,

domingo, 28 de maio de 2006

Consulta - 4º mês

Arthur já mede 62 cm e está pesando 5,730 g.
A consulta foi na última sexta-feira.
Dra. Mônica disse se espantar em como ele vem crescendo.
Com relação ao refluxo disse que não tem como prever o tempo que vai durar. Disse para continuar com o Motilium e usar cabeceira alta para dormir. Nada de estresse, já que pelo visto o refluxo dele é bem levinho (pelo que ouvi de outras mães na sala de espera, posso até dizer que tive sorte...). Vai continuar dormindo de bruços, já que ela disse (e eu confirmo) que ele está sempre com a cabecinha para o lado. E, incrível, quando ele gofa dormindo, sempre acorda irritado com o travesseiro molhado. Decidi então que não vou fazer disso um bicho papão. Logo, logo vai passar. Principalmente porque a partir de agora ele entra na alimentação sólida. Não que eu tenha gostado, é óbvio que preferiria manter o leite materno até os seis meses, mas a minha licença maternidade já acabou e já estou cumprindo minhas férias, o que significa que no final de junho já estarei de volta, e dessa vez de verdade. Então ela passou papinha de frutas amassada ou raspada (banana, pera, maçã e mamão) e daqui a quinze dias a sopinha de sal (com legumes de três cores e carne de frango ou rã). Achei engraçado pois tem todo um processo: Nada de ficar limpando o rostinho ou a própria boca - pois isso irrita a criança. Indicou que comece pela banana já que ele tem evacuado bem (muito bem inclusive!) e devo manter a banana nos dois dias seguintes. A partir daí alternar com as outras frutas. Quando iniciar a papinha de sal (que deve ser amassada e passada na peneira - nada de liquidificador) devo alternar com legumes diversos (me deu relação e tudo do que é legume branco, amarelo e verde) e após alguns dias incluir folhas. Ou seja, gradativamente os alimentos serão incluídos.
Confesso que fiquei curiosa e doida para chegar em casa e dar logo a banana para ele, mas por outro lado, eu preferiria que ele continuasse com o leite materno até os seis meses. Enfim... não vou poder! E o jeito é adaptá-lo à novidade.
Como naquele dia saímos de lá e fomos para o posto tomar segunda dose das vacinas tetra, anti-polio e rotavírus, achei melhor adiar a aventura da papinha para o dia seguinte. E de fato foi melhor, pois diferente da primeira dose (em março), dessa vez ele teve reação. Lá foi tranquilo, nem chorou. Veio no carro quietinho, chegou em casa dormindo, mas... quando acordou... meu pai! Como a criança chorou! Que dor ele deve ter sentido, pois berrava muuuuito. E eu ali, sem saber o que fazer... Com ele nos braços tentando acalentar, não tinha como pegar compressa de gelo, nem vicky, e muito menos o tylenol. Enfim! Chorava ele... chorava eu... liguei pro Dri chorando pedindo que viesse embora, mas ele só conseguiu chegar em casa às 18 horas depois da crise dos berros ter se repetido quatro vezes. Já tinha conseguido dar o tylenol quando ele chorou da segunda vez, mas acho que a dor era tanta que o bendito não fazia efeito. Foi horrível! Nunca vi meu filho berrar tanto! Acho que nem nas crises de cólica ele chorou daquele jeito... Mas passou! Graças a Deus passou! E à noite ele já estava sorrindo de novo. Aproveitei para dar banho e ele dormiu a noite toda, só acordando para mamar.
Ontem teve febre que chegou a 38º, mas consegui administrar com o tylenol bebê. Ficou em estado febril até a noite, mas a dor da perna já havia sumido.
Hoje, tudo passou! O pesadelo acabou! E fico aqui torcendo para que a medicina avance a ponto de inventar uma nova forma de prevenir doenças infantis que não seja tão sofrido para um bebê.
Voltando para a papinha, ela acabou só sendo dada hoje. Foi muito engraçado. Ele fazia cara de nojo, tinha ânsia de vômito, mas tava lá, engolindo a banana. Não dei a banana toda, achei melhor ir com calma. Acho que ele comeu a metade. Ficou tão lindo lambuzado... Pena que a máquina comum deu pane e a digital tava com a pilha descarregada. Perdemos belas imagens!
Amanhã tem mais!!!!!
.
Por falar em amanhã, tenho que deixar aqui registrado o aniversário de uma pessoa muito especial: minha amiga de sangue, irmã por afinidade e agora comadre: Jacque.
Que Deus a abençoe sempre! E para sempre estaremos aqui, eu e Arthur, amando vc também!
.

