,

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Cria - O novo tema musical!

Foi a Jacque que me mandou um e-mail com a letra, dizendo que essa era a nossa nova música. Corri pra baixar e agora tô aqui ouvindo, chorando, torcendo para que muito em breve ele esteja fazendo como o Antônio (filhinho da Maria Rita) no início da música: "Mamãe, te amo!"

Cria
Crescendo foi ganhando espaço
Pulou do meu braço
Nasceu outro dia e já quer ir pro chão
Já fala mãe, já fala pai
Já não suja na cama
Não quer mais chupeta
Já come feijão
E posso até ver os meus traços nos primeiros passos
Tropeça e seguro e não deixo cair
Se cai, levanta, continua
A porta da rua fechada
Criança não deixo sair
Da linha, da linha
Reflexo no espelho leva à emoção
A lágrima ameaça do olho cair
Semente fecundou
Já começa a existir
É cria, criatura e criador
Cuida de quem me cuidou
Pega na minha mão e guia
Maria Rita

A "perebinha" do meu bebê está beeeeem sequinha, graças a Deus!
Amanhã tem visita à pediatra, e eu aproveito para tirar o resto do dia com ele...
Um excelente final de semana a todas vocês!

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Fotos

Conforme prometi, aqui estão as fotos do Desfile Escolar:




.
E aqui o scrap do 20º mesversário:
.

Créditos:
Papéis, frame, elementos by KSharonK @ Artistic Musings / Costuras by Aninha Amorim @ Scrapblog / Fontes: Tempus Sans ITC, BrockScript e Castellar

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Desfile, febre, infecção cutênea, mesversário... aff! Muitas emoções!

