,

sexta-feira, 29 de junho de 2007

Menino de fases

Estou realmente me convencendo que tenho um menino assim em casa. E que, graças a Deus, está na sua melhor fase atualmente.
Na terça chegou na escola, ensaiou um chorinho, mas esse não foi adiante. Desde quarta deixou de chorar. Então estou convencida de que foi realmente o fato de ter ficado alguns dias em casa que fez com que perdesse a adaptação.
Com relação a fome, não vou esquentar minha mufa não! Não por enquanto. Arthur não tem nem 10 kg (está abaixo do que seria normal para a idade dele) e sempre teve um bom apetite. Sabe aquela estória "não engorda de ruim"? É como me refiro a ele. A pediatra já havia dito que não vê motivos para preocupação já que ele come de tudo: mama bem, come frutas, carnes, legumes, verduras, enfim! Problemático se quisesse apenas a mamadeira, mas como ele aceita tudo... sem preocupações com relação ao peso! Agora que ele resolveu comer mais na escola e corre o risco de aumentar o peso eu vou me preocupar? Bem, eu também não sei a quantidade que elas colocam no prato dele... de repente o choro era apenas um protesto do tipo: "Puxa, lá em casa eu como mais do que isso..." e elas estão descobrindo aos poucos a quantidade que o satisfaz, porque isso é bem verdade: em casa ele bate um bom prato de arroz e feijão (ou angu, ou massinha, ou...) rs
De qualquer forma vou conversar sobre isso com a pediatra, se existe mesmo a possibilidade dele estar comendo mais por ansiedade. Mas até o dia da consulta deixa ele se entendendo com as tias. Ele chora e elas dão! E também tem outra coisa: o cardápio da escola é tudibom! Até eu tenho vontade de ir pra lá alguns dias da semana... é um tal de panachê de legumes num dia, strogonoff com batatinhas coradas no outro, omelete de queijo... é ou não é para repetir? :)
Essa semana a diretora da escola me enviou umas fotos que foram tiradas na escola. Que gracinha a turminha reunida... Eu realmente morro de curiosidade de saber o que acontece por lá, e as fotos mostram exatamente os momentos de atividades entre eles. Muito legal! ;)

Créditos:

Kit: Bug Safari by Maria La France @ Digital Freebies/Frames by Leah Riordan @ Oscraps/ Papel by Scrapblog
Fontes: Arial Rounded MT Bold e BlacklightD