segunda-feira, 22 de maio de 2006

As super novas

Descobriu as mãos. Chupa três dedinhos de uma só vez. E suga-os com vontade. Algumas vezes consegue encaixar e chupar o dedinho polegar com vontade. Eu disse certa vez que o deixaria a vontade em pegar (ou não) chupeta ou o dedo, mas que não o ajudaria. Se ele realmente começar a chupar o dedo vai ser por culpa exclusiva de seu próprio instinto. De qualquer forma, prefiro acreditar que ele está na fase de descobrir o mundo com a boca, e que daqui a pouquinho colocará os dedinhos de lado. Espero! É tão lindo chupando o dedo, mas é tão prejudicial à dentição!
.
*****
.
Com o frio chegando tive que correr e comprar roupas mais quentinhas pro bebê. E como ficou lindo de moletom. Modéstia à parte!
.
*****
.
Como já falei anteriormente, ele só dorme de bruços. Agora está na fase de acordar e levantar a cabeça como um calango (sabe aquele bichinho que parece um camaleão?). Pois é. Já apóia os bracinhos na cama para levantar o tronco, e fica balançando a cabeça de um lado para o outro procurando companhia.
.
*****
.
Desde sábado vem tentando se virar na cama. Ainda não conseguiu, mas sinto que falta muito pouco. Já percebeu que jogando os braços e as pernas para o mesmo lado o impulso é dado. Ele ainda só não conseguiu achar a força necessária.
.
*****
.
Por algum motivo que ainda não descobri, Arthur se recusa a tirar o longo sono que costumava tirar a tarde. Agora só quer saber de dormir meia horinha pela manhã. E à tarde, o máximo que dorme, é 1 hora e meia. Espero que seja só uma fase!
.
Rir é o melhor remédio...
Ficando sozinha com o filhote, me pego em momentos hilários. Rindo de mim mesma. Algumas vezes, pego o pequeno rindo de mim... rs
(Faz parte do ofício de mãe servir de palhacinha...)
Belo dia, ao tirar sua roupa no intuito de dar banho, lembrei-me das caspinhas e resolvi passar o óleo mineral. Óleo passado, Arthur pelado, e a pateta da mãe resolve passar o pente fininho para amolecer as caspas... Arthur continua pelado e a mamãe se empolga com o pente, e continua tirando as caspinhas. Arthur felissíssimo, pelado, e a mamãe felissíssima tirando muuuuitas caspinhas... Até que mamãe se toca do longo tempo que se passou e resolve levá-lo, enfim, pro banheiro. Ops! Algo cai no chão! Ploft, ploft, ploft! Três rajadas certeiras de caquinhas pastosas no chão. Mamãe não sabe se xinga, se limpa ou se ri do pequeno, que volta para o trocador às gargalhadas (sim, gargalhando!). Uma mão o segura no alto, outra mão limpando o chão. A que segura o pequeno ser, sente algo quente escorrer. Ele fez pipi! Mijou t-o-d-o o trocador e mais a parede. Ok, ok! Quem mandou deixá-lo pelado por tanto tempo? Após limpar o chão de qualquer jeito, parti para secá-lo da mijada. Mas isso também não bastou. Já sequinho, partindo para envolvê-lo na toalha, gofou! O que mais faltou? Mijar na banheira d’água. E isso ele também fez! Deve ter pensado: Se for para sacanear a mamãe, que seja direito, né!Naquela mesma semana, acordou todo mijado e tive que colocar o colchão no sol para pegar sol. Quarenta minutos depois, o bebê já havia brincado e tomado banho, e partimos então para a mamada da manhã. A televisão exibia uma entrevista sobre educação de crianças e, como no quarto do Arthur ainda não tem televisão, ao invés de usar a cadeira de amamentação, a esperta mamãe resolveu usar a sua própria cama. Mais esperta ainda por não ficar atenta na feição de felicidade do pequeno. Feliz da vida enchendo a pança, mais feliz ainda por estar fazendo o que ele adora: caquinha! E só fui perceber mesmo quando a coisa já estava feia. Ele já estava todo cagado. Eu já estava toda cagada. A cama já estava toda cagada. Enfim! Caquinhas para todo lado! Rs E para limpar? O berço desmontado, minha cama suja, sem saber se me limpo, se limpo o Arthur, se troco os lençóis, se compartilho das gargalhadas dele, kkk!!!! Que dificuldade descobrir a ordem das tarefas! Seria mais fácil se tivesse alguém para segurá-lo, mas a Deidei não estava em casa. Após longos minutos olhando para ele na cama suja, me lembrei do carrinho, do santo carrinho. Limpei o bebê, coloquei no carrinho e lá ele ficou, rindo para a mamãe (ou melhor, rindo da mamãe), feliz da vida. No final ficou tudo limpo, e eu tive que admitir: em momentos críticos, rir é realmente o melhor remédio!