Foi assim o final de semana.
Na sexta-feira cheguei em casa e estava na agenda: 37,8º de febre, e conforme minha orientação, ministraram 3 mls de novalgina. Ele estava bem, nem parecia que tinha tido a tal da febre. Assim como não havia qualquer sinal de resfriado ou outra coisa que pudesse ter causado a bendita... Graças a Deus ela não voltou e ele dormiu bem a noite inteira.
No sábado foi o desfile da escola, e meu bebê deu um show! Primeiro um show de choro, já que não queria sair do meu colo e ficar na salinha com as tias no momento de concentração (hahaha). Só a tia Adriana conseguiu acálma-lo, e dali a pouco ele já estava que era só sorriso.
O desfile foi lindo! O tema era “No Pan da Paz!” e as crianças do Ninho desfilaram vestidos de atletas da natação, com direito a sunga, roupão, chinelo, touca e óculos. Como me viu pertinho dele o tempo inteiro, Arthur ficou tranqüilo. Ficou apenas o início do desfile no colo da tia Adriana, e dali a pouco já estava no chão. Na frente da escola tinha a banda musical e em cada pelotão um monte de bolas brancas que posteriormente foram soltas e seguiram céu afora. Lindo espetáculo! Não demorou muito e Arthur me deu a mão e fez com que eu participasse do desfile também (assim como as outras mães, pais, avós e até o Bernardo também acabaram desfilando! Rs). Só teria sido melhor se não estivesse fazendo tanto calor e eles com aquela roupa tão quente...
Em casa, Arthur já de banho tomado e almoçado, percebi que estava em estado febril, 37,8º. Ministrei a novalgina e o coloquei para dormir. Dormiu pouco e acordou ainda com febre. E essa durou o resto do dia. Ora 38º, ora 38,5º. Não havia sinal de resfriado, e o único sintoma aparente era a falta de apetite. Almoçou bem, mas recusou o danoninho, não tomou nem metade da vitaminha do lanche (que ele ama) e na janta comeu três ou quatro colheres. Foi quando medi sua temperatura, e ela estava em 39,5º. Dei banho frio (frio mesmo!), outra dose de novalgina (aumentei para 4 mls) e dei um prazo para mim mesma de que se até 19h a febre não cedesse, levaríamos pro P.S. Graças a Deus a bendita cedeu, e por volta das 20:30 ele mamou (menos da metade) e dormiu (sem febre). Quando deu 22:30 fui dar uma olhadinha nele e lá estava a bendita de novo, em 39º. Ele acordou e com o coração apertado lá fui eu de novo, dar banho frio. Sofri com ele. Ele berrava e eu pedia desculpas, como se ele fosse entender que era pro bem dele...
Depois disso dormiu novamente, a febre cedeu, e não voltou mais. Acordou algumas vezes chorando, mas não tinha febre. A gente ninava e ele dormia de novo.
Ontem acordou bem, só sorriso e com uma fome de leão.
Dormiu de 12:30 às 15:30, e pelo visto a febre tinha realmente desistido de voltar. Ainda assim a preocupação: ninguém tem febre do nada... e então descobrimos que a mordida de mosquito (?) que estava na testa dele (acho que desde sexta feira, já que o cabelo esconde) estava meio que inflamado. Em volta estava aquele vermelhão e a gente não podia sequer tocar (provavelmente doía). Fomos ao Shopping e lá sentimos que a febre estava querendo voltar. Então passamos a nos questionar se a febre não teria a ver com aquela pequena erupção na testa. Resolvemos então ir na farmácia e perguntar se haveria alguma pomadinha que pudéssemos passar e então o susto: O farmacêutico pediu desculpas, mas disse que não pdoeria receitar nada sem saber se aquilo era mordida de inseto, furunculose, cabelo inflamado... e nos aconselhou a procurar um Pronto Socorro. Putz! Domingo a noite levar meu pequenino para um sanguinário espremer sua testa? Nem pensar! Fomos pra casa e eu passei uma pomada (que esqueci o nome) e cuja bula informava que o uso poderia ser pediátrico e as indicações eram as mesmas citadas pelo farmacêutico. Para quê fui passar? Dali a meia hora a pomada fez efeito e a bolinha estourou. E lá fomos nós: Dri segurar Arthur (tadinho!) e eu limpar com gaze e passar álcool iodado. O bichinho chorou muuuuuito! E eu me xinguei por ter tomado uma atitude que caberia a um médico e não a mim... Quem sou eu para medicá-lo? E se aquilo piorasse? E se...? Fui dormir mal, rezando para que amanhecesse sequinho e ao invés de me sentir culpada eu me sentisse orgulhosa por ter tomado a melhor atitude...
Bem, não foi nem um e nem outro...
Hoje pela manhã eu vi que o treco cresceu de novo, embora já não houvesse sinal da inflamação. Como eu acordo muito cedo e o quarto dele estava escuro, não deu pra eu ver se estava melhor do que ontem, o que ficou a cargo do Dri. Esse me ligou às 07:40 dizendo que não estava legal e partiu com meu bebê pro Pronto Socorro. Ao ser examinado o médico deu o diagnóstico: provavelmente houve uma picada de inseto, Arthur coçou, feriu, e após ferido ele mexeu com a mão suja, e isso fez com que o ferimento infeccionasse. Que agimos certos em limpar (ufa! Era só o que eu queria ouvir!) e que não tem como afirmar se a febre foi disso ou não, e que blá, blá, blá... e para finalizar receitou nebacetin e cefalexina. Limpou com soro fisiológico e segundo Adriano não houve necessidade de espremer. Que Arthur foi um príncipe e só deu uma pequena resmungada. Menos mal.
Por conta disso achamos melhor não levá-lo pra escola e ele está nesse momento sob os cuidados da Deidei. Já liguei pra ela por volta das 14:00 e ele estava dormindo. Segundo ela o nebacetin continua expulsando a secreção e que deve estar bem dolorido já que ele não deixa nem encostar.
Amanhã volto com calma para falar sobre o 20º mesversário e postar as fotos do desfile escolar.