segunda-feira, 25 de junho de 2007

17 meses

Parabéns filhotinho!
Ainda bem que você sabe que a mamãe é muuuuuito apaixonada por você, e eu realmente não me importo em você ter virado o meu chicletinho. Gruda na mamãe sim, que ela gama mais ainda em você, viu?
A mamãe ama-ama-ama-ama-ama e ama você!
.
Segundo o site Minha Vida:
Seu vocabulário consiste numa média de dez palavras, bebe do copo. A torre que consegue construir possui pelo menos três cubos. Sobe escadas, dança e tira roupas. Aponta e reconhece figuras de livros infantis. Suas habilidades com a bola aumentam: atira para a frente, passa de uma mão para outra, rebate uma bola com uma raquete. Ao falar, consegue ser entendida cada vez mais. Olha para as pessoas que estão falando com ela. Aprecia jogos de fingir sons de animais, tossir e espirrar e de brinquedos de montar,escolhe os brinquedos pelo formato, cor ou tamanho. Responde a comandos simples, como: “levante”, alimenta os bonecos.
Arthur ainda não fala e nem dança, mas consegue se fazer entender. Ontem tia Belina falou uma coisa interessante: ele fala com os olhos! E não é que é verdade?
A cada dia que passa ele aprende brincadeiras novas: já sabe brincar de dedo mindinho/seu vizinho/pai de todos (que a Beth ensinou), e a brincadeira do janela/janelinha/porta/campainha (que a Ziza ensinou). Adora quando eu pergunto se ele tem xulé (cheirando o seu pé e fazendo careta) e de se esconder atrás da geladeira de minha sogra. Aí é só perguntar: Cadê o Arthur hein? Então ele corre para se esconder... (mas já reaparecendo) rindo horrores! rs
Aprendeu a apontar para as coisas e agora dá tchau com maior facilidade.
Como na escola o cardápio dele é super variado, resolvi liberar o danone em casa também. Ele amou! Também adora suco de soja, seja de pêssego ou de maçã.
.
O humor
Depois de uma semana inteira de mal humor, Arthur melhorou o astral.
Passou o final de semana super bem, risonho, exatamente como eu já estava saudosa.
Não estou acostumada com um bebê chorão e birrento como ele estava, pelo contrário, Arthur sempre foi muito feliz, e transmite essa alegria pelo olhar. Ele já acorda sorrindo. Vai pra lá e pra cá, encontra a gente no meio do caminho e sorri de novo. Esse é o meu bebê...
Então, quando ele amanheceu no sábado com o sorriso iluminado nos lábios e nos olhos, eu respirei aliviada: Graças a Deus! Foi só uma fase.
E foi assim que passamos seu 17º mesversário. Ele feliz da vida e eu também.
Passamos o dia na casa da Aninha comemorando seu aniversário, e ele se esbaldou com os brinquedos do Matheus e da Gabriela (seus filhos) que estavam espalhados pela casa. Fora a quantidade de DVD’s que Matheus tem. De cara estava passando o Cocoricó e lá ficou ele, hipnotizado.
Demos uma escapulida de lá e fomos visitar a Rosi (pois sua mãe faleceu na semana passada) e ao chegar o sobrinho dela estava assistindo um novo DVD da Xuxa que eu nem conhecia... E lá ficou ele de novo, sem piscar os olhos.
O dia foi perfeito, nos curtimos bastante.
À noite fomos visitar tios Paulo/Belina e Arthur novamente deu um show de comportamento: foi com todo mundo, sorriu, se esbaldou tanto com a Ziza na brincadeira de "janela, janelinha, porta e campainha" que caia naquela gargalhada gostosa que só ele sabe dar... enfim, o Arthur de antes voltou para os de fora também...
Ainda está rolando uma pirraça aqui e acolá, mas nem de longe lembra o que estava acontecendo nos últimos dias...
..
A escola
Hoje ao deixá-lo na escola o pai disse que ele chorou como vem acontecendo desde o início da semana passada. Na quinta-feira passada eu liguei para a escola na tentativa de descobrir se alguma coisa vem acontecendo. Conversei diretamente com a tia Adriana que me explicou o que estava acontecendo (mais especificamente o que aconteceu no dia anterior): Ele chegou choroso como que não querendo sair do colo do pai e depois se distraiu com os amiguinhos, ficando bem. Por volta das 09:30 começou a chorar de novo, e sem o consolo do colo das tias, elas partiam para procurar alguma dor (no ouvido, na garganta, febre, etc), também sem sucesso. Eis que a tia que prepara as refeições resolveu antecipar o lanche da manhã. O danado comeu tudo, dormiu e acordou melhor disposto. Por volta das 11:30h começou o chororô novamente e então elas não tiveram dúvida: adiantaram o almoço dele. Ele comeu tudo, e ao terminar o dele já era o horário normal das outras crianças almoçarem, o que aconteceu? Ele repetiu o almoço. E ainda filou o almoço da amiguinha Julia que deu mole com o prato dela. Tive que rir. A tia Adriana falou que o diagnóstico delas era esse: Ele sente fome.
Achei engraçado na hora e de fato até faz sentido, mas a Beth tem outra visão: acha que se ele está comendo tanto assim é sinal de ansiedade.
Eu sinceramente ainda não sei. O fato é que hoje ele chorou novamente ao chegar e segundo o Adriano o choro não persistiu. Vamos ver o desenrolar da semana. Lá para quarta feira eu ligo novamente para saber da tia como tem se comportado meu bebê gulosinho da estrela.
.
Créditos do Scrap:
Kit: Tangerine Tango by Eva Kipler @ Digital Freebies
Frame: @ Scrapkut
Fontes: Ziggy Zoe e Dyspepsia