.
Refluxo
Desde a última consulta a Dra. Mônica havia passado uma ultra-abdominal total para descartar a possibilidade dele ter refluxo, já que todos os indícios eram de que ele não tinha. Porém, na terça feira passada, meu pequeno estava no meu ombro e do nada danou a vomitar. Vomitou muuuuito. Algo equivalente a umas três mamadas. O suficiente para encharcar minha cama e meus travesseiros. Fiquei preocupada, mas antes de ligar para a médica resolvi observar. Durante o dia nada mais aconteceu, mas a noite ele vomitou novamente. Foi muito menos, mas decidi ligar para ela assim mesmo, pois sabia que não iria dormir tranqüila. Então ela passou Motilium para ele tomar três vezes ao dia, e manter a ultra para a data que eu já havia marcado, o que aconteceu hoje. E, como eu pressentia, o refluxo foi confirmado. Eu realmente não me convencia dessa história de que todo bebê gofa. Não achava normal andar sempre com uma toalhinha no pescoço de meu filho. Tinha que haver alguma coisa. Mas, como disse a médica, para uma criança na idade dele isso é o de menos. Existem muitas coisas piores por aí. Com o tratamento necessário e alguns pequenos cuidados, daqui a alguns meses vai passar. Tomara. Ela explicou a causa do refluxo, e disse que o único problema que pode acontecer é que se ao dormir, ele aspirar o gofo, este pode parar no pulmão, e a partir daí ele desenvolveria uma pneumonia química. Por isso, indicou que levantemos a cabeceira do berço e um travesseiro mais alto. Difícil mesmo será colocá-lo para dormir de lado, como ela sugeriu, já que ele só dorme de bruços. De qualquer forma, na sexta feira ele tem consulta com a Dra. Mônica, e vamos ver o que ela vai indicar.

