,

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Quase Natal!

Aff! Eu só tenho falado de doença e similares, né?
Mas é que nossos dias andam girando em torno disso:
odontopediatra/oftalmologista/otorrino... So...
De qualquer forma, tudo se acertando...
Ele ontem voltou ao oftalmo para fazer o exame da vista esquerda, e confirmou o que eu já sabia... não tem nada de errado. Como eu sabia? Ah, muito simples! Já tem dias que ele parou de apertar os olhinhos... era realmente charminho (ou puro cacoete, como preferirem...)
Na segunda ele voltou na odonto, mas o abcesso voltou e ela não pôde fechar o canal. Limpou e pediu que entrássemos em contato com a pediatra para essa indicar um anti-inflamatório. Dra. Mônica passou Scaflan gotas por 05 dias.
Aí hoje cedo voltou ao otorrino com o pai. E como a secreção voltou, já que paramos com o antibiótico quando houve o episódio de vômito, o médico voltou com ele: Cefaclor. Disse para parar com o anti-inflamatório (Scaflan) passado pela pediatra, já que o antibiótico por ser mais forte vai agir por ele também, e orientou apenas mudar a forma de dar a dosagem: ao invés de dar após a mamadeira, dar antes. E passou ainda o digesan, para o caso de enjôo/vômito.
.
***
Agora vamos mudar de assunto? :)
Final de ano chegando e todo ano eu espero uma nova reação do Arthur com relação às festividades natalinas.
Ano passado ele estava mais interessado nas bolinhas da árvore, que quicavam no chão da sala e ele achava a maior graça.
Esse ano ele já reconhece "Papaiel" e a árvore de Natal que carinhosamente apelidou de um nome único, que eu ainda não consegui decifrar... é algo parecido com "arpiatal" :)
No feriado aproveitei a companhia do Bernardo (eu não aguento mais montar a árvore sozinha, então me aproveito do encantamento das crianças...) e então montamos a árvore.
Antes da montagem, coloquei almoço para os dois. Tão adultos comendo sozinhos...

Depois partimos para o ataque!

Devo dar mão à palmatória, depois de montada até eu fico encantada. Imagina as crianças...

Pose dos ajudantes

Ainda falta colocar os pisca-piscas na minha varanda e na de cima (da minha sogra) e então a decoração fica completa e linda!

Arthur toda vez que se lembra da árvore corre pra sala e dana a dar beijos no "Papaiel", nos ursinhos, nos sinos e a tocar os pequenos tambores pendurados: "Pôô-pô, pô-pô-pô... seguindo o ritmo do Cocoricó...
Nem adiantou eu trancar a árvore com os sofás, ele consegue alcançá-la de qualquer jeito, ainda que subindo no sofá.
Eu já relaxei e já estou preparada para comprar novos enfeites no ano que vem, pois pelo que me parece desse ano os atuais não passam.
Semana que vem é a festa de encerramento da escola. Quero só ver a reação ao ver o Papai Noel ao vivo e a cores...

***

Ele anda tão sapeca...
Basta tirarmos sua roupa que ele corre, sobe na cama, e coloca o bumbum pra cima esperando as nossas cócegas.
Cismou com a lousa mágica. Quer que a gente desenhe "cáo" (carro) o tempo inteiro. Se desenhamos o sol, por exemplo, ele toma a caneta mágica de nossas mãos e desenha perfeitamente os olhos, o nariz e a boca do sol. Não sei como aprendeu...
O mesmo para árvore, que ele faz questão que tenham frutos: "açã" (maça), a sua preferida.
Conhece "ado" (dado), flor, "estela" (estrela), "asa" (casa), bola, as vogais e os números de 1 a 10. Aprendeu a cantar e a fazer a coreografia da música:

a-a-a faz a abelinha
e-e-e faz a escovinha
i-i-i faz o indiozinho
o-o-o o óculos da vovó
u-u-u urso se escondeu
quando viu o amigo ele apareceu!
Tão lindo...
Sabe esses momentos que a gente quer engarrafar pra se lembrar lá na frente? Momentos que a gente não consegue filmar ou fotografar, mas que a gente leva na mente e tem medo de lá no futuro não se lembrar mais...
O beijinho dele, por exemplo, tem sido tão doce, tão de levinho, e pode ser que daqui a pouco ele só dê beijos estalados... Como é que eu vou ter esse beijinho de novo? Não há filmadora que registre! Mas então eu fecho os olhos e sou capaz de sentir o gosto do beijo. A expressão exata dos olhinhos dele vindo na minha direção e dando esse beijinho tão doce, tão delicado...
Aimeudeus, sou muito apaixonada por ele!
Queremos novidade, hahaha.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Odontopediatra - O retorno