terça-feira, 18 de setembro de 2007

07 anos de casamento

Foi no sábado, 15 de setembro. A princípio não faríamos nada no dia, porque já estava nos planos passar o domingo em Penedo, lugar que amo e onde passamos a lua de mel. Mas o "não fazer nada no dia" seria inviável: primeiro porque sábado a noite x ficar em casa não combina nem em dias em que não comemoramos nada, quem dirá no dia de nosso aniversário de casamento, segundo porque de qualquer forma alguém sempre lembra e vai até nossa casa. Então na sexta a tarde eu resolvi fazer um jantarzinho para os mais íntimos, assim comemoríamos no conforto de nossa casa e não precisaríamos sair para restaurante (que resultaria em não jantar, já que: ou a gente come ou olha Arthur correndo de um lado para o outro - rs).
Então passei a manhã de sábado adiantando tudo: roupa para lavar, casa para arrumar, brinquedo para juntar, almoço de pequeno e sobremesa para o jantar... enquanto faço uma coisa e outra, dou uma pausa para um pelada com o pequeno, uma voltinha de velotrol, uma brincadeira de pique pega (que ele ama!). A criança já estava imunda, no ponto para tomar aquele banho e almoçar... Ainda me faltava estender a roupa, então o deixei solto no quintal enquanto fazia isso. Dali da máquina de lavar eu tinha a visão dele: saiu do quintal e foi pra cozinha brincar com as tampas de minhas panela (aliás já avisei ao mais íntimos, no dia das crianças nada de brinquedos, podem dar uns jogos de panela porque é o que ele tem preferido nos últimos dias! rs). De repente se fez o silêncio... e isso eu já sei que não é bom! Roupas para lá e vou atrás. No banheiro não está, nos quartos também não! E na sala eu encontro a criança sentada com a cara mais lavada do mundo, a mão melecada, e como companheiro, um pobre de um ovo quebrado que ele alcançou na pia e espatifou no chão! Achou engraçado né? Eu também! Não sabia se ria da cara de nojo que ele fazia, se brigava, se pegava a máquina para registrar, se o tirava dali para evitar que ele espalhasse a sujeira, enfim! Deu pra fazer tudo... e agradecer por não ter sido algo pior (ter pego um copo de vidro, por exemplo) e dele ter feito isso antes de ter limpado a casa! Criança! Dois olhos não estão sendo suficientes não! Atenção redobrada está sendo pouco para ele!

Créditos:
Frame by KsharonK @ Artistic Musings / Doodle frame @ peppermint creative / envelope tie
by Eclectic team / Doodle @ Scrapkut / Fonte CrayonE


O jantar foi um sucesso! Fiz strogonoff de carne e para sobremesa pudim de leite. Foram poucas pessoas, só os mais íntimos, mas foi uma delícia. Arthur logo dormiu e pudemos curtir a noite bebendo vinho, falando besteiras e dando boas risadas.
No domingo acordamos cedinho e partimos para Penedo. Nossa! Que calor era aquele!
A cidade, linda como sempre! O sorvete, melhor ainda!
E assim comemoramos... em família! Sei que algumas pessoas podem criticar, que deveríamos curtir um pouco a sós, mas não entendo dessa forma... Sem querer usar de demagogia, não vejo o menor sentido em comemorar sem ele, que foi sem dúvida, o melhor presente que Deus nos deu!
E que venham muitos outros sete anos de casamento...

Créditos:
Template Lindsay Jane Designs / Papéis, alfa e elementos @Digital Freebies / Fonte BrockScript

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Susto... mais um!

Os sustos já começaram, eu sei. E sei também que cada um será maior que o outro. E se eu conseguir sobreviver ao susto ou evitar que o pior aconteça, posso até tirar proveito do lado engraçado dele, e foi o que aconteceu ontem...
Estávamos eu e Adriano no quarto. Eu guardando a roupa passada. Ele se preparando para o banho. E na sala o silêncio de uma criança que deveria estar assistindo televisão... deveria...
Como sempre faço, fui dar uma olhadela e então... o susto!
Arthur subiu no sofá (nunca havia subido!), sentou-se na beirada (beirada mesmo!), pegou minha bolsa, abriu (nunca havia aberto!) e achou os três BIS que eu havia levado para ele na quinta passada e tinha esquecido de dar. Abriu o primeiro BIS, abandonou e abriu o segundo. E ali ficou. Quieto. Saboreando o chocolate. Pensa que se assustou ao me ver? Nadica de nada. Continuou com a cara mais lavada do mundo. Chamei o Adriano e pedi que trouxesse a câmera. Tiramos as fotos e ele ali, de chocolate na mão. Ora olhava a televisão, ora me olhava como que querendo dizer: “só peguei o que me pertencia!” rs
A situação foi até engraçada, mas por outro lado cheguei a conclusão de que preciso ser mais cautelosa de agora em diante. Era chocolate, mas e se não fosse? E se fosse remédio ou qualquer outra coisa que não fosse comestível? E se ele caísse dali? Ia direto de cabeça no chão... aimeudeus! Criança...