segunda-feira, 15 de maio de 2006

Dia das Mães

Levando-se em consideração que dia das mães são todos os dias, então não estou atrasada!
O dia ontem foi ótimo! Nada de muito diferente do que já venho sentindo nos últimos cento e poucos dias. Cada manhã um sorriso mais lindo que outro. Cada dia um novo desafio. Cada dia uma linda novidade. Mas a manhã de ontem teve algo diferente. Não foi a mamãe que foi no berço receber o sorriso. O meu filhote foi quem veio trazer o sorriso até a minha cama. Papai o trouxe as 7 da manhã com uma sacolinha pendurada nas pequenas mãos, e literamente me acordou com aquele sorrisão que vem me encantando nas últimas semanas. Foi emocionante. Nem precisava da sacolinha que escondia um belo pingente de anjo. Só aquele sorriso já me bastaria. Enfim...
Diferente do que acontecia com o resto da cidade, nada de enfrentar filas em restaurantes. Ficamos em casa mesmo. Fomos na minha mãe. Almoçamos na minha sogra. Mas a melhor parte foi comemorar o dia das mães a três. Após o almoço nos recolhemos no nosso ninho, e lá ficamos o resto da tarde fria... eu de um lado, Dri do outro e Arthur no meio da cama, como (pasmem!) nunca havíamos ficado. E só ontem me dei conta disso. Algo tão simples e tão delicioso. Dividir a cama com meus dois amores.
Muitos dias das mães virão. Muitas emoções ainda hei de experimentar. Mas esse foi o primeiro. E teve sim um sabor especial!
Graças ao pequeno Arthur que é, sem dúvida alguma, o meu melhor presente!
Graças ao bom Deus, que o deu de presente para mim!

quinta-feira, 4 de maio de 2006

Consulta - 3º mês

Post mais que atrasado...
A consulta aconteceu na quarta-feira passada, mas quem disse que tive tempo nos últimos dias?
Graças ao bom Deus, correu tudo bem.
Dra. Mônica ficou impressionada com o desenvolvimento do Arthur. É visto a olhos nus o quanto ele cresceu. E está uma bolinha.
Está medindo 58 cm e pesando 5,090 gramas.
Tinha algumas dúvidas e levei tudo anotado para não acontecer o que aconteceu na última consulta: esquecer de fazer perguntas simples...
Por exemplo, com essa dele ter que tomar Leite Materno na mamadeira, eu não sei qual a medida exata. Se minha mãe dá 100 ml ele reclama querendo mais. Se ela dá 130 ele fica colocando pra fora. Ela disse que, em média, ele está tomando de 120 a 150 ml. E que colocar pra fora é normal. Aliás, essa foi outra dúvida que tirei. Mesmo arrotando após as mamadas, ele sempre gofa. Ela perguntou se ele faz caretas, se acontece sempre, se começou agora, etc. Ao ser questionada se seria sinal de refluxo ela disse que tuda indica que não, mas ainda assim passou uma USG abdominal total para descartarmos qualquer possibilidade de que seja.
Com relação ao banho, que eu nunca sei se a água tem que estar quente, morna ou quase fria, ela disse que o ideal é a última alternativa. Ah! Liberou o sabonete de glicerina da granado. "Mas nada de perfumes hein?!" Mal sabe que coloco a colônia da Natura escondida dela... hehehehe
Liberou minha alimentação, mas devo ficar atenta a alterações na evacuação dele.
Nesses dias mais frescos ele tem acordado com um chiado que não consigo definir se é no peito ou só nas narinas, ela examinou e disse que no peito não tem nada, o ressecamento é mesmo no nariz, e passou Salsep para aplicar nas narinas várias vezes ao dia.
Falei sobre meu retorno inesperado ao trabalho e falei que consegui tirar o leite materno na bomba. Achou excelente eu conseguir tirar 200 mls por vez, e disse que não há necessidade de inserir nada mais na alimentação dele. Ufa! Senti um orgulho danado disso!
Perguntei sobre as tais vacinas que não constam no calendário padrão e, portanto, não são gratuitas. Pra que fui perguntar? (rs) Disse que já posso aplicar a pneumococo que são três doses c/ intervalos de 02 meses. Isso antes do Arthur completar 01 ano. Quanto? Pouquinho... R$230,00 CADA APLICAÇÃO!!!!! Jura que ele tem que tomar? ? ? ? ? ? ? ? ? rs
Vamos ver... ainda tenho dois meses para pensar no assunto e achar aquele tempo ($) necessário. rs