedi pra falar com ele: "Oi Bebê, é a mamãe! Tá tudo bem?" E a minha mãe ao fundo:"Ai que lindo! Ele tá rindo!" Tenho ou não tenho que ficar toda boba?
O único problema do final de semana é que ele luta contra o sono. Com minha mãe ele dorme 03 vezes ao dia (de manhã, após o almoço e no fim da tarde), mas eu não consigo achar a fórmula! rs
No sábado ele dormiu de manhã por vinte minutos, e a tarde dormiu uns quarenta minutos, só! Ontem dormiu no carro indo para minha mãe por uns 15 a 20 minutos. Depois só foi dormir às 16:20 e acordou 17:40. Muito pouco para a idade dele... enfim!

quarta-feira, 23 de agosto de 2006

07 meses

Parabéns filhote!
Que Papai do Céu continue te abençoando...
Amamos você!!!!

segunda-feira, 21 de agosto de 2006

O chão é o limite!

Após o episódio da queda da cama, minha mãe parece ter tomado trauma em deixá-lo na minha cama. E era lá que ele já estava dando sinais de que breve estaria engatinhando. Como também não posso contrariar o medo de minha mãe, ela mesma deu a solução: Para dormir, berço. Para brincar, chão. Desde o início da semana passada, ela forra um edredon com uma colcha por cima, e lá fica ele, rolando de um lado para outro ou se arrastando de ré. Eu ainda não tinha presenciado e chegava a desconfiar quando minha mãe dizia: "A sala está pequena pra ele!" Pois rolando, rolando e rolando ele acaba indo parar embaixo do sofá. A mesa de centro já está no canto para liberar espaço, mas parece que este ainda está pequeno mesmo. No sábado, logo cedo, forrei tudo e lá o coloquei. Muito engraçado! Ele gira numa agilidade impressionante e por várias vezes tinha que pegá-lo no chão frio e colocá-lo no meio do edredon novamente. E a felicidade? Bate as pernas com uma força... Tenho certeza que mais alguns dias para ele estar engatinhando.

Também fica sentado. Por alguns segundos fica sozinho, mas acaba se desequilibrando e cai pro lado. Aí ele ri, de si mesmo! Figura...
O banho agora é dado com o chuveiro aberto. Quando abro o chuveiro ele fica eufórico tentando, em vão, pegar a água! E solta gargalhadas. O banho é sempre um momento de felicidade para ele, e principalmente para mim. Saio do banheiro renovada.
Meu filho tá lindo! Um encanto! Não tem quem não se emocione com o sorriso dele. Ri para os que conhece e os que não. No dia do Batizado um senhor perguntou pro Adriano "Ele é sempre assim, bem humorado?" É. É sempre assim! Excetuando-se, claro, a hora do sono ou da fome, ele está sempre feliz! Lembro-me de uma frase no livro da Graziela Moreto (Onde vende o manual?) em que ela diz: "Eu pedi que viesse com saúde e ela ainda veio bonitinha..." E eu me pego assim. Eu pedi que o Arthur viesse saudável, e ele ainda veio lindo, encantando todos a sua volta. Lucia, a minha ajudante, diz: "Êta menino de bem com a vida!" A Jacque diz que é tudo reflexo do ambiente em que ele está. E diz ainda que muito do que ele é deve-se à minha gravidez, quando eu conversava com ele, e pedia para que fosse um bom menino. Todos que o conhecem se tornam fã. E eu me sinto muuuuito privilegiada por ser a mãe desse tesouro.
Só não gosta de tirar foto. A coisa mais difícil é fazê-lo rir para as câmeras. Se vocês repararem nas fotos ele só está sorrindo para quem está do lado, nunca para quem está fotografando.
Adora de paixão os comerciais da Discovery Kids, em especial o Doc, o cachorrinho personagem principal. Esse ele tem loucura. Agora descobri que ele gosta dos Backiardigans: "Temos o mundo inteiro no nosso quintal, mas chegou a hora de terminar. Somos os amigos, Backiaaaaardigans...." rs. Vocês não têm noção do que é a mamãe aqui cantando essa música (numa afinação ímpar!) e o Arthur sorrindo para mim com os olhinhos brilhando.
É isso! Essa semana ele completa sete meses de vida. O tempo passa rápido, mas estou curtindo cada detalhe, cada momento, cada descoberta. Ele descobre a vida, e eu também. Afinal, o sentido da vida está aqui, ao meu lado, e se chama Arthur.