Créditos:
Kit Far Away - by KsharonK @ Artistic Musings / Frames In memory of Miles @ Christina Renee designs / Stamp by Amy Teets @ Shabby Princess / Alfa Coca @ Free Digital Scrapbooking / Fonte American Classic

*****
Lembram do texto que falei ontem que veio na agenda da escola? Pois então... Na verdade trata-se de matéria da Revista Nova Escola e está na edição deste mês.
.
HOJE É DIA DE BRINCAR!
Brincar não é brincadeira. É sério. É a coisa mais importante que você pode fazer com seu filho hoje para ele ser uma pessoa melhor no futuro. Brincar não é só alegria. É a grande oportunidade de aprender pela própria experiência. É a semente da cidadania, é a compreensão do relacionamento do respeito ao outro. Para pais e mães, é o momento de estreitar os laços. É um jeito de dizer “eu te amo”, sem palavras, que todas as crianças entendem.
Não use a falta de tempo como desculpa se você está se dedicando pouco a esses momentos. Todo mundo é ocupado. Mas só nós podemos romper o ciclo e mudar essa situação, por mais difícil que seja. E, se continuarmos adiando, de repente nos damos conta de que os filhos cresceram e a gente nem viu. Brincar é hoje! Brincar é sempre, desde que são bebês até saírem de casa para cuidar da própria vida. A cada idade, já um jeito ideal de brincar. Em cada família, uma dinâmica diferente que junta afeto e brincadeira de um modo particular. Essas diferenças, interessantíssimas, acontecem de país para país, de continente para continente. Assim como as semelhanças mostram que crianças, em qualquer canto do planeta, são iguaizinhas: querem brincar.
Por isso, conclamamos vocês, pais e mães, para brincar mais com seus filhos, sair de casa e se divertirem ao ar livre, dedicar mais seu tempo ao culto desses vínculos, darem a eles a chance de serem simplesmente crianças.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

De tudo um pouco

Não fizemos nada em especial e por outro lado fizemos muito: descansamos e nos curtimos.
Na quinta feira tentei buscá-lo na escola, saí cedo e tudo, mas não contava que todo o povo já estaria na estrada para curtir o feriadão, peguei um engarrafamento de corno e não cheguei a tempo. A intenção era fazer uma surpresa pro pequeno, fiquei imaginando a carinha dele em vendo o pai e a mãe na porta da escola (o que nunca aconteceu), mas infelizmente não deu... Sem problemas... o pai o pegou sozinho (e ele ficou feliz em vê-lo) e me encontraram no meio do caminho... e ele ficou feliz em me ver entrar no carro também!
Na sexta não fizemos nada demais. Fomos levar minha mãe na minha tia e Arthur estava ligado no 220v. Imaginem uma sala cheinha de bibelôs por todos os lados... era a da minha tia! E ele queria mexer em tudo!!! O jeito foi tirá-lo da casa e ir dar uma volta pelo bairro.
No sábado o Dri trabalhou e ficamos nós dois em casa. Como já tinha adiantado a lavagem das roupas na sexta, fiquei livre na manhã de sábado. E assim o curti pra caramba. Fomos pro quintal jogar bola e andar de velotrol. Já falei que ele tá um moleque né? Pois é. Acho que eu também estou! Quando eu ia imaginar que deixaria meu lado feminino de lado e me renderia ao futebol com meu filho? rs
