,

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Eu juro que tenho muito pra contar... juro!

Juro que queria ter tempo de vir aqui e contar tudo o que tem acontecido.
Contar que tem mais de um mês que ele fez um novo exame de sangue. Que foi um sofrimento, tadinho, porque ele já conhece o lugar. Que bastou colocarmos os pés lá dentro pra ele pedir para ir embora... “vamos pra casa mamãe...” “...pro outro lado...” indicando a saída. Que dó, viu? Não houve promessa de nada que fizesse o desespero dele amenizar. Nem de pipoca, que ele ama de paixão. Sorte ele entrar na prioridade e o tempo de espera ter sido reduzido. Entramos e o choro sofrido foi trocado pelos berros e para piorar a situação pegamos uma profissional lerda lerda....
Na semana seguinte o resultado. Triglicerídeos controlados... em 96! Mas o colesterol está pedindo nossa atenção. Não tá muito alto não, mas tá acima do limite permitido: 202 se não me engano.
Quase um mês depois tivemos consulta com a pediatra e como eu previa ela não indicou Nutricionista dessa vez, apenas pediu que controlássemos em casa. Principalmente o leite que trocaremos pelo semidesnatado e seus derivados que serão substituídos pelos lights. Continua com o Fortini (sem sabor) nos alimentos, bem como com o amaranto.
Ah sim! Teve também o dia em que fomos parar no PS por conta de vômitos e febre de 39º sem motivo aparente. Nada na urina. Nada no sangue. Nada na garganta. Ficou no soro com Plasil na veia e foi liberado 3 horas depois. Como os sintomas não voltaram no dia seguinte, concluímos que foi alguma porcaria que ele deve ter comido. Culpa do Dia das Crianças, já que no dia 12 ele ganhou trocentos sacos de doces e eu permiti que naquele dia ele comesse o tanto de guloseima que quisesse.
Teve também a avaliação bimestral, que continua comprovando seu desenvolvimento (ver abaixo).
Também queria contar da nova mania feia, pra que ele veja isso no futuro e sinta vergonha (e me perdoe por ter batido em sua mão com vontade pela primeira vez). A mania? Enfiar o dedo no nariz e lamber depois. Eu sei que toda criança já fez isso na vida. Eu mesma me lembro de já ter feito. Mas não é saudável, pelo contrário, é nojento. Então eu vi uma vez, duas, três... chamava atenção e ele ria. Da última vez trouxe para bem perto de mim, olhei no fundo dos olhos dele e com voz bem firme disse: “Eu já disse que não quero que faça isso...!” e dei um tapa (com vontade mesmo!) na palma de sua mão. Todos em volta olharam (porque nunca me viram fazendo isso) e provavelmente alguns recriminaram. Era na casa de minha cunhada e a família estava toda em volta. Ele fez bico mas não chorou... mas parece ter entendido o recado. Coincidência ou não, nunca mais fez.
E tem também as coisas maravilhosas que vem acontecendo.
O papai Dri e a tia Adriana estão ensaiando um número para apresentação da escola no fim de ano. A música será a da Jamille - Conquistando o Impossível, e como os ensaios são após a natação do pequeno, ele acaba participando dos ensaios também. Então, como ele sabe que eu fico toda orgulhosa, ele já chega em casa cantando o refrão:
“Campeão, vencedor...
Deus dá asas, faz teu vôo...
Campeão, vencedor...
Essa fé que te faz imbatível
te mostra o teu valor!”
Já vi que o dia 17 de dezembro reserva grandes emoções para o cuore dessa pobre mãe.
Ah sim! É ano de formatura! Já viram né?
Queria contar também que ele virou fã de Paula Fernandes. Primeiro cantava a música: “Apaixonados pela lua, lua, luaaaaaaaaaaaa... cheia de mistérios...”
Depois foi conhecendo o DVD todo e vê-lo empolgado com as músicas mais agitadas em que no palco um músico toca sanfona, só me faz confirmar que a música tá mesmo na veia dele. E puxa, como meu pai ficaria orgulhoso em ter um neto forroseiro...
(Algo me diz que Papai Noel trará algo relacionado à música para ele no Natal, ho ho ho.)
Aí no último final de semana, ele me "tirou" do notebook para jogar e eu (derrotada) fui para meu quarto assistir ao DVD da própria. Quando ele ouviu o início do Show largou tudo e veio correndo se juntar a mim. Quando eu digo "veio correndo" entendam dessa forma mesmo, literal. Achei que fosse cair pelo corredor!
A gente percebe que ele AMA de verdade. Virou fã mesmo.

E então eu percebi que exatamente nessa música, que já era a minha preferida, ele faz questão de se aproximar de mim de alguma forma. Seja apertando minha mão, me abraçando, enfim... Virou nossa declaração de amor recíproca. Eu não sei se ele entende o que diz a letra, mas "eu quero ser pra vc a confiança, o que te faz, te faz sonhar todo dia sabendo que pode mais e mais e mais", “... e a cada novo sorriso seu serei feliz por amar vc...” e “... se eu canto é pra vc, se eu vivo é pra você, pra vc...”  é exatamente o que eu quero ser pra ele sempre, assim como: "eu quero ser pra vc a alegria de uma chegada, clarão trazendo o dia, iluminando a sacada...”, " ...eu quero ser sua paz, a melodia capaz de fazer vc cantar” e “quero acordar todo dia pra te fazer todo o meu amor” é exatamente o que ele significa pra mim... querendo ele ou não... rs 
Então... eu ia continuar o post colocando aqui a avaliação dele, mas fiquei sem condições emocionais depois da Paula Fernandes, rsrsrs.
Eu volto depois, juro que volto.
Porque eu ainda tenho muita coisa pra contar...

domingo, 18 de setembro de 2011

Relatório Trimestral

Fiquei sem palavras com o relatório que recebi na última sexta-feira.
Para os que me acompanham, que conhecem o tema dos últimos (muitos) meses por aqui, vão entender fácil a minha falta de palavras.

"É uma criança meiga e carinhosa!
Relaciona-se bem com as professoras.
Com relação a socialização, esta aumentando gradativamente - aos poucos Arthur vem mostrando interesse em estar e brincar com o grupo.
Já não rasga suas atividades, porém, se não tirarmos, ele as rabisca.
Arthur está mais falante e o tom de sua voz está aumentando.
Copia do quadro sem dificuldade, escreve o seu nome completo, mesmo sem o auxílio da chamadinha.
Grafa os números de 10 a 15 e os reconhece.
Lê, grafa e reconhece as consoantes lançadas neste período e palavras simples.
Você é um sucesso!"