segunda-feira, 14 de agosto de 2006

Batizado no dia dos pais


Arthur foi batizado ontem.
Comemoração dupla, já que além do batizado era também o Dia dos Pais.
Acordamos 6 da manhã para entregar o presente do papai, uma camisa do flamengo, que o fez ficar todo bobo. Junto à camisa uma foto de bolso do Arthur para ele mostrar pra todo mundo como adora fazer.
Fiz questão que o Padre Marcos o batizasse, já que ele celebrou meu casamento, e é conhecido da família. Como ele já não é o padre de nossa igreja faz algum tempo, tivemos que fazer o batizado na Igreja de N. Sra. das Graças, que fica em outro bairro. A missa foi linda! Arthur foi o único batizado do dia, que também celebrou o Dia dos Pais. Por esse motivo, Adriano foi um dos destaques da missa, sendo chamado para discursar sobre a importância de ser pai. Papai Dri ficou tímido sem saber o que falar. Muito engraçado...
Como a igreja é pequena, nossa família ocupou quase a metade dela.
Como previsto, o pequeno se comportou muitíssimo bem. Exceção no momento que confundiu a Dinda Jacque com a mamãe e quis mamar nela. rs
No momento do batizado Padre Marcos caprichou na água benta como que sabendo o pequeno adora tomar banho. Não deu um pio.
Na hora da consagração ele chamou padrinho e madrinha. Arthur só tinha a dinda Jacque. Então
convidei o Tio Paulo, que além de tio, padrinho do Adriano e padrinho do nosso casamento, agora também é padrinho de consagração do Arthur. Ficou muito feliz.
No final da missa, teve um café da manhã comunitário, no qual participamos.
Saímos de lá e fomos pra casa, onde aconteceu um churrasco para o almoço, que se estendeu ao final do dia.

quarta-feira, 9 de agosto de 2006

Resfriado

Infelizmente aconteceu... o primeiro resfriado.
Iniciou na quinta feira, o dia seguinte da consulta com a pediatra, com o nariz congestionado. Como a Dra. Mônica auscultou no dia anterior e nada havia, achei que seria só narina mesmo e fiquei aplicando o salsep. Melhorava e dali a pouco o roncado voltava novamente. No dia seguinte corizou. Comecei a me preocupar. Mas esperei... nada de histeria. Até que no final de semana começou a tossir. Aí não teve jeito, tive de ligar para a Dra. Mônica. Passou decongex plus - 5 gotas 3 x ao dia (por 5 dias) e nebulização com 5 ml de soro na mesma dose (3 x ao dia por 5 dias).
Enjoado ele não ficou, mas para dormir ficou incômodo. Acordava de duas a três vezes chorando. Acho que o nariz entupia e, óbvio, incomodava. Então bastava aplicar o salsep para que ele dormisse novamente. Após o início da medicação na segunda-feira, passou a dormir como antes. Tanto que ontem nem fiz a nebulização e ele dormiu bem. Ainda não descobri o que fez com que ele pegasse o resfriado, que graças a Deus foi leve. Acho que essa mudança louca de temperatura. Do que sei é que depois dele, já pegamos eu e o pai.
.
*****
.
Domingo batizaremos o Arthur. Aproveitaremos o Dia dos Pais para fazer uma reunião só. Postarei as fotos depois.