E faço sem culpa viu? Eu curto intensamente cada momento ao lado dele. Tenho seguido a risca os lemas "viver é pra hoje" e "o amanhã pode não vir". Não quero que daqui a alguns anos eu me dê conta que Arthur cresceu e eu nem vi. Eu quero ver sim! Quero participar, compartilhar das brincadeiras, asssitir com ele seus programas preferidos. Eu quero chegar lá na frente e ao olhar pro passado me orgulhar de ter presenciado cada momento seu. Li no blog da Karim e achei muito interessante quando ela diz que nos primeiros anos de vida de nossos filhos a gente fica sempre buscando as primeiras coisas a cerca de tudo: o primeiro banho, o primeiro dente, o primeiro dia de escola, o primeiro tombo, o primeiro tudo! E fiquei orgulhosa... porque eu estou passando por tudo isso... se perco algum momento especial na vida de meu filho é por que eu realmente NÃO POSSO estar lá. Não poder é muito diferente de não querer... E talvez seja por isso que Arthur está num momento chiclete comigo. Eu adoro, devo confessar! Eu sou muito apaixonada por ele mas a recíproca é mais do que verdadeira. Isso não é bom?
E é por isso que se eu tiver que rolar no chão para catar o carrinho que se escondeu embaixo do sofá, eu o farei! Porque ele fica feliz em brincar comigo, EU SOU importante pra ele, pro desenvolvimento dele. E ontem fiquei mais orgulhosa ainda já que veio um texto na agenda da escola em que isso era bem frisado: Do quão importante é para as criança brincar com seus pais...
Vou tentar postar de casa para copiar o texto que eu achei fantástico e que cabe a todos nós que vivemos nesse mundo louco onde tudo é prioridade, exceto se sentar no chão com o filho e se permitir não fazer nada!
E voltando ao sábado, depois de um dia inteiro sem fazer nada, fomos pra festa do Arthur Guedes. Festa simples, daquelas que eu amo com cachorro quente, pipoca e mini pizzas. Se não fosse pela sem noção da animadora que gritava nos nossos ouvidos, a festa teria sido bem agradável. Valeu pela companhia das tias Andrezza, Adriana e Samira, e pelas risadas que demos juntas, mas faltou a presença dos amigos da escola. Diferente da festa do João Pedro, onde a grande maioria dos amiguinhos estavam presentes, na do Arthur Guedes apenas o Gabriel e o Arthur (Leal) compareceram e eu me perguntei se teria sido culpa do feriado ou por ter sido anunciado antes que seria uma festinha muito simples... Tomara que a primeira opção seja a verdadeira...
No domingo fizemos... nada de novo! Arthur acordou às 06:00 da manhã e não quis dormir mais. Por conta disso passei o dia inteirinho caindo de sono e para ajudar, Arthur não dormiu após o almoço. A tarde fomos buscar minha mãe (que ainda estava na minha tia), e foi só no carro que ele tirou um cochilo, e eu também!
.
Diversas
  • Com a chegada do tempo quente, deram banho de borracha na escola. Minha cunhada presenciou e disse ser a coisa mais engraçada do mundo a farra que a criançada faz.
  • Agora tá um tal de e não... mamãe que é bom, nada!
  • Também aponta para o que quer, e se não quer algo vira o rosto.
  • Quando contrariado, se senta no chão.
  • E tudo o que pega, arremessa pra longe.
  • Ganhou uma folha adesiva com todos os integrantes do filme Carros que eu coloquei na porta da geladeira, então toda vez que passa ali, "conversa" um bocado com os amigos Relâmpago McQueen, Mate, Sally e cia.