E é isso... Lencinho de papel, por favor... :)

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Limões, com a cobrinha encima do "o"

Daquelas coisas que a gente tem que registrar de alguma forma...
Tem uns dias já que eu estava ocupada trabalhando no note e molequinho veio com papel e lápis na mão, se enfiou do meu lado e iniciou sua escrita cursiva ao mesmo tempo que soletrava em alto e bom som no intuito de que eu parasse tudo para prestar atenção. E nem tinha como ser diferente já que a vó também estava presente e acabou sendo testemunha da surpresa que veio...
Ele começou chamando minha atenção: "Olha, mamãe... L - I - M - O - E..." ia soletrando e escrevendo, não se esqueçam...
Deu uma travada e eu desconfiei que fosse pelo fato de ainda não ter aprendido a letra "S" cursiva (hoje ele aprendeu a letra "P") e então eu o ajudei a finalizar a palavra "limões" que sinceramente não sei da onde saiu a ideia...  e a palavra escrita cursivamente por ele ficou "limoes"
Finalizou a palavra? Por mim sim, já estava de bom tamanho... Dei parabéns daquele jeito escandaloso que só nós mães sabemos fazer, agarrei ele e ele me afastou...
- Mamãe... tá errado! Falta a cobrinha encima do "o"!
Então... alguém me diz onde/quando/como foi que ele aprendeu a acentuação de palavras?

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Avaliação individual

Na segunda feira teve reunião escolar. Adriano quem foi.
Falaram sobre as letras trabalhadas no bimestre, como devemos ajudar as crianças na relização das atividades, sobre a formatura no final do ano e consequentemente sobre os gastos.
Devem ter falado sobre muitas outras coisas, mas sabe como é né? Meu marido não é dos mais detalhistas para me contar tudo.  
Fiquemos com a avaliação individual do molequinho.
S = Sim
N = Não
ED = Em Desenvolvimento
NT = Não Trabalhado
.
LINGUAGEM ORAL
Organização de ideias e pensamentos
Relata fatos já acontecidos - ED - ED
Pronuncia corretamente as palavras - ED - ED
Possui vocabulário adequado à idade - ED - ED
Cria uma história oralmente - N - N
Identificação das letras
Reconhece as letras cursivas minúsculas e maiúsculas apresentadas no bimestre - ED - ED
Identificação das junções
Reconhece as junções apresentadas no bimestre - ED - ED
Identificação de palavras simples
Reconhece palavras simples apresentadas no bimestre - S - S
.
LINGUAGEM ESCRITA
Treino OrtográficoSegue movimentos direcionais (pontilhados ou não) - ED - ED
Desenvolve movimentos direcionados da esquerda para a direita - ED - ED
Grafia das letras cursivas
Escreve as letras minúsculas e maiúsculas cursivas apresentadas no bimestre - ED - ED
Grafia de palavras simples
Escreve palavras simples apresentadas no bimestre - ED - S
Nome
Identifica seu nome - S - S
Escreve seu nome corretamente - ED - ED
Coordenação Visomotora
Copia do quadro corretamente - ED - ED
Utiliza a tesoura adequadamente - ED - ED
.
MATEMÁTICA
Numerais de 0 a 9
É capaz de seriar os numerais apresentados no bimestre - ED - S
Escreve os numerais trabalhados no bimestre - ED - S
Numerais de 10 a 20
É capaz de seriar os números apresentados no bimestre - NT - ED
Escreve os números trabalhados no bimestre - NT - ED
Tamanho
Identifica objetos quanto ao tamanho - NT - ED
EspessuraReconhece espessuras distintas - NT - NT
Conjunto
Possui noção de conjunto - NT - ED
Representa graficamente a quantidade de elementos de um conjunto - NT - ED
Textura
Reconhece texturas distintas - NT - NT
Formas Geométricas
Identifica objetos quanto à forma
Cores
Indentifica objetos quanto à cor - ED - ED
Reconhece as cores trabalhadas no bimestre - ED - ED
.
NATUREZA E SOCIEDADE
Percepção Olfativa
Percebe dores distintos - NT - NT
Percepção Gustativa
Identifica alimentos doces, salgados, amargos - NT - NT
Percepção Auditiva
Localiza a direção do som - NT - ED
Percepção Tátil
Reconhece temperaturas distintas - NT - ED
Corpo humano
Nomeia as partes do corpo - ED - ED
Reconhece as partes do corpo - ED - ED
Convivência
Respeita as diferenças entre as pessoas - ED- ED
Percebe a importância da instituição social família - ED - ED
Percebe a importância da instituição social escola - ED - ED
Criatividade
É capaz de criar objetos com materiais diversos - ED - S
Percepção visomotora e visual
Faz desenhos em formas - ED - ED
Separa massas de modelar em pedaços, criando formas diversas - ED - S
.
INICIAÇÃO MUSICAL
Executa movimentos propostos de acordo com a pulsação da música - ED - ED
Respeita  o momento de iniciar e parar de tocar e cantar - ED - ED
Identifica sonoramente alguns instrumentos de percussão -ED - ED
Canta e toca instrumentos de percussão, em conjunto - NT - ED
.
EDUCAÇÃO FÍSICA
Tem noção de em cima, em baixo - ED - ED
Salta sobre obstáculos - ED - ED
Corre em variadas - ED - ED
Executa movimentos que exigem atenção e memória - ED - ED
Consegue ultrapassar com agilidade obstáculos - ED - ED
Coopera nas atividades com ideias e sugestões - ED - ED
Participa ativamente nas atividades - ED - S
.
INICIAÇÃO À LINGUA INGLESA
Apreciação à lingua inglesa
Interage nas dinâmicas - ED - ED
Apresenta boa pronúncia - N - ED
Canta as músicas ensinadas - S - S
.
ATITUDES GERAIS
Entra na escola com tranquilidade - S - S
Participa das atividades propostas - ED - ED
Ajusta-se com facilidade às situações da rotina escolar - ED - ED
Apresenta reações de medo - ED - ED
Aceita, com tranquilidade, os limites da rotina escolar - ED - ED
Apresenta constância de humor - ED - ED
Apresenta independência na resolução de problemas - N - N
Apresenta dificuldades em expressar suas emoções - S - S
Permite o uso de seu material escolar pelos colegas - ED - ED
É cuidadoso com seus objetos pessoais - ED - ED
Veste-se sozinho - ED - ED
Desenvolve uma atividade com início, meio e fim - ED - ED
Mantem-se atento às explicações da professora - ED - ED

Dia dos pais

Foto tirada na festa dos pais na escola.
Diz se não tem muito amor sobrando entre eles?

