,

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Antes de ir...

Antes de ir eu precisava vir aqui para atualizar...
Na quarta-feira, quando Arthur veio da escola, eu fiquei assustada com o tamanho dos abcessos. Acho que a pomada ajudou no processo de desenvolvimento deles, e ao que parecia no dia seguinte estariam prontos para a "expulsão". Achei melhor dar uma ligada para a pediatra e quando eu disse que no dia seguinte ele tinha consulta marcada com ela, ela preferiu olhar antes de receitar qualquer antibiótico.
Ele não dormiu bem. Acordou três vezes reclamando de dor.
Ontem, quinta-feira, eles amanheceram enormes e maduros, mas não quis espremer, até para que ela visse o estado deles. Liguei pela manhã para tentar um encaixe (a consulta dele era só na parte da tarde) mas já havia 07 crianças aguardando atendimento.
Então como ele estava bem, brincando, achei melhor mandá-lo pra escola, para que ele pudesse curtir o baile de carnaval e sua fantasia de bambam. Enquanto isso fui resolver mil coisas no centro da cidade.
Por volta de 15:30h me ligaram da escola para dizer que os abcessos estouraram, que ele estava choroso e que parecia sentir dor. Foi só o tempo de tomar meu banho e chegar até lá, e de lá partimos pra pediatra.
Como Deus é muito bom, chegamos lá e não havia ninguém para ser atendido. Então ele logo entrou na sala e Dra. Mônica o examinou.
Disse o que eu já sabia: Alguma picada de inseto infeccionou, e se transformou no abcesso, ou melhor, nos abcessos. Só não soube me responder o motivo de ter aparecido justamente no mesmo lugar do ano passado. Para piorar, pela manhã apareceu um nas costas também, um pouco acima do bumbum, exatamente onde bate a fralda.
Então ela receitou antibiótico Ceclor 250 mg, para dar 3,5 ml (8 em 8 h) por 7 dias e mais 4,5 ml (12 em 12h) por mais 7 dias. Passou sabonete Dersab e a pomada supirocin que já estamos usando nele.
Disse que quando acabar o tratamento vai tentar investigar a causa.
Com relação a praia e meu questionamento se não seria prejudicial levá-lo, ela me surpreendeu. Disse que muito pelo contrário, que ela quer mesmo que ele fique em lugar arejado, com muito sol e que problemático seria se eu dissesse que o levaria para local frio e úmido. Reduziu seu fator de proteção de 60 para 50 e só alertou que ele pode vir a ter diarréia (e para isso até já me deu o medicamento para usar, caso precise). Do mais, receitou muita água de coco e muito banho de mar. Ueba!
Ah, sim! Suas medidas! Pesou 11.990g (engordou 890 g) e mediu 91,5 cm (cresceu 2 cm!)
Como cresce o meu menino!
Hoje não teve aula, então pela manhã ele viu seus DVDs, me ajudou a separar os brinquedos que vão para a viagem (separados entre os de dentro de casa e os de praia), e ficou bem, ainda que esteja andando como um robozinho.
Os abcessos já vazaram por duas vezes. Então dei banho, sequei, espremi de leve só para sair a secreção (nada de tirar sangue!) e passei a pomada.
Agora ele está ali dormindo. É a minha hora de arrumar as 4725 malas que ainda faltam...
Para vocês que ficam do outro lado da telinha, um ótimo feriado!
Prometo voltar dia 02 com muitas fotos!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

De férias!