quarta-feira, 20 de junho de 2007

A (falta de) comunicação

Graças a Deus pimpolho já está beeeeem melhor.
Comendo bem, dormindo bem e aprontado todas!
Na segunda feira voltou à escola. Segundo Adriano ele tem resistido para ir ao colo das tias. Acho que só agora a ficha dele está caindo de que fica lá o dia inteiro. Dá um ensaio de choro, que passa tão logo as crianças chamam por ele.
Segundo a Beth, se antes ele fugia dela quando ela chegava para buscá-lo, agora ele se joga em seus braços. E quando eu chego? Ôh meu Deus! Que delícia de abraço!
Mas nem tudo são flores... aprendeu a fazer birra! Tem se jogado no chão fazendo pirraça e enquanto eu não aprendo exatamente como agir, ignoro a atitude. Outra coisa, tudo o que pega arremessa longe. Também deu para chorar por nada. Não sei se tem sido assim na escola, se aprendeu isso com as outras crianças, sinceramente espero que não, pois se tem algo que eu acho feio é criança pirracenta...
Geralmente acontece enquanto está sendo contrariado, mas eu só descubro que ele não gostou de algo ou queria a outra coisa, quando ele já está chorando jogado no chão. Esse tem sido meu conflito, pois eu acho que ainda é a única forma que ele tem de se comunicar... por outro lado, enquanto ele não fala, não posso correr o risco de deixá-lo fazendo a birra só porque não consegue me dizer o que o está deixando chateado. Então, primeiro eu ignoro. Depois sento do lado dele e pergunto o que ele quer. Mas ele não fala (dug dug) e continua chorando. Mas e se ele falasse? Seria certo fazer a vontade dele?
Na segunda feira, por exemplo, ele ficou atrás de mim chorando. Eu peguei no colo e ele ficou fazendo aquela birra de se jogar para trás. Coloquei-o no chão e o xororô continuou. Aí foi só pegar o DVD da Xuxa e ele abriu o sorrisão. Por um lado fiquei aliviada de tê-lo compreendido, por outro, confusa por estar cedendo a um capricho. Acho cedo para impor regras, mas em que momento essas regras devem começar? Se eu não começar a impor limites agora, não vai chegar um momento em que eu não vou mais conseguir? Aff! É duro essa vida de educar!
A partir do momento que coloquei o DVD ele ficou lá, amarradão... Olhava para mim sorrindo como que querendo dizer: "Puxa, mamãe! Até que enfim me entendeu!" E permaneceu sentado, vidrado, sem piscar os olhos até o término do DVD. E é sempre assim. Se o DVD repetir 10 vezes, para ele é como se fosse a primeira. É errado isso? Eu leio por aí a respeito de crianças que vêem o mesmo filme trocentas vezes, mas no caso do Arthur ele ainda é tão pequenininho. Tem tantas coisas para aprender, ainda não sabe nem falar. Nos finais de semana eu tiro um tempo para sentar com ele e brincar com os brinquedos educativos que ele tem, no intuito mesmo de estimular sua coordenação, seu desenvolvimento. Ele fica um tempinho e dali a pouquinho está futucando o DVD, como que pedindo para colocá-lo. Já na casa da minha sogra é a mesma coisa, só que lá o que prende sua atenção é o site da Discovery Kids. Ele simplesmente puxa a Beth, faz com que ela sente na frente do computador, ligue-o, e fica com as mãozinhas sobre a dela no mouse, como que orientando o que ela tem que fazer. Pronto! Computador ligado, site aparecendo na tela, e lá fica ele, rindo para uma animação que tem com um mágico quantas vezes ela for repetida. É realmente engraçado vê-lo dando gargalhadas, e a gente até repete só para vê-lo feliz, mas está certo isso?
Outra coisa que me deixa louca é que com um mundo de brinquedos que ele tem, prefere abrir e fechar porta, fica procurando porta de banheiro aberta para puxar rolo de papel higiênico, mexer no armário da cozinha e jogar potes, panelas, tampas e tudo o que ele encontra no chão, simplesmente pelo prazer de jogar. Tá, eu sei que é super-ultra-totalmente normal! Mas o mundo não seria perfeito se as crianças preferissem se sentar no meio da casa (de preferência às nossas vistas) com um carrinho e ficar ali quietinho enquanto eu faços as coisas de casa? Mas não! Ele só fica quietinho se for vendo DVD... Aimeudeus! Como vou saber se ele está ficando bitolado com as telas?
Amigas experientes, ajudem-me por favor!
Mudando de assunto, mas nem tanto assim, ontem o pai tirou essa foto na escola para me tranquilizar, me mostrando o quanto ele fica "chateado" naquele lugar...
Realmente... agora eu sei porque o uniforme volta tããão imundo! rs