Das últimas notícias

Eu já falei aqui que Arthur está com mania de roer unhas?
Aí eu segui a técnica dada pela pediatra quando ele ficou com uma outra mania - de pigarrear o tempo todo (era para ignorar porque quanto mais alertássemos, mais ele faria).
E então eu fiquei até a consulta ignorando a roeção de unhas. Quando cheguei no consultório e falei (crente que tava bafando) que tava ignorando direitinho, a Mônica me fala: "É... mas não se usa essa didática para essa mania não... Porque se viciar, danou-se! Tem que intervir, Sandra! Mandar tirar a mão da boa, nem que isso custe meses repetindo a mesma coisa pra ele..." Viu só como não existe fórmula? E como cada caso é um caso?
E ele já tava entrando na fase de enfiar o pé na boca, pois não tinha mais unhas para roer nas mãos.
E a intervenção já está dando resultados. Quando ele enfia a mão na boca e nos passa despercebido, ele mesmo nos lembra: "Tira a mão da boooooca..." e já fala rindo...
Sim, ele tá muito falante.
E já é capaz de relatar fatos específicos que acontecem na casa da avó ou na escola. O que comeu, o que lanchou, do que brincou com o Cauã, qual a letrinha que a tia está trabalhando...
Ainda não é capaz de manter um diálogo longo, mas só em me deixar saber como foi seu dia já me dá tranquilidade.
Estamos colecionado o álbum "Carros 2" e ele vasculha minha bolsa todo santo dia a procura de figurinhas. "Trouxe figurinha, mamãe?" e ainda que eu diga que não, ele faz o favor de revirar o bolso interno da bolsa (que foi onde ele viu que eu guardei quando comprei na primeira vez) e complementa: "Ah, não trouxe..."
Eu ganhei o DVD da Paula Fernandes e coloquei para tocar enquanto trabalhava no computador no quarto. No dia seguinte ele tá cantarolando: "Apaixonados pela lua, lua, luaaaaaaaaaa... cheia de mistérios...". Eu quase o matei sufocado de tanto que apertei quando identifiquei qual era a música. E agora pronto! Virou o nosso DVD porque basta me pegar sozinha no quarto que ele me faz colocar e me obriga a deitar com ele pra assistirmos juntos. É muito amor!
Já vai ao banheiro sozinho, sem que eu precise ficar vigiando se ele tá sambando com a preguiça maior que a vontade de ir. Raramente, muito raramente escapa um #1 ou #2.
Está numa fase muito apaixonada pelo primo Cauã. Dá gosto vê-los brincando de lego, construindo escadas gigantescas, estradas ou foguetes com as peças. E interagem. E criam histórias. E sei lá porque eu me emociono com uma coisa tão simples do mundo infantil...
Semana retrasada ele ficou dodói. Vômito e febre. Fomos ao PS, seguiu direitinho a orientação do médico para abrir o bocão e ficou furioso com a injeção de plasil no bumbum. Diagnóstico: Garganta inflamada e sinusite. 14 dias de antibióticos para o tratamento que acabou na semana passada. 14 dias de briga para dar o CLAVULIM BD cujo sabor ele detestou.   

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Só para tirar a poeira

Sem desculpas, né?
Ando sem inspiração e é só isso. Ponto.
Vou colocar em resumo o mês de julho só para não me arrepender no futuro caso Arthur me questione o que foi das férias dele no ano de 2011...
- Último dia de aula e teve festa do dia das avós. Arthur dançou/encenou "A Linda Rosa Juvenil" e a ele coube o papel de rei. Dava tudo pra vê-lo em ação "... um dia veio um belo rei, belo rei, belo rei..." e então o porteiro da escola gentilmente filmou para o Adriano (já que este esqueceu de levar a máquina), mas até hoje não emprestou o cartão de memória para eu copiar a apresentação...  
- Arthur de férias e indo todos os dias para a casa da vovó Quinha. Nas duas primeiras semanas muita brincadeira com o primo Cauã. Na última semana apenas a TV lhe fez companhia. #nãogostonadadisso 
- Arthur de férias e eu sem tempo de fazer qualquer programação que seja com ele.
- Arthur de férias e o pai sem tempo de fazer qualquer programação com ele, apenas na última sexta-feira conseguiu levá-lo para assitir "Carros 2". Que ele amou! (Enquanto eu sofria do escritório querendo estar com os dois!).
- Papai comprou o álbum de figurinhas do mesmo tema e todo dia ele pergunta se tem figurinhas para colar.
- Arthur de amores com o livro "Menino Maluquinho". Toda noite pede para eu ler o livro para ele.
- Arthur teve consulta com a pediatra e aos 5 anos e 5 meses pesou 15,300 g e mediu 106,5 cm. Cresceu e engordou! Ela autorizou o Toddynho desde que com leite semidesnatado. Pediu novos exames que serão feitos em setembro/11. Passou remédio para verme e ele já tomou. Além disso continua com o Ultrafer, Nutrinfan e o Nasonex.
- Acabaram-se as férias e Arthur hoje voltou às aulas.
- E fim.
PS para mim mesma: "Prometo que em dezembro tentarei dar férias mais legais para ele..."

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Primeira vez em um jogo de futebol

Tá. Não foi num FLAxFLU e em nenhum outro jogo de times populares. Foi num jogo beneficente que aconteceu no Estádio Laranjão, do meu querido Nova Iguaçu. O Laranjão fica do ladinho da minha casa e por incrível que possa parecer eu nunca tinha ído lá dentro.
Foi um jogo beneficente promovido pelo Zinho (ex seleção brasileira, que é morador de Nova Iguaçu e agora é um dos diretores do clube de lá) contra os veteranos do Botafogo. Entre os amigos do Zinho estavam Bebeto e Junior Baiano. Entre os veteranos do Botafogo estavam Mauricio, Donizete e Gonçalves.
Não poderíamos escolher melhor ocasião. Dia fresco. Campo vazio, sem tumulto. Uma grande brincadeira.
Arthur curtiu. Na hora do gol do Nova Iguaçu ele comemorou junto com a gente. Enfm... Foi uma tarde muito gostosa tanto pra gente quanto pras crianças (minha cunhada também levou meus sobrinhos) e de quebra ajudamos a Apae já que a entrada era 1 kg de alimento não perecível.
Na falta da camisa laranja do Nova Iguaçu (nosso 2º time de coração, rsrs), lá fomos todos de Flamengo, 2º time (quiçá o 1º!) do Zinho, o anfitrião da festa.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Festa Junina na escola