sexta-feira, 4 de agosto de 2006

Consulta - 6º mês

A consulta aconteceu na quarta-feira.
Arthur, como sempre, entra e sai sorrindo do consultório. A sensação da consulta foi a enorme mijada que ele deu na Tia Mônica. Fui obrigada a dizer "Bem-feito!" Ela tirou a roupa dele, mediu, pesou, e ao invés de devolvê-lo para vestirmos a roupinha dele, ficou lá, fazendo graça para ele, e ele que já não gosta de atenção se escancarava de rir. E assim ela ficou... encantada com as gargalhadas dele... e ele pelado... Não foi por falta de aviso que de repente... uma mijada certeira na barriga dela! kkkkkkkk
Ele está ótimo. Crescendo e engordando dentro da normalidade.
Mediu 66,5 cm e pesou 6.835 gramas.
Passou janta para ele, o que não foi notícia das mais agradáveis para mim, já que vou "perder" a mamada que dou assim que chego, às 18:00. É tão bom para nós dois ele mamar assim que chego... mas segundo Dra. Mônica ele já está precisando de mais comida "com peso". Em outras palavras, nessa fase o leite materno ainda é importante, mas já não o sustenta por muito tempo. Motivo este que faz com que o pequeno queira tudo o que estamos comendo. Na verdade essa justificativa é a minha. A justificativa da Dra. Mônica é de que tudo é em razão da fase oral em que ele se encontra. É mais do que normal TUDO o que ele vê, querer levar à boca. Não só o que comemos... De qualquer forma, acho que para não me contrariar, passou biscoito de maisena. Se tivermos que comer algo na frente dele e para evitar a peninha de não poder dar para ele também, liberou o biscoito. Adorei!
No almoço, ao invés da sopa de legumes (que agora passa para o jantar), passou caldo de feijão (4 x por semana), macarrão (até 2 x), 1/2 gema de ovo cozida (2 x) e sopa de ervilha (com músculo).
Passou vitaminas que vai tomar até 01 ano. Redoxon (ou cewin) e ultrafer.
Também pedi um repelente para espantar os mosquitos e ela passou Off kids.
Acho que foi só...
A idéia era saírmos de lá e levá-lo ao posto para as doses de Tetra, Anti-pólio e Hepatite B. Já estava até me preparando para uma eventual (mas não bem-vinda) reação, ja que da última vez ele sentiu dor na perna, mas acabamos saindo muito tarde do consultório, e além disso estava chovendo. Achamos melhor adiar para a próxima segunda.
.
*****
.
Mudando de assunto, preciso falar aqui sobre a Debora, a mãe do Daniel (um bebê muito lindo por sinal!). Ela deixou um comentário no post da amamentação dizendo que eu a tinha ajudado com meus relatos. Como ela não tem blog, a incluí no MSN, e batemos um longo papo. Nossa! Não tinha noção que poderia servir de exemplo para alguém... E fiquei realmente muito emocionada. Na verdade, aconteceu com ela o que já aconteceu comigo. Sou muito agradecida a algumas blogueiras que (de repente sem saber) foram (e ainda são) muito importantes para meu aprendizado como mãe... Obrigada meninas, pela constante ajuda!
Obrigada Debora, pelo carinho! Saiba que estarei aqui te ajudando no que puder!

terça-feira, 1 de agosto de 2006

Eu amamento!!!