Não o Arthur, eu mesma! Desde semana passada.
Dias em que tirei para não fazer nada e tudo ao mesmo tempo. Arrumar gavetas, armários, limpar o lixo do computador. E bater muita perna, buscar Arthur na escola TODOS os dias (tarefa que eu adoro!), e tirar pelo menos um dia para ficar de pernas pro ar!
Isso até a próxima quinta, já que sexta bem cedinho partimos pro paraíso, onde ficaremos exatos 10 dias na beira da praia, tomando muita água de coco. Onde? Cabo Frio. Parada certa em todo carnaval.
Enquanto fazemos a contagem regressiva, estou aqui na correria dos preparos, do fazer tudo ao mesmo tempo, do "comprar itens que não podem faltar" para uma viagem com um menininho de três anos.
E por falar em menininho de três anos... parece que ele entrou realmente no espírito molequinho. Gente... ele está demais! Impossível! Arteiro! Com um gás que só acaba na hora que dorme.
Sábado passado, no dia da Reunião Escolar, ele ficou na casa de minha mãe, como sempre fica. Da Reunião, fui ajudar minha amiga Rô no enxoval do Davi. De lá fomos pra minha mãe, que tentava em vão, fazê-lo dormir o soninho da tarde.
Com nossa presença a tarefa se tornou impossível, então ele ficou por ali, nos rondando, correndo pra lá e pra cá, enquanto a gente almoçava.
De repente o silêncio. Fui atrás. Não estava em nenhum dos quartos e nem havia fugido pra rua, já que minha mãe estava na porta da varanda. Banheiro fechado e então eu bati na porta. Lá de dentro reponderam batendo também... quem? quem? Ele, né! O terrível! Se trancou no banheiro!
Entre manter a calma e perder o controle, optei pela tranquilidade, e graças a Deus o Arthur também. E quer saber? Ele se divertiu foi muito trancado no banheiro...
Entre a porta do banheiro e o chão há uma fresta de uns cinco centímetros e era por ali que eu acompanhava os passos dele. Primeiro ficou se escondendo no box quando ouvia nossa voz. Depois descobriu o creme dental e o espremeu quase todo. Depois o prestobarba de meu irmão que consegui que ele abandonasse mostrando-lhe um pote plástico para ele brincar de água. Foi o que aconteceu. Ele esqueceu o prestobarba num canto e partiu para jogar água no chão. E ria... ria... e ria! E a gente do lado de fora: "Abre, Arthur!", "Vem ver o Cocoricó!", "Vamos embora com a mamãe!", "Abre o trinco da porta!" e ele corria pro box! Como se estivéssemos brincando de pique-pega! Por fim, vendo que ele não ia abrir pois estava se divertindo como nunca, fazendo o que queria e sem ninguém para impedir, optamos por forçar a porta aproveitando enquanto ele estava no fundo do banheiro, no box. E a cara dele de satisfação, nossa! Como se aquela tivesse sido a maior experiência de sua vida! rsrsrsrs - Ô garoto, viu! :)
E então ele está assim... cheio de determinação pra tudo!
Dia desses chegou em casa e enquanto o pai tirava as coisas do carro, ele foi logo se adiantando, pegando a chave que o Adriano deixa num esconderijo (que teve de ser trocado, claro!) para tentar abrir a porta. Cena de deixar o queixo cair.
Na mesma semana se sentou no sofá, tirou o tênis, a meia, a enrolou direitinho e a enfiou dentro do tênis. Organização ímpar!
E foi também nessa semana que não só dei o mal exemplo de deixá-lo jogar bola dentro de casa, como participei da brincadeira. Resultado? Mamãe que não sabe chutar bola errou o alvo (que era o corredor que separa a sala de estar da sala de jantar) e a bola que deveria ter seguido no corredor bateu na quina na porta e voltou pra mim, que bateu no vaso do aparador, e que (não me perguntem como) eu tentei resgatar com um pé, mas que ainda assim não consegui evitar que se transformasse em mil cacos. Não sei qual foi a ordem da queda do vaso, do meu pé nele, dos vidros espalhados. O que sei foi que sangrou muito e que se eu não tivesse colocado meu dedo no corte, nem sei. Com o outro braço tentava segurar Arthur, e afastar dele os cacos de vidro. Por sorte Adriano estava em casa e nos socorreu. Arthur também sangrou no dedinho do pé, mas acho que foi algum caco que bateu e arranhou, nada demais.
E eu mais uma vez me orgulhei de mim mesma. Em nenhum momento entrei em pânico e o próprio Arthur se manteve calminho, como eu.
Lição aprendida, acho eu.
E tem alguns dias que ando pesquisando uma mini cama para tirá-lo do berço. Já é um rapaz, né? Berço é para bebês!
Tem uns três dias que o que era uma picada de inseto está inflamada e dura. Ao que me parece vai se transformar num furúnculo... Aff!
Como já estou vacinada quanto a isso, já iniciei tratamento com pomada a base de mupirocina (supirocin) e como amanhã tem consulta com pediatra esperarei pelo ok dela para início da cefalexina (provavelmente por 10 dias).
Então é isso!
Amanhã será um dia cheio. Bailinho de Carnaval na escola e de lá consulta com a pediatra.
Tentarei voltar aqui na quinta, antes de partir pro paraíso na sexta.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Reunião Escolar