Tô um cadinho atrasada, como sempre, pois a festa aconteceu na semana retrasada.
Mas ainda vale registrar aqui o quanto meu filho entra no clima em se tratando de eventos escolares.
Ele já vinha ensaiando conosco (eu, pai, avós, tias) a coreografia que iria dançar:
"Anarriê, anarriê
Tem rojão pra todo lado e eu no escurinho com você
Anarriê, anarriê
Morena tome cuidado que seu pai não pode ver..."
e pelo que eu entendia nos ensaios dessa vez ele dançaria com um par, o que já achei fofo.
Aí na última semana antes da festa ele começou a ensaiar outra música:
"Alô galera bate a mão e bate o pé,
e bate o pé
e bate o pé..."
E eu achei estranho mudarem a coreografia de um dia para outro, mas enfim... algo deve ter acontecido, pensei.
Minha mãe fez a camisa nova na quinta feira e no sábado pela manhã eu remendei as calças e fiz uma gravata, imaginando qté que ele não fosse querer usar, porque ele não gosta de acessórios, inclusive chapéu.
Na hora de arrumá-lo eu toda no disfarce para colocar a gravata e quando ele percebeu, ao invés de encrencar até se posicionou melhor e bastou o pai perguntar pelo chapéu (que eu nem tinha tirado do armário) que ele imediatamente colocou na cabeça. #vaientender  
Só não quis deixar pintar, mas aí também já é querer demais né?
Chegamos lá e, como sempre, ele super bem recebido por toda a equipe. Alguns que eu nem conhecia ainda.
Na primeira parada vem uma profesora de outra turma: "Arthur! Você chegou!" e se virou pra mim: "Mãe, vou pegar ele emprestado hoje, tá?"
E aí me explicaram. Além de dançar na turma dele, ele também foi "escalado" para dançar com o Jardim I, por falta de menino na turma de lá. Estava explicado o ensaio de última hora. rs
Esse ano a escola caprichou na escolha do local da festa, então tinha muito espaço e até parquinho pra eles curtirem antes das apresentações. Além disso, ele brincou de tudo que havia disponível: pescaria, boca do palhaço, desafio e ganhou muitos brindes.
[Na pescaria]
 [Na boca do palhaço]
 [No desafio]
 [Brincando]
 [Fazendo pose para foto]
 [Óia Nóis!]
 [Com as amigas de turma]
Todas as fotos aqui.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Soltando pipa

No último final de semana Arthur aprendeu a curtir pipa.
Influenciado pelo primo Cauã, a onda do momento é ficar no quintal da Vó Quinha procurando pipas presas nas árvores.
O primo achou uma pipa. Velha. Rasgada. Sem rabiola. E ele veio me pedir uma também.
Sem saber o que responder, o máximo que fiz: "Liga pro seu pai e pede pra ele comprar".
Ele pegou meu celular como quem diz: "Liga aí que eu falo". Acatei.
O pai atendeu e ele falou: "Papai... pipa Cauã... compra pra mim?"
E então o pai trouxe uma pipa para Arthur e outra igual para o Cauã, com linha e rabiola. Completinhas.
Tá... e vai soltar aonde? A pipa ficou lá o resto do sábado, enfeitando a mesa da sala de jantar.
No domingo o pai saiu pra fazer um trabalho e lá fui eu, improvisar um "soltar pipa" no minúsculo quintal que temos, entre a piscina e a garagem da sogra.
E deu certo.
Os poucos centímetros de linha que soltei foram suficientes para a pipar voar sobre sua cabeça e ele morrer de rir. Ele corria e a a pipa voava...
Foi revigorante curtir com ele mais essa emoção...
É molequinho virando menino grande.
E o pai já prometeu que vai soltar pipa de verdade com ele no próximo final de semana.  

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Curtinhas

Ontem estávamos deitados, curtindo a preguiça de quem acaba de chegar do trabalho/natação.
E então ele me mostrou um ralado minúsculo na perna que aconteceu no último final de semana e já está até seco... "machucado mamãe... colocar "baneide"!"  
Baneide... Baneide... levei alguns segundos para entender que na verdade ele queria dizer: band-aid.
E então incentivei o diálogo e continuei: "Puxa... é mesmo, tá machucado... mas onde tem band-aid pra gente colocar?"
E ele: "Está lá! Do outro lado!" apontando para o quarto dele, que é onde fica o band-aid, no seu armário.
Levantei e fui com ele, pegamos o band-aid e colocamos no "enorme" ferimento.
Ele todo orgulhoso e cheio de cuidado com o joelho (passou até a mancar... rs) foi direto mostrar pro pai: "Machucô, pai... botô baneide pra ficar bom..." 
Só para registro, até ontem ele tinha total aversão à band-aid. Quando precisa tomar sangue não é da injeção que ele chora, é do band-aid...
Enfim... vá entender...
***
E também ontem, eu perguntei (como sempre pergunto e nunca tenho resposta) o que ele fez na escola.
Ele continou sem dar a resposta.
Mudei a pergunta: "Mas o que a tia Adriana ensinou? Qual foi a letrinha que ela ensinou?"
E então como que num estalo ele me respondeu:
"G! G de gelatina!" 
***
É meu menino se desenvolvendo de forma galopante.
Cada dia uma pequena novidade. 

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Toddynho

Desde o início do tratamento com a Kenia, quando ela sugeriu que tirássemos a mamadeira pois isso era um fator que influenciava no atraso da fala, Arthur deixou de tomar leite.
Ele simplesmente não associava que leite poderia ser bebido em copo. Não aceitava e pronto.
Tentei canudo, copo com válvula, sem válvula e nada. Sem sucesso.
Tentei mingau de cremogema, de farinha láctea, leite com nescau, com nesquick, com mucilon, puro... e nada.
E então veio o desespero, porque na idade dele o leite é importante e ele simplesmente não queria tomar.
Também não podia voltar com a mamadeira, seria retroceder nas etapas e ela já tinha sido condenada pela fonoaudióloga.
Então a pediatra sugeriu que usássemos suplementos alimentares no suco de soja, a única coisa que ele passou a aceitar em substituição à mamadeira e que substituíssemos o leite pelos seus derivados: iogurtes, queijos etc.
Mas aí veio o problema com as taxas de triglicerídeos e os iogurtes foram limitados, os bolos idem. Tudo que levava leite naquele momento parecia ser prejudicial às taxas.
Enfim.
As taxas se normalizaram, ele voltou a comer os derivados do leite, mas ainda assim o fato de "não tomar o leite" me incomodava. Até que fomos no aniversário do Gabriel e a Tati deu de brinde uma lancheira que entre outras coisas vinha uma caixinha de toddynho. Tudo o que é diferente atrai, né? E óbvio que ele quis experimentar. E gostou. E chegou no mercado na semana seguinte e despejou algumas caixinhas no carrinho. O estoque acabou e eu resolvi arriscar em comprar o pó ao invés de comprar a caixinha pronta, e na manhã seguinte ofereci no lugar do suco. O copo de leite + o toddynho + o suplemento e então fez-se o milagre! Ele aceitou! E tomou tudo! E agora faz festa toda manhã porque "tá na hora do toddynho"! 
Vai entender cabeça de criança, né? Eu havia oferecido no passado, cheguei a brigar para ele aceitar e era como se eu estivesse oferecendo um copo de boldo...
Agora só resta saber da pediatra se também posso dar a noite, antes dele domir. 