Desde antes da gestação eu sonhava com o momento em que estaria com meu bebê nos braços e amamentando-o. Na verdade, naquela época, simplesmente achava bonito. Não conhecia ainda a real necessidade. Via apenas cenas de mulheres amamentando e pensava na poesia daquilo. "Nossa! Que ato de amor!" pensava. Mas pensava no ato físico em si.
Amamentar gera um contato entre mãe e filho sim, mas, muito além do contato físico, tem o contato afetivo, o sentimental. O elo que se une após o corte do cordão umbilical. E esse elo, eu só vim a conhecer quando passei a amamentar.
Como mãe de primeira viagem devo dizer que foi muuuuito difícil tampar os ouvidos para as opiniões alheias. Tem uma cena que não vou esquecer nunca: Eu tentando dar o peito, o Arthur não conseguia achar o bico... e chorava... e berrava... de fome tadinho! E eu fiquei mesmo entre a cruz e a espada, com medo de naquele momento saciar a fome dele com NAN e ele se acostumar com a facilidade e rejeitar o peito depois... enfim... Para me "ajudar", um mundo de gente em volta dando palpites "Dá chazinho! Dá NAN! Fulana deu NAN e nem por isso o bebê deixou de pegar o peito depois". O que fiz? Expulsei todo mundo do quarto. E chorei junto com o Arthur. Minha mãe fez o chá para mim e o NAN para o Arthur. Naquele momento não havia realmente outra alternativa. Eu já estava no meu limite e não conseguiria persistir por mais tempo. E também não poderia deixar o bebê berrando para justificar uma vontade minha. Ele não conseguia fazer o bico... nem eu conseguia ajudá-lo. Dei o NAN contra vontade, mas dei. Mas não me martirizei depois. E também não desisti. Na próxima mamada lá estava eu, pronta para uma nova tentativa. Foi muito difícil, mas conseguimos, eu e ele! A partir dali uma nova dificuldade, meus seios ficaram feridos, em carne viva... mas quem disse que mãe sente dor? A dor estaria no meu interior, em não conseguir amamentá-lo por uma dor física, essa a gente supera com uma boa pomada (falar agora parece ser tão fácil...) Algumas vezes tinha mesmo que controlar o meu impulso em arrancá-lo do bico, tamanha a dor... Graças a Deus (acho que só ele mesmo!) conseguia fechar os olhos, morder minha própria mão, mas o mantinha ali.
A dor física resiste até hoje, a pele do meu bico é muito fina, mas óbvio que a dor de hoje nem se compara com a dor do início.
Claro que hoje a sensação é muito diferente. Voltei a trabalhar no quarto mês e não consegui tirar na bomba o suficiente para alimentá-lo por todo o dia. Também sem me martirizar incluí as frutas e as papinhas ainda no seu quarto mês. Durante o dia ele tem 7 refeições. Duas mamadeiras que deixo com leite materno que tiro na bomba. A papinha no almoço e a fruta no lanche da tarde. As demais, ele tira de mim. Não tem nada mais prazeroso no mundo inteiro do que saber que aquele ser tão pequenino te reconhece e sabe que é em você que ele vai se saciar. E enquanto ele se sacia, nossa! Aquele olhar! Como se estivesse mesmo agradecendo por eu ter me esforçado em dar para ele o que de melhor existe, o leite materno. Como se ele conhecesse os benefícios que isso traz para a saúde dele. Mal sabe que na verdade quem tem que agradecer sou eu... pois os benefícios para minha saúde são enormes também. Além disso, estou filé (rs), magrinha como só estive na época de solteira. Quando me perguntam a receita para estar magrinha é simples responder: "Amamente uma criança!"
Se antes eu via o ato de amamentar como poesia física entre mãe e filho, hoje eu ainda acho, mas tenho o sublime prazer de fazer parte da cena como 2ª atriz. Pois o ator principal é sem dúvida alguma, o Arthur!
Entre 01 e 07 de agosto, será celebrada, no mundo todo, a Semana Mundial da Amamentação, que está sendo divulgado pela Denise Arcoverde. É ela quem está nos convocando para uma postagem coletiva sobre o assunto, e como mãe apaixonadíssima pelo ato de amamentar meu filhote estou aqui, deixando meu depoimento. Espero que sirva de alguma forma para mães que já ouviram pérolas como as que eu ouvi. E que saibam que dificuldades todas terão, mas que no final, a recompensa será enorme! Em todos os sentidos!