Como já é de praxe, sempre há reunião escolar na primeira semana de aula.
Ainda que Arthur já estivesse em Colônia, o ano letivo só se iniciou mesmo no dia 02/02.
E lá foi meu pequeno estreiar, aos três anos, no Maternal.
Professoras novas, sala nova, didática um pouco diferenciada.
Tudo isso me foi apresentado na Reunião.
Como fui a primeira a chegar, Tia Ju (liana) e Tia Samira já foram me contando o que Arthur vem aprontando nos últimos dias. Da batalha entre ele, Tia Ju e o ar-condicionado, que fica no baixo, e ele insiste em futucar... Não há "negociação" que o faça desistir de mexer...
Disse que ele é muito inteligente, mas que é muito preguiçoso tb. Ele fala, mas a timidez e a preguiça o impedem. Prova disso foi que ela estava em poder de um saco de biscoito e ele pediu daquele jeitinho dele, sem palavras. Então ela falou pra ele: "Tia só dá se você pedir..." e ele imediatamente: "dá!"
Disse ainda que ele conta até dez e reconhece cada número em separado e que também conhece o alfabeto (isso eu até já sabia, mas foi bom ouvir de novo...)
Quando eu falei que ele come sozinho mas que ás vezes eu mesma prefiro dar, pra ser mais rápido, evitar sujeiradas, enfim... elas de forma muuuuito elegante logo me chamaram à atenção: "Ah, Sandra! Deixa ele comer sozinho sim! É tão importante pro crescimento dele... pra sua coordenação motora" e o pior é que eu sei que elas estão certíssimas. Assim como eu sei que não é legal ele ficar tanto tempo vendo o mesmo DVD, mas sempre me rendo quando ele pede...
É chegada a hora de EU dizer tchau para o bebê que eu TINHA em casa.
E foi isso que elas deixaram bem claro. Que a partir dessa fase eles deixam de ser os bebês da escola. E que, como pais, somos muito importantes para essa nova etapa. Que também nós, em casa, teremos que dar nosso empurrãozinho para o crescimento de cada um deles.
A partir de agora eles já não sentarão mais no chão, cada um terá sua cadeirinha.
Levarão atividades para serem feitas em casa, e trabalharão com livro! E que eu não vou poder ajudá-lo para que o dele seja mais bonito que o dos outros amiguinhos. Eu vou ter que aprender a direcioná-lo até o limite dele. O trabalhinho dele vai ser lindo sim, mas vai ser feito à duas mãos (as dele).
A meta para o Maternal é que ele termine esse ano tendo noções de cores, reconhecendo as letras de seu nome, diferenciando algumas coisas, como o maior do menor. E eu dei a sugestão de que elas informem através da agenda quais itens serão trabalhados naquela semana, para que em casa eu também possa dar ênfase ao assunto. As outras mães aprovaram.
Falamos sobre o desfralde, que será iniciado ainda essa semana. Pedi que elas me mantenham informada sobre cada avanço.
E foi isso! Mais uma oportunidade de conhecer um pouco mais do meu filho, compartilhar experiências e de aprender com quem sabe.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

O retorno às aulas

E eis que passado o turbilhão com os preparativos do que nem seriam festas, e sim pequenas comemorações, na última semana pude voltar ao meu ritmo normal.
Eu ainda não tinha parado para ver o uniforme, muito menos o material do mocinho. E aqueeeeela lista, né? Mil itens de tudo quanto é lugar... da papelaria à drogaria, aff!
E que fofo! A partir desse ano ele vai ter livro. ("Fofo" só até eu descobrir que o livro custa R$50,00. Aff, de novo!)
E então lá fui eu! Primeiro fazer contas de quanto de uniforme eu conseguia comprar com os R$100,00 que Arthur ganhou de presente: 02 camisetas sem manga, 01 com manga, 01 short e a agenda escolar. Como é caro cada pedacinho de pano, viu?
Ziza conseguiu parte do material escolar. Outra parte foi do que sobrou do aniversário dele (folhas, giz de cera e papel pardo) e não fosse a facada do livro, até que esse ano eu teria ficado bem feliz com o que gastei.
Depois a parte que mais gosto: etiquetar. Adoro identificar tudo! Como esse ano a mochila é dos Backyardigans, optei por repetir as eiquetas do ano passado. E que fofas ficaram!
E como ele está num momento "in love" com seus dvds dos Backyardigans, não preciso nem dizer o quanto ele namora sua mochila a cada vez que passa por ela: "Pablo, Pablo!"
No sábado quando acordou eu fui do meu quarto ao seu encontro, enquanto o pai veio da cozinha. Chegamos os dois juntos. Ele abriu aquele sorrisão.
Então eu disse:
- Bom dia, filhote! Olha quem tá aqui! Quem é esse? (apontando pro pai)
- Papaiiiiiiii
- E quem sou eu?
- Mamããããe
- E você... quem é você?
- Tatu!
.
A cada semana que passa ele dá uma progredida na piscina.
Na semana de seu aniversário passou a entrar e sair sozinho, totalmente independente. Não precisa de qualquer ajuda, ainda que seja para entrar pelo lado fundo, seu lado preferido. Por um lado é ótimo! Enquanto ele está com a bóia eu posso ficar totalmente despreocupada com ele. Mas... e sem a bóia? Meu medo agora aumentou, já que ainda não sei se ele já entende o perigo de entrar sem ela. Então as atenções estão totalmente redobradas nos dias normais.
Domingo cedemos nossa casa para o aniversário de nosso amigo DD, e a piscina foi o ponto alto da comemoração.
Adriano jogou Arthur lá no alto para ele mergulhar na piscina. Eu gelei. Adriano esperou ele voltar do fundo. E ele?
Vejam o vídeo e me digam se ele gostou...
.
.
Ele amou! Voltou gargalhando! Ô peixinho!