    

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Das coisas que emocionam...

Ontem minha mãe amanheceu com crise renal. Como nem eu e nem Adriano sabíamos que desde o dia anterior ela já vinha sentindo dores leve, Adriano acabou levando Arthur de manhã para a casa dela, como já faz habitualmente.
Quando Adriano passou para levá-lo para a escola, no mesmo carreto a levou pro PS e foi quando ela contou pra ele, o que também me contou no final do dia. 
Que na cozinha falou pro Arthur: "Meu amor, vovó tá dodói..."
Que ele a abraçou bem forte ali mesmo na cozinha, depois a pegou pela mão, a levou em direção ao sofá e disse: "Deita vovó"...
Que ela deitou e ele deitou sobre a barriga dela.
Que fez carinho na sua barriga e foi falando: "Fica boa, tá vovó? Fica boa..."
Minha mãe disse que chorou de emoção... E eu também, quando ouvi.
Não é um fofo?

Em tempo, Quinha foi medicada e passa bem. E recebeu orientação de procurar um urologista o mais breve possível. E na falta de ter com quem ficar, Arthur hoje também ficou com ela. Espero que tome conta da vó de novo. rs

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Sobre a escola e sobre a fono.

Ainda na festa do dia das mães, eu perguntei Tia Adriana como andava a interação do menino.
Ela disse que vê melhoras, de forma tímida mas vê.
Que ele ainda não chama o amigo pra brincadeira, mas sempre que ela intervém, a interação acontece.
Que algumas coisas ela não entende:
- que quando a música está envolvida ele interage melhor.
- que ele às vezes ri do nada.
- que ele não tem obedecido a nova auxiliar.
- que ele tem essa "inteligência" acima do normal.
E na festa da escola eu pude presenciar que de fato o relacionamento dele com as crianças da escola é totalmente diferente do que eu vejo em casa.
É como se ele não se interessasse por aquelas crianças... como se todos eles já tenham seus próprios grupinhos e ele fique excluído, me entendem? Óbvio que não é proposital, eles são muito pequeninos para isso. E de repente nem são eles que excluem o Arthur. Pode ser o inverso também e eu não saiba identificar... Enfim... É algo que de fato eu não entendo. Porque chega na minha mãe e ele corre atrás do primo Cauã. Se ele não está, Arthur pergunta por ele. E brincam com o avião que o primo faz para os dois. E pintam desenhos juntos. E constroem cabana na beliche do quarto do meu irmão. E se escondem dos adultos e morrem de rir quando a gente os acha. E brincam os dois de pique esconde. De pique pega.
Com a prima menor, Hellen, a mesma coisa. Dia desses estavam se agarrando, brincando de dar susto um no outro. Ambos morrendo de rir. E eu rindo e chorando também. De alívio. Por achar linda a amizade deles. Por outro lado confusa. Não deveria ser assim também com os amigos da escola que ele tem até mais contato? Vai entender...
Ano que vem ele vai para o 1º ano, ano de alfabetização. Sinceramente tenho pensado seriamente se já não é a hora de experimentar novos ares. Novos amigos. Sei lá! De repente começando do zero com uma turminha nova aumenta a chance dele de fazer amigos. Alguém uma vez me falou dele já estar num círculo vicioso. Dele já ter sido rotulado pelos próprios amiguinhos: "aquele ali é o Arthur, o menino que não gosta de brincar com a gente..." mais uma vez repetindo: é óbvio que eu sei que não é de propósito. Que uma criança de 5 anos não vai criar esse tipo de estereótipo... 
Mas aí vem o medo. Medo de tirá-lo de um lugar que ele já tem segurança, onde ele já é conhecido para um lugar novo. E pior, que nada mude. Ou pior, que tudo piore. Aff! Muitos questionamentos....     
E então na última consulta a fono perguntou para o Adriano como andavam as coisas na escola. Como é muito complicado para a gente explicar o que a gente não presencia ou não consegue entender, eu acho que ela optou por ela mesma ligar, pois na terça feira a secretária dela me ligou pedindo o número da escola. Por enquanto ninguém falou nada.
Hoje tem consulta e Adriano está levando a última avaliação bimestral e alguns vídeos para ela dar uma olhada. Provavelmente ela deve falar se ligou (ou vai ligar) para a escola e o desmembramento do assunto.
E eu de antemão já vou pedir Adriano que agende um papo com ela, porque eu acho que só ela mesmo vai me dar as respostas que preciso. 