segunda-feira, 18 de junho de 2007

O final de semana

Na quarta-feira após eu ter postado, Adriano ligou dizendo que a febre havia voltado, e já que para a gente febre é sinônimo de algo está errado, ele preferiu ligar para a pediatra, e essa o orientou a levá-lo à emergência, já que por telefone, sem ver o Arthur, seria complicado dar um diagnóstico.
Depois de três horas de espera pelo atendimento (segundo minha cunhada, pior que de hospital público) Arthur foi atendido e após RX de tórax foi detectado que o pulmão está limpo. Por ser bebê, não pode fazer RX de seios da face para comprovar alguma rinite, sinusite, ou qualquer outro ite da vida. De qualquer forma, trata-se de uma gripe, e para combater de forma mais rápida passou o antibiótico Astro 600 para tomar por 06 dias. Fiquei meio assim em dar, já que ele nunca havia tomado antibiótico antes, e pensei seriamente em ligar para a pediatra. Depois repensei e desisti de ligar, pois se ela disse que sem vê-lo não poderia dar um diagnóstico, por que iria desautorizar o uso do antibiótico? Não liguei.
Na quinta-feira Adriano novamente não foi trabalhar para ficar com ele, e a febre ainda deu o ar da graça por duas vezes. Na sexta-feira quem ficou fui eu, e a febre voltou. Uma febre que nunca passava dos 38º, já que a gente logo administrava com a novalgina e dava um banho quase frio, e isso a fazia ceder como que por um passe de mágica. Embora aceitasse muito bem tomar sucos e vitaminas, passou a rejeitar o almoço/janta. Por isso eu reforço que os dentes estão influenciando sim. Já consegui ver o 13º nascendo. É o canino superior do lado direito. E com certeza isso deve estar incomodando também. Fora isso, estava enjoado, molinho e manhoso, me dando a impressão de que devia estar sentindo dores no corpo. Voltamos a dar o decongex plus.
Ainda na quinta-feira foi o 1º aniversário da Gabriela, filha de uma grande amiga e o levamos para ver se ele ficava mais animadinho no salão de festas. Que nada! A única coisa que o animou era o DVD da Xuxa (Circo) que passava no telão. Nem piscava os olhos. Quando acabou o DVD começou a ficar enjoado de novo e dormiu, indiferente à piscina de bolinhas e os demais brinquedos disponíveis para a faixa etária dele. Paciência! Fomos embora e nem cantamos o “Parabéns” para a aniversariante.
No sábado pela manhã foi a última vez que teve febre, de 38,2º (se não me engano). Dei novalgina, banho, e a feiosa foi embora de vez (e espero que para sempre!).
À tarde o levei para tomar as gotinhas. Fez cara feia, mas o importante é que não cuspiu.
À noite foi aniversário da outra Gabriela (essa de 11 anos) e ele deve ter dormido 01 hora após termos chegado lá, também indiferente ao som alto dos Rebeldes que tocava no Videoke. Também não pensei duas vezes e fui embora. Não vejo sentido em sacrificar uma criança. Se ele prefere dormir, não vou colocá-lo no carrinho ou na cama da dona da casa, para ele dormir no meio do barulho. Nem ele dorme direito, muito menos eu curto a festa. Pedi desculpas para a Rose e me despedi.
Ontem ele passou o dia bem. Está expelindo catarro, mas a tosse foi embora, e eu acho que a nebulização todas as noites tem ajudado nesse processo. Ele também não voltou a ter febre, almoçou bem e dormiu de 11:40 às 13:30h.
À tarde fomos no churrasco de um amigo e ele andou de um lado para o outro.
À noite foi a festa da escola. Chegou lá dormindo e acordou super enjoado, chorando por nada, não querendo saber de ninguém. Na hora da apresentação da turminha dele, ele preferiu ficar conosco, para minha decepção. As tias vinham falar com ele e ele virava a cara. Totalmente mal humorado! Conforme o salão foi se esvaziando, ele foi se soltando, e somente no final da festa conseguimos tirar fotos dele. Aí sim, ele foi no colo das tias Adriana (que ele ama), Andrezza, Samira e Tati (que acabou “perdendo” para ele a canjica que estava comendo - rs). Também brincou na pescaria, morreu de rir com o estouro dos estalinhos, e após “descobrir” os amiguinhos se esbaldou de correr de um lado para o outro. Pena tudo ter acontecido já no final da festa.
A tia Andrezza me disse que outras crianças da turminha dele não foram a aula alguns dias dessa semana (com os mesmos sintomas dele) e isso só reforça a tese de vocês, de que na escola isso vai ser muito freqüente. De certa forma fiquei até aliviada.