Ah! Recebemos visitas novas nesse cantinho. Sejam muito bem vindas Denise (de BH - mãe do Arthur de 01 ano e 02 meses) e Claudia (que ainda não tem filhos, mas quando tiver se chamará Arthur Francisco ou Maria Clara). Da próxima vez deixem e-mail para trocarmos figurinhas, ok?

E para finalizar, fomos carinhosamente indicados pela Renata (do Pedro). Agradecemos muitíssimo pela lembrança, viu? E aí vão os meus indicados, por ordem alfabética das meninas e dos meninos. Na verdade eu indicaria mais do que dez blogs. Em cada um deles eu aprendo um pouquinho mais sobre essa aventura que é ser mãe.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Me dá, me dá, me dá... me dá danoninho, danoninho já!

Graças a Deus, desde a última postagem Arthur parou de acordar chorando...
Talvez fosse mesmo dos dentinhos nascendo, mas também levei bastante em consideração o que algumas amigas blogueiras disseram a respeito de sonhos ruins... principalmente porque o choro era sempre muito sentido, e ele parecia custar a se acalmar...
Mas passou... tomara que em definitivo!
Só voltou a dormir mal no final de semana, já que o resfriado voltou no sábado. Mas também pudera, com esse tempo que não se define...
Começou apenas com a velha e chata corisa (E muita, nossa!). Depois começou com o nariz entupido e uma tosse que o fez até vomitar. No final do domingo teve um princípio de febre (que eu logo cortei com novalgina) e que tentou novamente voltar na manhã de ontem, depois de uma noite mal dormida à três (já que ele acordava de 05 em 05 minutos com dificuldade de respirar) e embora a gente revezasse em levantar para vê-lo, a gente acabava acordando junto, até porque o barulho do nebulizador não deixava ninguém dormir.
Achamos melhor não levá-lo pra escola ontem, então recorremos aos cuidados da vovó Quinha, e tirando a secreção no nariz, passou o dia bem. Cuidado de vó é outra coisa, né? Se em casa ele toma 01 danoninho de sobremesa, minha mãe dá dois, porque diz que o potinho é muuuito pequeno, só dá pro cheiro e coitadinha da criança né? Nem preciso dizer que Arthur agradece... Aliás ele anda amando essas guloseimas infantis... No sábado teve aniversário do amigo da escola. Acho tão bonitinho porque na escola as tias se referem sempre ao "amigo": "...Arthur precisou usar a fralda do amigo... Arthur tropeçou na mochila do amigo... O amigo levou a meia pra casa, por engano... " E é assim que elas avisam que "na mochila tem convite de aniversário do amigo" No sábado (01/09) foi do João Pedro. No próximo (08/09), do Arthur Guedes. E é lindo também o encontro dos amigos... Quando chegamos, o João Pedro não queria cumprimentar ninguém, mas bastou ver Arthur no meu colo que abriu o sorrisão e lascou um quase cantado "Rartu Eial!" (que vcs já sabem que significa Arthur Leal né? rs). Arthur ainda não entende muito, na verdade ele não curte tanto os amigos quanto eles o curtem, mas de qualquer forma eu acho lindo ele já ter um "círculo de amizades". Os outros amigos foram chegando: Enzo, Breno, Malu, Arthur Guedes e Gabriel e a cada um que ia chegando, os que já estavam presente faziam a mesma festa. Dali a pouco quase todos estavam pulando na cama elástica, inclusive Arthur, fazendo seu debut no brinquedo favorito da casa de festas. Ali sim, ele se animou. E o olhar que os amigos lançavam um pro outro mostravam que nem é preciso que todos falem, mas que apenas se olhem para ser entendidos. A afinidade entre aqueles pingos de gente me deixou boquiaberta, espantada, orgulhosa (ai sei lá qual a palavra... fiquei mesmo foi babando... quase me derretendo de corujisse...) Foram juntos na piscina de bolas, nas gangorras e algumas vezes um dava a mão pro outro para ajudar a fazer alguma coisa. Enquanto o experiente Enzo ensinava o Arthur por onde ele deveria escorregar, o afoito do Breno atropelava os dois e escorregava na frente. Do lado, as tias Andrezza e Adriana falavam: "cuidado com o amigo, hein!" como se eles estivessem aos seus cuidados (mesmo que a mãe de cada um estivesse do lado!)... Foi a extensão da escola, com certeza! E os fotógrafos amaram porque o encontro rendeu belíssimas fotos que lá na frente o JP vai amar rever. De forma quase inédita eu não levei minha máquina, e infelizmente esse momento eu não pude registrar... snif!
Mas voltando às guloseimas, e ainda falando sobre os amigos, a única coisa que eles comiam na festa era pipoca. Eu sempre tive pavor do Arthur se engasgar e por isso eu fico catando a parte branca da pipoca para dar a ele. Ora bolas, amigo que é amigo dá a pipoca inteira, e foi assim que Arthur comeu pipoca pelo resto da noite. Ou catava do saco de algum amigo, ou o próprio amigo dividia um bocado com ele... e em nenhum momento se engasgou! rs
Se anda apaixonado por pipoca, anda muito mais por danoninho... e é o que justifica o título do post de hoje!
Dou sempre como sobremesa e como já disse aí no início, ele ama! Se não for para dar, não o deixe ver, pois é uma guerra na certa! Como não está tomando gelado, tenho que tirar da geladeira e deixar escondido, até que a temperatura esteja no ponto.
Ontem, após sua janta, dei um. (Foi quando minha mãe disse que após o almoço ela tinha dado dois! Argh! O danado comeu três (!!!) danoninhos em um dia só, e nem sei como não deu dor de barriga!). Mas o engraçado foi que quando terminei de dar (como aquele potinho realmente parece não ser suficiente) ele me tomou o potinho vazio e descobriu que é possível raspar com o próprio dedo. Infelizmente a minha camêra não estava na bolsa, então tive que apelar para o celular (cuja resolução não é muito boa) para registrar o dia em que Arthur aprendeu a não desperdiçar danoninho... Exatamente como eu fazia (e com certeza todos que lerão esse post também já fizeram!)

Só para registrar, ele hoje já voltou pra escola, mas continua tomando decongex e fazendo nebulização antes de dormir.