Enfim aconteceu o encontro com a Dra. dentista de nº 3.
Não fui.
Não quis ir (por motivos óbvios) e nem dava para ir mesmo (já que foi no meio do dia).
Eu já ando abusando demais por aqui com relação a horário... So...
Adriano (o carrasco) foi sozinho com ele.
Disse que gostou muito da Dra. Irmassy. Segundo ele foi clara e objetiva.
Ouviu com atenção e já partiu para o "ataque", sem lenga lenga.
Arthur chorou um bocado (o que já era previsto) mas o trabalho dela foi bem rápido e minimizou o sofrimento de meu pequeno.
Em menos de 01 hora ela bateu o raio x, abriu o canal e fez o curativo.
E tirou do dentinho o nervo que já estava necrosado, segundo Adriano.
Marcou nova consulta pra semana que vem, onde vai analisar o canal. Se já estiver limpinho ela já vai fechar e restaurar o dente. Simples assim.
Então, com vocês, meu bebê lindo e perfeito, ainda com o dentinho quebrado.
Despeçam-se dessa imagem, já que daqui a pouquinho ele volta a ter o dente inteiro outra vez.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Quando a comida não cai bem

E então quando ele saiu do oftalmo já não estava bem, segundo o pai.
Disse que quando o buscou na escola ele estava amuadinho, sonolento e quando saíram do consultório Adriano deu um suco de caixinha de maçã, que ele tomou todinho.
De lá foram pra minha mãe, e bastou chegar lá para colocar tudo pra fora.
Não aceitou a janta.
E antes de irmos embora, vomitou novamente.
Chegamos em casa e dei Dramim. Colocou pra fora uns cinco minutos depois
Antes de dormir dei a mamadeira. Vomitou todinha na minha cama.
Dormiu um sono inquieto, e de hora em hora acordava e vomitava.
Por fim, já sem ter o que vomitar, era a bílis que vinha, verde que só.
E meu bichinho chorava, tadinho. Assustado. E eu junto, claro né?
Lá pelas 2h dei o Dramim novamente, dessa vez diluído em água. Vomitou.
Por volta das 3h Adriano cismou em dar chá de boldo. Não é que ele aceitou dando de colherada? E ficou com o chá no estômago por uns bons 30 minutos. E vomitou de novo.
E depois dormiu... e foi até às 7:30h.
E pediu água. E bebeu um monte.
Adriano saiu para comprar água de coco e enquanto isso fiz 1/2 mamadeira. Tomou uns dois dedos. E vomitou de novo. Na minha cama. Muito.
E então lá fui eu, sozinha, dar banho no guri ao mesmo tempo em que também me dava um banho e depois, pela segunda vez na noite, trocar todos os lençóis. E como fede né? Eu tenho ânsia. Ai... gosto nem de lembrar.
E então Adriano chegou com a água de coco. E como ele ama água de coco tomou um monte e também aceitou um biscoito maisena. Eu já estava até com um bacião do lado, já na espera do próximo jato... mas nada.
Graças a Deus o estômago aceitou.
Ainda assim achamos melhor levá-lo no PS e eu não vim trabalhar.
Como não teve febre e nem diarréia, a tal da virose foi de cara discartada.
Segundo a pediatra de plantão provavelmente foi só uma indisposição alimentar, fruto do que comeu no almoço (risoto de frango), somado ao seu organismo que está mais sensível por conta do antibiótico que (ainda) está tomando. Estava né? Já cortei por conta própria.
Chegou do hospital dormindo e foi até às 15h. E quando acordou já era o meu menininho de sempre.
Tomou 1/2 mamadeira de vitamina de maçã com banana.
E depois jantou, como de costume, como se nada tivesse acontecido durante a madrugada inteira.
E dormiu. A noite inteirinha. Graças ao nosso bom Deus!
É assim mesmo, né? Se não tiver susto de vez em quando não tem emoção nenhuma levar esse título de "mãe"...

Encontro com o oftalmologista

Na quarta feira Arthur teve consulta com o oftalmologista para descobrir se os olhinhos apertados na frente da TV é algum problema de vista ou puro cacoete.
Adriano foi quem o levou e disse que ele a princípio encarou o equipamento numa boa, reconhecendo em diferentes distâncias a letra "a", o cachorro que ele chamou de "Doc" e uma bonequinha que ele chamou de "Lola". Olho direito examinado e sem qualquer alteração.
Porém, quando chegou no olho esquerdo, não houve Cristo que o fizesse falar o que via. Motivo pelo qual marcaram nova consulta para a próxima semana.
Fiquei orgulhosa do meu pequeno por que eu não fazia idéia de como eles fariam esse tipo de exame em uma criança de 02 anos, e sendo dessa forma eu realmente achei que ele não fosse falar nada. E não é que o danado deu show? Levando-se em consideração que ele agora que está aprendendo a falar...