.
Ah! Aconteceu um fato muito engraçado lá. Segue o diálogo:
- Oi. Você é a mãe do Arthur?
- Sou...
- Ai... me desculpa.... é que eu precisava conhecer o Arthur que minha filha tanto fala. Ela sempre rejeitou a idéia de ter um irmãozinho, mas desde que o Arthur entrou para a escola, ela está me pedindo um. Ela diz: “Puxa, mamãe, eu fecho os olhos para tentar sonhar com o Arthurzinho, mas não consigo... Pede a mãe dele para deixar ele aqui em casa comigo só um pouquinho...”
- Que lindo! (Pronto! Eu também fiquei apaixonada pela menina! Ana Carolina o nome dela)
- Pois é, menina! Agora ela quer porque quer um irmãozinho igual ao Arthur... E eu agora não quero mais filhos, pois a ela já está com 05 anos... e blá-blá-blá...
Nisso, se aproximou uma outra moça, e a mãe da menina continuou:
- Fulana, essa é a mãe do Arthur!
E a outra moça (tia da menina):
- Caramba, a Carol tá apaixonada pelo seu filho! Só fala nele o tempo inteiro!
E eu fiquei lá... Com cara de boba, achando muito engraçado a popularidade do meu pequeno!
A Ana Carolina também é de período integral, e está lá desde os 02 anos. Eu imagino que por eles ficarem juntos o dia inteiro se torna muito natural essa troca de afeto. É como se eles fossem irmãos, e isso me deixa mais aliviada com relação àquela culpa de deixá-lo lá o dia inteiro. Nas ocasiões em que estive com as tias, percebi muito carinho delas com todas as crianças, e ontem eu aproveitei para comprovar isso com a mãe da Carol. Ela se mostrou muito satisfeita com a escola, em todos os sentidos.
Tenho consciência de que minhas dúvidas virão, meus sentimentos de culpa aparecerão algumas vezes, mas tenho certeza que ele está em ótimas mãos.
Quero agradecer muitíssimo aos cometários de cada uma de vocês, as dicas, os conselhos, e tenham certeza que cada uma me fez pensar um pouquinho. Até o final do ano eu decido o que vou fazer para que Arthur fique apenas meio período na escola. Na verdade a minha decisão depende mais de fazer contas do que de pensar na melhor alternativa, já que essa eu já descobri qual é, com ajuda de vocês: Arthur fica meio período na escola e o outro período com alguém que fique na minha mãe, e aí eu mato dois coelhos com uma cajadada só, pois como a minha xará Sandra parece ter adivinhado (pois eu ainda nem tinha citado isso aqui) minha mãe anda muito triste com o fato de não poder mais ficar com o pequeno, reclamando que agora está sozinha, que era ele que fazia companhia para ela, e fala o tempo todo que eu o “tirei” dos cuidados dela... Enfim... Eu só preciso ter dinheiro para bancar além da escola, mais o transporte escolar, mais a minha diarista e mais uma acompanhante (ou sei lá qual o nome que se daria) para ficar ajudando minha mãe a tomar conta do Arthur. É isso! Vamos às contas!

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Dodói, de novo!

Como já citei no post de segunda, Arthur passou o final de semana em estado febril, enjoadinho, com uma tosse que parece não ter fim que só aparece pela manhã e no fim da noite. Na última consulta com a pediatra ela orientou a nebulização com soro fisiológico, mas sinceramente eu preferiria que ela tivesse passado um xarope. Eu até fiz a nebulização umas duas ou três vezes, antes de colocá-lo para dormir, mas justo num desses dias, ele acordou de madrugada tossindo tanto, que acabou vomitando. Dei um pouquinho de mel e foi o que aliviou a crise. Agora fico com medo de fazer a nebulização e ela incentivar a crise de tosse. Além disso andou congestionado, respirando pela boca, e por isso também anda dormindo muito mal. Acorda diversas vezes na madrugada só para reclamar e volta a dormir. Acabei voltando com o decongex (que ele tomou não tem 20 dias atrás).
Na segunda feira voltou da escola com a gola da camisa suja de sangue e segundo minha cunhada (e também tinha recado na agenda) a professora explicou que Arthur colidiu com a mochila de um amigo, e que machucou o lábio inferior. Chorou muito, mas que passaram gelo no local. Compreendo que essas coisas acontecem e não vou dar xilique e dizer que "Ah... não estão tomando conta dele direito..." Poderia ter acontecido até comigo, que fico somente com ele e não tenho outras 05 crianças ao redor.
Quando foi ontem, na hora de meu almoço, me liga um celular desconhecido, e quando atendo a voz feminina se identifica como a Odenise (a coordenadora da escola). Levei logo um susto e mal dei tempo dela se identificar: "O que houve, Odenise?" E ela foi logo me acalmando com aquela voz tranquila: "Olha, Sandra, é que Arthur está desde a hora em que chegou muito choroso, já passou pelo colo de todas as tias, já medimos a temperatura e ele não está com febre, então a gente acha que deve ser só uma leve indisposição e que nesse momento seria importante ele estar em contato com um laço familiar, etc, etc, etc." Bem, eu trabalho à 01 hora de distância e até que eu conseguisse chegar lá... Então liguei pra Beth que por sorte estaria o dia todo em casa e lá foi ela buscá-lo. Quando cheguei a noite ele abriu o maior sorrisão quando me viu e minha cachola já está viajando em que agora que ele está caindo na real de que está em um ambiente que não é a sua casa... Sinceramente eu espero que não. Que seja somente uma fase ruim, um enjôo temporário por conta dos dentes que estão nascendo.
Por conta disso, passamos o Dia dos Namorados em casa. Arthur mamou e capotou antes das 21 horas e Dri saiu para comprar uma pizza para pelo menos não irmos dormir com o estômago vazio. Assim como meu aniversário, esse foi sem dúvida o Dia dos Namorados mais apático que já passei nesses (quase) dez anos de relacionamento. E ainda tiramos a noite para discutir relação... Tá bom, tá bom... eu sei que poderíamos ter feito na noite anterior para pelo menos ter passado o resto da noite de ontem num clima mais romântico, mas... não tivemos tempo para isso antes (e eu também não estava com saco)... So, o meu Dia dos Namorados será celebrado hoje, e eu espero (definitivamente) que não precise passar por outras "DR's" em pleno 12 de junho.
Hoje não tem aula e o Adriano não trabalha pois é feriado em Nova Iguaçu. Como eu trabalho em outro municío estou de cá, controlando os passos dos dois. Dri disse que ele continua enjoadinho, mas está se alimentando normalmente. Sua temperatura está em 37,5º e ele até administrou a novalgina.
Vamos observar amanhã e torcer para que ele fique bem na escola, pois não é todo dia que eu vou ter quem possa buscá-lo antes do horário.
Tenho me sentido confusa com isso, pois na verdade não era meu desejo deixá-lo tão cedo numa escola em período integral. E sinto meio que como o estivesse abandonando. Por mais carinhosas que as tias sejam, não são referência familiar, e isso está me matando por dentro. Na minha mãe eu ligava duas, três vezes ao dia, e tinha o dia-a-dia do Arthur detalhado. Na escola é diferente, eu até ligo, mas a coordenadora vai até a professora que lhe informa como ele está, e volta sempre com aquela resposta doce, porém automática: "Ele está bem! Está brincando! (ou dormindo, ou lanchando, etc.)" Por melhor que a escola seja, não gosto de pensar na idéia dele passar os próximos anos lá, durante o dia inteiro e torço para encontrar uma saída para o meu dilema.
É isso! Espero chegar hoje em casa e encontrar meu pimpolho feliz da vida! Meu marido feliz da vida! E que também eu fique feliz da vida! Para chegar amanhã e fazer um post mais alto astral dos que tenho feito ultimamente.