segunda-feira, 16 de maio de 2011

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Páscoa... Dia das Mães

Então...
Seguindo a ordem de acontecimentos, aproveitamos a Semana Santa e viajamos para a Região dos Lagos.
O propósito era me desligar (um cadinho) do trabalho e até teria dado certo se eu não tivesse levado na minha bagagem, além de roupas e biquines, tesoura, moldes e feltros para eu continuar produzindo os Srs. e Sras. Cabeças de Batata. Adiantei um bocado e eles voltaram relaxados e bronzeados como eu. rs
A manhã do domingo de Páscoa foi animada e coelhinho foi até lá nos visitar. Generoso que só, deixou 3 ovos para o Arthur!
Em casa ele também passou e quando chegamos à noite, exaustos com a viagem de 5 horas (bendito engarrafamento!) mais um batalhão de chocolate nos esperava.
O saldo? Dois potes imensos com pedaços dos ovos que quebrei e mais um baleiro lotado de bombom.
Bom receber visitas nessa época que não resistem e devoram o pote antes de você. Eu adoro! Todos engordando no meu lugar... rs
Após o final de semana de relax quase total, uma semana pauleira para ninguém botar defeito. Saindo de casa às 05:40, trabalhando até às 16:30h, indo pra casa da sócia fazer Batata até às 22:00, seguindo pra casa pra fazer os IR dos que deixaram pra última hora e indo dormir depois das 00:00 com o relógio agendado para despertar novamente no mesmo horário no dia seguinte. E desses cinco dias punks, dois ou três eu nem vi meu filhote acordado. De doer na alma. A parte ruim, negra, de acabar com o humor de qualquer um. Mas foi escolha minha né? É para o nosso bem ($$), financeiramente falando.
A parte boa? Cumprir o prazo! Terminar! Saber que o Atelier será visto em dois novos estados e meu esforço vai trazer alegria a pelo menos 100 crianças.
Depois disso, três dias de folga. Pra chegar em casa sem compromisso com nada. Só pra agarrar muito moleque magrelo que, segundo minha cunhada, é outra criança perto de mim. É feliz. É falante. Tem bom humor. E o coração aperta mais um cadinho pela semana que mal acabou e eu prometo tentar fazer diferente na próxima grande encomenda... Antes de respeitar o tempo alheio é preciso respeitar o meu. Tem coisas que não há dinheiro que pague... mas enfim... há de se achar um meio termo.
Partimos para o Dia das Mães. Arthur aplicado que só já ensaiava aos quatro cantos da casa a coreografia que dançaria na esola. Como que uma afronta pelos dias em que ele foi dormir se me ver, ele cantarolava: "Não dá, não dá, pra ficar, pra ficar, sem te veeeeeeeer... sou 100% você!" #miemociono
E lá fomos nós para uma sexta feira super animada no pátio da escola onde eu descobri que tenho um chicleteiro embaixo das minhas asas e mais uma vez meu coração bateu "orgulho - tun - nun - nun"
100% você
Lê Lê Lê Lê Lê Lê Lê Lê...
Lê Lê Lê Lê Lê Lê Lê Lê...
Um céu sem estrelas
Uma praia sem mar
Amor sem carinho
Romance sem par
Carnaval sem festa
Um jardim sem flor
É assim que eu me sinto
Longe do seu amor...
Como enganar o coração
Tão ligado nesse amor
Como viver a minha vida
Sem teu jeito sedutor
Não dá mais prá segurar
Tô viciado em você...
Não dá...Não dá...
Prá ficar
Prá ficar
Sem te ver
Já estou ficando louco
Não dá...Não dá...
Prá ficar
Prá ficar
Sem te ver
Sou 100% você!
Lê Lê Lê Lê Lê Lê Lê Lê...
Lê Lê Lê Lê Lê Lê Lê Lê...
Estrada sem rumo
Saudade sem dor
TV sem novela
Arco-íris sem cor
Chiclete sem Nana
Verão sem calor
É assim que eu me sinto
Longe do seu amor...
Como enganar o coração
Tão ligado nesse amor
Como viver a minha vida
Sem teu jeito sedutor
Não dá mais prá segurar
Tô viciado em você...
    
Gente, essa música foi de propósito... Só pode ter sido.
 Ele cantava e dançava me olhando como se estivesse dizendo "tá entendendo né, mamãe? que isso nunca mais se repita!". E pulava feliz da vida porque sabia que eu entenderia o recado!   

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Voltarei a ativa, juro!

Acho que nunca fiquei um mês inteiro sem postar...
E hoje ainda não será definitivo.
Voltei de férias e isso aqui estava uma loucura... Todos os IRs que faço estavam acumulados e como se não bastasse o atelier está bombando (Thanks God!). Acho que alguém anda nos patrocinando no google porque de março para cá é taaaanta gente mandando orçamentos e fechando pedidos que tenho me sentido mergulhada num oceano de coisas para fazer, tendo que voltar a deriva por muito pouco tempo para pegar fôlego e voltar de novo.
Se eu estou reclamando? Óbvio que não! Eu tô amando loucamente participar da realização de sonhos. Porque os últimos projetos deixaram de ser apenas caixas individuais. A gente começou a fazer parte na montagem de festas com lembranças e a parte gráfica da festa e nossos produtos estão saindo das nossas vistas e alçando vôos mais longos. Já foram para a Região Serrana, para Lauro de Freitas/BA, seguirão na próxima semana para Sampa e estamos em negociação com uma encomenda que irá para Manaus!
Quando sobra um tempinho (ou melhor, quando eu me obrigo a parar) é para pegar molequinho e me desligar do mundo digital. E é o que farei hoje quando sair daqui. Aproveitaremos o feriado para curtir o sol de Cabo Frio.
Então é isso.
Eu volto direito assim que der...
Para não dizer que não falei do Arthur, as últimas são:
- Adora ouvir estórias e as repete 1457 vezes depois.
- Dia desses veio da escola com a brincadeira: "Meus pintinhos venham cá... tenho medo da raposa... a raposa já morreu... é mentira da senhora... (até chegar a hora do) querem milho???... SIM!!!!!!!!! para correr na nossa direção e nos dar um abraço bem forte.
- E, para fechar, a última mania que a vovó Olympia colocou: após o jantar, uma colherzinha de "leite começado" nome carinhoso que ele deu para o leite condensado, rsrsrs
Feliz Páscoa para vocês!