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Encontro com a odontopediatra

Brincadeirinha sem graça essa de cair e quebrar o dente, viu?
Primeiro porque a gente sofre pra achar o bom profissional.
Depois que a encontra tem que sofrer para conseguir que a criança abra a boca para ela ver.
Depois a gente sofre com o sofrimento da criança (por que parece que ele tá sendo torturado...).
Mas o pior de tudo isso é o sofrimento final, quando ela, a Dra. nº 02 nos dá o orçamento...
Dentre tudo o que ela explicou (de forma tão detalhada que eu não vou conseguir colocar aqui) o que entendi de forma clara, foi que o dente que quebrou vai passar por um canal e disso ela tem certeza já que os abcessos por si já revelam isso. O dente ao lado, que está escurecendo vai passar por Raio X, para saber se também será necessário o canal. Como ele é uma criança de 02 anos que não entende que precisa ficar com a boquinha aberta, ela vai fazer um período de adaptação, onde vai fazer aplicação de flúor, profilaxia, orientação de higiene, e nisso eu tb danço em $, já que cada item desse é cobrado.
Falou que dá anestesia mas que não seda a criança. Ou seja, ele não vai sentir dor, mas vai se agitar de qualquer forma. E que pode ser que chore e esperneie, e que se acontecer teremos que segurá-lo, ainda que na marra.
Ela não foi grossa, pelo contrário, apenas me preparou para o que eu já sei: que não existe forma de fazer o dentinho sem traumas, para mim e para ele.
Sim, ela foi um docinho. E Arthur até ensaiou prestar atenção na TV que passava Madagascar e a dar atenção para a ajudante dela, que logo encheu uma luva de latex e deu para ele brincar.
Atendimento nota 10, mas...
Não vai ser ela quem vai (tentar) fazer...
Gente... Para mim R$727,00 é muuuuuuuito dinheiro, para um tratamento ocasionado por uma queda imbecil...
E assim... estamos numa fase em que não estamos podendo mesmo!
A princípio pensei: Tem que fazer? Vamos dar um jeito!
Depois, já de cabeça fria, repensei minha decisão.
Liguei pra minha cunhada e pedi o telefone da odontopediatra do Bernardo que atende pela Uniodonto. Ela é boa, claro! Senão ela não levaria meu sobrinho lá, dug dug!
E então eu liguei pro celular da Dra nº03, que me atendeu de imediato. Super atenciosa, me ouviu contar todo o drama, tim tim por tim tim.
E falou o seguinte: O canal vai ter que ser feito sim! Faremos o Raio X dos dois dentes (já que na película cabem os dois), faço o canal do que está quebrado (e onde saiu o abcesso encima), restauro para não haver contaminação (essa parte não entendi muito bem) e bato um novo Raio X para analisar o do lado. Se houver necessidade de canal para o do lado também (que está ficando escuro), fazemos pelo plano (já que eu disse pra ela que estou entrando a partir do mês que vem) e não precisamos pagar.
Disse que ele vai chorar, espernear, mas que esse é um "mal" que vai ser necessário.
Pediu que se possível eu nem vá, por que eu vou sofrer junto (jura?).
E então , por telefone mesmo, deu o orçamento: R$190,00 (Raio X, canal e restauração).
E pronto, Arthur já está de consulta marcada com ela. Levando em consideração que ela vai fazer no menor tempo possível, sem enrolação de profilaxia, aplicação de flúor, etc.
Pô, se já vai ser difícil fazê-lo abrir a boca pro que realmente necessário, pra quê inventar mais um monte de coisa, só pra encher linguiça? Para aumentar o valor do orçamento? Eu hein!
Se eu fizer o plano odontólogico para mim, Adriano e Arthur por 01 ano ainda vou pagar menos do que o orçamento da Dra. nº02. Cumpro a carência de 03 meses e pronto, estamos cobertos!
Acho que tomei a melhor decisão.
De qualquer forma, aguardem as cenas do próximo capítulo da novela: Arthur e o dente quebrado!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Consultas