segunda-feira, 11 de junho de 2007

Sobre o feriadão

Feriadão prolongado em casa com pimpolho e o resultado não poderia ser diferente: estou acabada!
Não fiz nada além de ficar correndo atrás dele de um lado para outro, e com esse furúnculo na axila (sim, ele ainda está aqui), parece que ficou tudo mais difícil.
Agora ele não tira mais duas sonecas durante o dia, somente a da manhã, seguindo exatamente o horário da escola: 11:00 às 12:30h.
Está novamente resfriado, e passou a tarde de sábado e ontem em estado febril (estando em média com 37,7º). Também está enjoado e ontem em particular não quis comer direito. Já detectei a causa: novos dentes. Ele agora está com 12.
Aprendeu a fazer pirraça e simplesmente se joga no chão quando tem suas vontades contrariadas. Finjo não ver. Também está arremessando objetos, mas ainda não dá para perceber se é de maldade ou se ele simplemente confunde com alguma brincadeira.
Ah! Aprendeu a brincar de se esconder. A Beth começa: "Cadê o Arthur hein?" e ele corre para atrás da geladeira, aparece para ela e cai na gargalhada.
Na terça feira passada, 05/06, ele participou de um amigo oculto ambiental. Levou uma plantinha para dar de presente e voltou com outra. Ele tirou o outro Arthur, e o João Pedro foi quem o tirou. Pena eu não ter participado da entrega para tirar uma foto. Deve ter sido engraçado... Como era o dia do meio ambiente, ele voltou pra casa com um globo terrestre enorme, feito de emborrachado, maior do que ele. Também não tenho foto (...falha minha, pois poderia ter tirado em casa...) :(
No dia seguinte estava exposta a árvore feita com a contribuição dos novos ambientalistas:

No sábado ele já teve o primeiro compromisso social: o aniversário de um amigo da escola, o Enzo. Se não estivesse resfriado teria curtido mais, mas ainda assim foi engraçado estar em contato com pessoas que conhecem meu filho, mas que não me conhecem (e que eu não conheço tb). Na escola ele é tratado de Arthurzinho, pois já tem outro Arthur mais velho que ele. Então era um tal de: "Olha, o Arthurzinho..." quando o viam, e eu a ponto de perguntar: "E você, quem é?" rs - As crianças idem: "O Arthur (ou Rarthur, ou Athu - cada um na sua língua) chegou!" O próprio aniversariante que completava dois anos imediatamente veio abraçar o Arthur como se já fosse seu grande amigo... Achei bacana a relação de amizade até entre os pais. Quando veio o convite na agenda escolar eu fiquei meio assim... por não conhecer ninguém... Mas como o Enzo é filho da dona da escola, achei a oportunidade até boa para eu conhecer os outros pais, e foi o que aconteceu. O ambiente foi super agradável e em nenhum momento me senti um peixe fora d'água. Pena o Arthur estar febril e não ter curtido mais a companhia dos amiguinhos.
.