sexta-feira, 18 de março de 2011

Costureira é meu nome

Então...
Aí desde segunda eu tô em casa curtindo minha vida de "acordar sem saber ao certo o que fazer" já que desde janeiro a Lucia voltou para dar um jeito na casa uma vez por semana - depois que me esforcei para decorar o mantra: "ruim com ela, pior sem ela".
Então...
Aí eu decidi colocar a mão na massa nas coisas que sempre empurrei com a barriga por falta de tempo... e de coragem... rsrsrs
A primeira providencia foi dar um jeito na porta do meu armário de cozinha que caiu e Adriano enrola, enrola e não compra novas dobradiças.
Peguei um dos tecidos da minha coleção (sim, minha perdição atual tem sido comprar pedaços de tecidos, sempre 1/2 meio de cada) que por acaso tinha 01 metro e depois de medir daqui e de lá criei coragem e cortei para fazer um cortina. 
Que eu comprei influenciada pela Fernanda Reali, uma fofa, com quem aprendi a reaproveitar de um tudo no lixo. Graças a ela eu estou com minha geladeira repleta de garrafas de iogurte que não tenho mais coragem de jogar no lixo (e que ainda não descobri no que elas podem se transformar)... Nem prato de isopor. Nem tampa de amaciante. É... eu virei A LIXEIRA graças a ela...
E foi no blog dela que eu fui contemplada com uma lousa magnética que é a coisa mais fofa do mundo... 
Enfim, foi lendo a Fernanda que cheguei em outro blog.
Eu já falei aqui que minha mãe é costureira, né? E minha sogra também...
Mas não foi por influência de nenhuma das duas que me bateu a vontade de costurar não...
A culpa é dessa moça aqui, que dá dicas de decoração e ensina a fazer coisinhas fofas e fáceis que até quem nunca teve contado com tecido e tesoura é capaz de fazer...
E é minha vizinha acreditam? Daqui a pouquinho ela tá fazendo sucesso no Jô ou na Ana Maria Braga e eu espero que ela não se esqueça que a fã mais próxima mora aqui pertinho dela... hahahaha
E foi vendo as cortinas que ela já fez pra família inteira que eu criei coragem para fazer a minha! E consegui! 
Ok! Alguns vão dizer que para quem faz artesanato, costurar é só um detalhe... mas não é não, tá? Para mim costura SEMPRE foi um tabu. Ainda que minha mãe tenha tentado, láááááá no passado, me ensinar a fazer um costura reta. Sem sucesso, coitada...
[a cortina e a galinha, ambos inspirados no blog da Rejane]
Depois que terminei a cortina pensei: "preciso colocar outro detalhe desse tecido na casa para parecer que eu decorei assim porque quis, e não porque precisava esconder os mantimentos." 
E então fiz um bandô pra janela. Fácil, fácil... emendei dois tecidos na mesma largura e fiz a bainha larga para passar o varão...
 Dia seguinte eu acordo e ainda vejo um tira do mesmo tecido. E dali nasceu um pano de fogão! Com direito a babado e passa fita! Esse foi difícil viu? Mas consegui!
E então sobrou um retângulo, que eu dobrei ao meio e transformei num quadrado e com um pedaço de manta acrílica no meio e mais um pedaço de pano de prato que eu abandonei no meio do caminho e transformei num bate mão. Esse também foi difícil... por muito pouco eu não costurei tudo do lado errado. Sorte que a Rô chegou e consertou antes da merda estar concretizada. Hahaha
E foi bom ela chegar na hora porque ainda tive que ouvir gracinha: "Huum... quem fez isso? Quinha ou D. Olympia?" (minha mãe e sogra, minhas respectivas costureiras).
E então fui dormir feliz... e acordei feliz... correndo pra cozinha de boneca que eu mesma fiz pra mim!
Num ficou uma gracinha? Ficou sim.
Ah, sim! Para quem tem pavor de costuras retas, zig zag é o que há!!!!!! rsrsrs

Voltei

Depois de 5 dias de chuva e mais 5 dias de sol, voltamos. E quer saber? Eu bem que gostei da chuva... serviu pra descansar, curtir pimpolho e andar na cidade ao invés de só acordar e ir pra praia.

Arthur só se fantasiou uma única noite, mas fez um sucesso danado...
Era um tal de: "Olha o Woody!", "Oi Woody, te vi no cinema", "Ah que gracinha... o Woody" que de fato compensou a fantasia não ter sido usada no niver... rs
E ele na maior questão de colocar o chapéu... 
Até mesmo no baile de carnaval da escola, que aconteceu na quinta feira antes de viajarmos e eu mandei a fantasia na mochila ainda sem saber se ele colocaria ou não.
Quando cheguei na escola e perguntei ainda na secretaria, uma das professoras apareceu por lá e me respondeu: "O Woody? Ah tá lá sim! De chapéu e tudo!"
Esse ano não teve para o "KaiBem"... a bola da vez foi o "Cremosinho", um danone congelado que ele não podia ver que ia atrás.
Assim como sorvete, que a gente não podia passar em frente a sorveteria que éramos obrigados a fazer um pitstop.
Também aprendeu a comer empada de queijo, e descobriu o tanto que sou apaixonada por açaí. "Quer açaí, mamãe?"  ele perguntava sempre que via alguém passar vendendo...
E comi, viu? Nossa, como comi! rsrsrs

Devo ter engordado uns três quilos.. abafa!
Infelizmente a água estava com algas e só limpou nos três últimos dias e por isso não fiz muita questão pelo fato dele ter preferido ficar na areia brincando de castelo a mergulhar...
Enfim... cada um se diverte como gosta não é?
Foram dias de paz e eu descansei o tanto que precisava.E mereço!
Todas as fotos aqui.

quarta-feira, 2 de março de 2011

De bolinhas

Faz tempo que não venho. Falta de vontade, falta de tempo, falta de ter o que falar.
Entrei de férias na segunda e na sexta beeem cedo estou partindo denovoemaisumavez para o paraíso de todos os anos, Cabo Frio/RJ.
Reuni algumas notícias apenas para manter o blog atualizado. Totalmente sem inspiração, não reparem.
  • Teve reunião da escola ainda no mês passado. Apenas para ser apresentada à nova professora, Tia Dri, que já conhecemos de looonga data (para quem não sabe, tia Dri foi a primeira professora do Arthur - na verdade na época ela era auxiliar - e os dois têm uma relação profunda de afeto. Ela, carinhosamente, o chama de filho). Arthur continua indo à frente do que é ensinado e ainda tem resistência em brincar com o grupo. Prefere a companhia dos mais velhos, inclusive tias e auxiliares.
  • Na semana seguinte a professora de inglês (ou de música, sei lá) avisou na agenda que ele mordeu um amigo, sem motivo aparente, e que ela chamou sua atenção de que aquilo não seria legal. Sei lá da onde surgiu isso, pois ele nunca mordeu ninguém. E nem está mais em idade pra isso, né? Ao chegar em casa, sentei com ele e conversei. Tomara que tenha sido um fato isolado, e de qualquer forma, o fato não se repetiu.
  • Na segunda-feira Adriano chegou da escola com mais uma novidade: Fez mal criação para a tia Dri e rasgou a folha de atividade. Alguém pelamordedeus me diz o que está acontecendo? Tá, ele não é perfeito... mas em quase quatro anos de escola eu nunca ouvi esse tipo de reclamação. Rebeldia agora que tá virando um rapaz??? Digam que é fase, pleeeease!
  • Ontem fui buscá-lo e perguntei pra tia Dri sobre esses fatos que estão acontecendo e ela disse que também não está entendendo a mordida e a malcriação, mas me tranquilizou com uma excelente notícia: ontem mesmo estava brincando com dois amiguinhos. Sem interferência de ninguém. Já ajuda a acalmar o coração, né? rs
  • Também ontem fui junto para a natação. Estou lá na arquibancada babando meu nadador e do meu lado se senta um rapaz com a esposa. De repente eles começaram a conversar: Ela: "Olha amor, como aquele ali nada bonitinho" Ele: "Ah! Esse aí é um peixe! Nada muito o moleque!" Ela: "Caramba, fica um tempão com a cabeça no fundo..." Ele: "Ué, cadê o pai? ele tá sempre por aqui babando..." Adivinhem quem era o moleque????? O meu!!!! rsrsrs Fiquei tão orgulhosa! E o pai do peixe realmente não estava, me deixou lá porque precisou visitar um cliente... 
  • No último final de semana ele atravessou a piscina de casa. De um lado a outro. Por baixo d'água. Levantando a cabeça a cada vez que perdia o fôlego. Agora sim, ninguém segura!
Acho que é isso.
Tentarei vir aqui amanhã, acho difícil, mas quem sabe eu não acordo super inspirada e com alguma novidade que possa acontecer nas próximas horas...
Enfim, caso não volte nos próximos dias não estranhem... fui dar um pulinho ali na Região dos Lagos para pegar um sol (que sumiu de ontem pra hoje) e ficar com as pernas pro ar por dez dias! Tô precisando tanto...