Quinta feira foi dia de odontopediatra.
De cara detestei o consultório. Sombrio, escuro, sem qualquer atrativo infantil. Mas até aí, tudo bem. Mas tô eu imaginando que a dra. dentista fosse muito boa, já que foi indicada pelo meu dentista, que é excelente!
Ela estava atendendo outra criança e assim que essa saiu da cadeira, Arthur já foi invadindo o consutório e subindo na cadeira. A dra. sinalizou de forma positiva pois assim ele já estaria se familiarizando com o ambiente. Achei louvável da parte dela. Então me perguntou o que fazíamos ali. Expliquei tudo. Falei da queda, do abcesso, do antibiótico, do novo abcesso e do pedido da pediatra de que se fizesse o Raio X, motivo pelo qual optei por essa dra., já que no consultório dela, além da consulta, o Raio X também seria feito. Ela então pediu nossa ajuda para que ele abrisse a boca (árdua tarefa, por sinal!) e quando conseguimos, ela disse: "É... tem um abcesso... (jura?) Provavelmente teremos que fazer um canal, mas só vamos confirmar com o Raio X. Ocorre que estou alérgica (?) e não estou podendo manipular o aparelho de Raio X, então vou te indicar uma clínica aqui no prédio mesmo, para que ele faça lá e confirmando a necessidade do canal a gente tenta fazer e se eu não conseguir (oi?) eu te indico outro colega..." (como????)
É óbvio que não voltaremos lá!
Primeiro porque eu só fui lá para fazer o Raio X, e se por algum motivo ela não pode operar a máquina, no mínimo deveriam ter me ligado avisando, já que o raio X estaria incluído na consulta, ou seja, eu não precisaria pagar por ele, enquanto que na clínica que ela indicou... Isso pra mim foi uso de má fé, já que eu paguei consulta para ouvir o que eu já estou careca de saber.
Segundo porque eu não fui com a cara do consultório, como já disse anteriormente.
Terceiro que se ela mesma não se garante (não sabendo se vai ou não conseguir tratar a boca de meu anjinho) não sou eu que vou ficar pulando de galho em galho. Acho que para ser odontopediatra, a pessoa já tem que estar preparada para as crianças mais ativas também.
Enfim...
Já marquei consulta em nova clínica que realmente tem a especialidade de odontopediatria. Vai acontecer na próxima sexta, dia 07.
.
Na sexta feira (31/10) foi consulta com pediatra.
Nada de muito diferente, já que a única coisa que vem incomodando mesmo é o constante catarro.
Ele mal acabou de tomar a dose de medicamento que o otorrino passou, e a secreção já estava voltando. Então ela orientou estender o cefaclor até que finalizasse o vidro, e o celestamine por mais três dias. E além disso orientou o uso de soro caseiro nas narinas 20 x ao dia, utilizando o conta gotas do rinosoro.
Disse que já está na hora de entrar novamente com o Annita 20 mg/ml (4,5 ml 2 x ao dia por 03 dias) mas somente quando finalizar essa fase de cefaclor/celestamine.
Indicou um oftamologista pediátrico, já que eu falei pra ela que ele agora fica cerrando os olhinhos, principalmente quando está assistindo TV, como se estivesse com dificuldades para ver. Ela falou que pode ser somente um cacoete, mas como tem histórico familiar (eu e Dri somos míopes) pode acontecer dele também ser.
Perguntei se há algum problema dele tomar banho de piscina, já que com esses dias quentes que vem fazendo a criancinha não pode ver a piscina limpa que se joga, e (graças a Deus!) ela liberou com o seguinte discurso: "Sem tomar o banho de piscina ele deixou de corisar?" e com a nossa resposta negativa ela complementou: "Então não faz diferença!" E o Arthur agradece!
Do mais, mediu 89 cm (de pé) e pesou 11.330 gramas.
.
Hoje foi dia de voltarmos ao otorrino. Lá mesmo fez uma audiometria em que não houve sinal de infecção. Mas o médico detectou que ele continua com o nariz muito cheio. Então prolongou o uso da dupla cefaclor/celestamine e bateu na tecla de lavar bastante as narinas com rinosoro. Se antes tinha colocado 4 x ao dia, agora quer 8 x. E se possível que o ensinemos a assoar o nariz (ha-ha-ha). Então já compramos um vidro de rinosoro exclusivo para a escola e eu mesma me encarreguei de passar a bola (ou o pepino!) para as tias. É feio isso né? Mas elas devem ter mais didática do que eu!
E semana que vem voltaremos nele para ver como está.
.
P.S: Luciana, você deixou recadinho aqui pedindo informações sobre scraps, mas não deixou seu e-mail. Se quiser, me adiciona no MSN: sandrilima@ig.com.br.