Arthur e seu amigo Enzo

No próximo domingo é a Festa Junina, e novas emoções nos aguardam.

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Xô, falta de sorte!

Definitivamente não ando nos meus melhores dias...
Foi só anunciar que amava o mês de maio, para que ele se tornasse "O MÊS"! O mês em que tudo iria acontecer de uma só vez! E foi uma "cooooisa" de tumultuado, vixe!
Dinheiro faltando por todos os lados que me viro. Parece que todas as pessoas que me cercam resolveram ficar tão duros (ou até mais) do que eu!
Terminei de pagar minhas contas referente ao aniversário do Arthur (sim, só agora!) e já estava feliz e contente. Pobre é uma coisa... acaba uma conta e abre logo outra porque não sabe viver sem calcular quantas parcelas faltam para isso ou aquilo. O que fiz? Gastei! Por conta! Me dei no Dia das Mães um celular novo - porque o meu já estava mesmo para lá de Bagdá e quando eu o comprei (grávida), estava (de novo) cheia de contas por conta do bebê que vinha a caminho e na ocasião comprei o modelo mais barato da prateleira, prometendo a mim mesma que o trocaria num melhor momento. Quase 01 ano e meio depois o momento chegou (pelo menos eu achava que tinha chegado - rs) e comprei o modelo que já namorava fazia um tempão. Aproveitei para comprar um óculos novo para minha mãe, com tudo o que tinha direito de opcional: armação importada, lente anti-reflexo, etc. E assim ficaria endividada por mais três meses, somente. A partir de setembro então, passaria a me dedicar ao meu novo mimo: um laptop. Deu tudo errado! E o próximo mimo agora só no ano que vem!
Primeiro minha mãe teve o piripac do nervo ciático, e lá se foram alguns R$ de medicamentos. Depois o piripac do coração. E mais alguns (muitos) R$ de mais medicamentos. Arthur foi para a escola em período integral, e para quem não sabe o valor é de praticamente 02 mensalidades. Como aconteceu do meio do mês para lá, tive que pagar o mês de maio proporcional, já tendo o mês de junho em vista. Dá-lhe facada! Para a criança ir para a escola tem que colocar uniforme, e dá-lhe cheque pré-datado! Por sorte, na semana seguinte entramos num frio do cão, mas na escola não tem uniforme de frio para o tamanico dele. Que bom. Economizei R$60,00. Sorte? Que sorte? Não tem o oficial, mas eu tenho que comprar assim mesmo, porque a criança não pode ir pelada para a escola. E são necessários pelo menos 04 conjuntos, porque ele usa 02 por dia: Ele vai com um, e o outro vai na mochila para trocar após o banho. O segundo até que chega limpinho, mas o que ele usa durante o dia, "pelamordedeus!". Fico sempre me perguntando o que será que eles fizeram de tão legal para ele conseguir deixar uma roupa tãããão i-m-u-n-d-a! Então toda noite lá vou eu "lava-lava-lava-esfrega-esfrega-esfrega" rezando para que no dia seguinte à noite já esteja seca para ser passada! Vixe, que vida de Amélia viu? rs
Por sorte (e eu lá tenho sorte? Foi por amor ao Arthur mesmo!) Anjinha Ziza e Santa tia Belina deram todo o material escolar... e acho que nem têm noção da ajuda que deram. Brigadão meus amores! Aquela "singela" pequena-enorme lista seriam fruto de mais alguns fios brancos!
Ah! E teve mais! Meus chefes se sensibilizaram com minha nada-mole-vida e me deram a reclassificação que eu já deveria ter ganho desde o ano passado. Lembram que eu voltei ao trabalho antes do final da licença maternidade porque uma colega de trabalho pediu demissão? Pois é. Voltei antes, assumi o trabalho dela, e o salário dela que era bom... nada! Acho que depois de tanto me verem fazendo contas com cara de "aimeudeus vou tirar dinheiro da onde?" resolveram me reclassificar... Aleluia! Tudo bem que depois de tantos descontos obrigatórios, o aumento não cobre o valor da escola, mas já é alguma coisa né? Reclamando, eu? Tô não!
Pensou que a falta de sorte tinha acabado??? hahahaha. Há mais de uma semana estou com uma bolinha na axila. A danada nem incomodava e para mim sumiria se eu não mexesse nela.... Mas vocês se lembram que maio não era o mês? Pois é! Com isso, na sexta feira passada, eu mal podia levantar o braço tamanha a dor... Fui na dermatologista, e a bonitona diagnosticou Furúnculo! PQP! Era só o que me faltava! Lá volto eu com mais uma receita com antibiótico, anti-inflamatório, sabonete e pomada, que me custaram mais alguns R$. Ah! Tá! Já tô f... mesmo! Como diria meu marido filósofo: O que é um peido para quem já está cagado! (E eu nem acredito que estou repetindo isso...kkkk)
O pior de tudo foi passar o final de semana inteiro socada dentro de casa (porque chovia sem parar) sem poder pegar meu bebê no colo.... E putz! Perdi a big festa da Jacque!
Pagar dívida a gente rebola (no bom sentido) e acaba dando um jeito...
Agora... perder a festa da Jacque... É castigo demais para uma pessoa só!
Ainda bem que chegamos em junho... E para dar um adeus bem sonoro para o mês de maio estou cantando o dia inteiro: "De hoje em diante, só quero boas notícias. Me conte boas notícias. Apenas boas notícias....."
E me centralizo no que de bom realmente aconteceu: Minha mãe está super bem (valendo cada centavo dos remédios que ela vai usar constantemente), Arthur está feliz da vida na escola ("quase" valendo o dinheiro "obrigatoriamente" investido) e eu estou aqui, podendo contar essa estória triste para vocês! Mas amigo não é para isso? Tenho certeza que falando, desabafando, tô mandando essa "praga de madrinha capenga" para bem longe daqui!

sexta-feira, 1 de junho de 2007

Para relaxar...

Recebi no início da semana a incumbência de levar adiante uma brincadeira. Não gosto muito de correntes, mas achei a idéia muito interessante já que acaba mostrando para o outro (e até para nós mesmos) um pouco mais da gente. Eu, por exemplo, adorei saber mais um pouquinho da minha xará Sandra, que foi quem me incluiu nessa brincadeira.
.
07 COISAS QUE EU TENHO QUE FAZER ANTES DE MORRER:
  1. Comprar uma casa com um enorme quintal "para plantar e para colher..."
  2. Terminar a obra na casa de minha mãe.
  3. Conhecer todo o Brasil.
  4. E conhecer também pelo menos um pouquinho do exterior...
  5. Fazer alguma coisa com crianças, talvez um voluntariado.
  6. Deixar de ser empregada.
  7. Cursos de fotografia e photoshop.

07 COISAS QUE MAIS DIGO:

  1. "Arthur, não pode!"
  2. "Que lindo!" (Geralmente para o Arthur, rs)
  3. "Bom dia! Boa tarde! Boa noite!"
  4. "Por favor"
  5. "Com licença"
  6. "Obrigada"
  7. "Ninguém merece"

07 COISAS QUE FAÇO BEM:

  1. O meu trabalho
  2. Carinho
  3. Cuidar do Arthur
  4. Ouvir meus amigos
  5. Sopa de ervilha
  6. Pudim de leite
  7. Macarronada

07 COISAS QUE NÃO FAÇO:

  1. Dirigir
  2. Exercícios físicos
  3. Dieta
  4. Fumar
  5. Praticar meu inglês
  6. Dormir sem tomar banho
  7. Passar uma noite inteira sem dormir

07 COISAS QUE ME ENCANTAM:

  1. Meu filho (seja sorrindo, brincando, dormindo...)
  2. Crianças conversando
  3. Encontro entre amigos
  4. Sorriso sincero
  5. Abraço apertado
  6. A lingua inglesa
  7. A arte de scrap digital

07 COISAS QUE ODEIO:

  1. Injustiça
  2. Mentira
  3. Falsidade
  4. Esperar por alguém
  5. Engarrafamento
  6. Fila (de banco, de supermercado, de consultório)
  7. Falta de dinheiro

E passo então a bola para as queridas:

  1. Fabíola (da Bárbara e da Beatriz)
  2. Fabiana (da Melissa)
  3. Edila (da Sarah e do Ibrahim)
  4. Carol (do Arthur)
  5. Simoni (do Henrique)
  6. Andreia (do João Luca)
  7. Mariô (do Octávio)
  8. Melissa (do Renan)

Vixe, escolhi oito! Será que tem problema????? rsrsrsrs

Depois quero ver as respostas, e conhecer mais um cadinho sobre vocês...