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Fazendinha - Estação Natureza

Um desses sites de desconto que sou cadastrada apresentou uma oferta imperdível: 50% de desconto para a Fazendinha. Nem pensei duas vezes. Liguei pra minha amiga Rô, que ligou pra amiga dela e compramos os passaportes.
Há tempos queria levar Arthur e essa foi a oportunidade de ouro.
O passeio aconteceu no último domingo, 06/02, e não fosse o calor tão forte que fazia o dia teria sido perfeito! 
O local até conta com banhos de chafariz, excelente pedida para refrescar a garotada, mas, Arthur do contra, sei lá porque motivo, não quis aproveitar... e por isso, só por isso, eu acho que poderíamos ter escolhido uma época melhor para ir...
De qualquer forma, ainda assim, Arthur deu comida para coelho, bode, ovelha, tucano... jogou migalhas de pão para patos e marrecos... andou a cavalo, tirou leite da vaca, deu banho no porco, pegou numa cobra (eca!), fez pão, enfim... para quem vive num mundo tão urbano não há passeio melhor...
Super recomendo!

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Somente boas notícias!

Ontem, voltando de um excelente final de semana em Cabo Frio/RJ, no meio do engarrafamento, me peguei pensando em como as útlimas semanas têm sido generosas comigo... Só boas noticias e deliciosos bons momentos acontecendo. Graças a Ele!
No sábado, dia anterior à festa, levamos Arthur para fazer o novo hemograma para ver a quantas andavam as benditas taxas. O danado tá tão mocinho que viu a agulha entrar sem fazer escândalo. Chorou um cadinho, claro! Até eu choro com picada de injeção, minha gente! Mas chorar mesmo ele só chorou na hora de colocar o band aid para estancar o sangue... chegando a ser engraçado as enfermeiras falarem: "Ué! Vai chorar agora no final?"
O resultado só sairia na sexta seguinte, quase uma semana depois.
Antes disso passou a festa. Depois a ressaca. Depois fui curtir as 1.597 fotos e também curti a culpa pós festa, até entender que o fato dele ter chorado na hora do parabéns não significava que eu era a pior das mães...
PAUSA
Eu comprei a fantasia do Woody e ele amou quando viu. Queria a todo momento se socar dentro dela, e eu sempre repetindo que era pra usar no dia da festa, pra não usar naquele momento pra não sujar, e ele sempre entendendo. O dia da festa chegou e ele não quis usar a roupa. Não que ele seja de lua, ou birrento, ou qualquer coisa assim. Ele estava na cama elástica, curtindo muuuuito, fazendo o que mais ama na vida e eu fui lá e o tirei. E ele chorou, né? Óbvio! E não quis colocar a roupa... o que é mais óbvio ainda! Enfim... Até demos uma insistida, mas voltamos atrás. Ainda que toda a platéia aguardasse o woody entrar, quem entrou foi um Arthur choroso, bravo. E isso sim cortou meu coração. Não ter usado a fantasia para mim foi o de menos, o que me matou mesmo foi vê-lo triste num momento tão especial da festa, na hora de apagar a vela. E por isso, passei a noite em claro.
DESPAUSA
Então, aí depois da noite mal dormida me sentindo a pior das mães, eu acordei, e me dei conta do tanto que a festa foi linda e do tanto que ele curtiu. Curtiu muuuuito. Chupou muito picolé, comeu muita pipoca e pulou muuuuuuuito na bendita cama elástica. Foi um dia muito feliz pra ele e isso é o que realmente importa.
Aí na quarta feira ele teve consulta com a pediatra. E deu um show! Abriu a boca para mostrar a garganta, riu com a medição de pressão, correu para cima da balança e ficou quietinho, do jeito que a Dra. Mônica pediu, e cantou e dançou Baby Baby... parou a consulta pra fazer a apresentação. Dra. Mônica não sabia se ria ou se continuava a me passar as instruções referente as novas vacinas que serão aplicadas (Varicela e Hepatite A - ambas com duas doses com intervalo de 3 e 6 meses consecutivamente e a Meningococo C - dose única). Quando chegava no refrão da música ela parava pra rir, não conseguia manter a concentração. 
Vários minutos depois e ele lá, cantando e dançando. Ela começou a falar sozinha: "Já chegaram aqui falando de suspeita de surdez... Depois reclamaram que não falava... Depois disseram que alguém suspeitou de autismo... Agora eu tô aqui querendo saber onde é que desliga o menino..."  e rindo da performance...
E lá também mais boas notícias: Cresceu 1,5 cm e engordou 600 g, o que ela atribuiu à natação.
Mediu 103,5 cm e pesou 15.100 g
Vai continuar com o Nutrinfan e o Nasonex. Passou Annita para vermes (6,5 ml 2x ao dia por 3 dias).

Na quinta feira o resultado do exame saiu e aí sim, a MELHOR de todas as notícias:
Os triglicerídeos baixaram de 399 para 99 mg/dL (o desejável é abaixo de 150 mg/dL).
O colesterol ainda precisa de atenção pois abaixou pouco, de 209 para 204 mg/dL, quando o limite é até 199 mg/dL. Porém, precisamos levar em consideração que o bom colesterol (HDL) deu 53 mg/dL, ou seja, deu bom (é desejável acima de 40 mg/dL). O colesterol ruim (LDL) deu 131 mg/dL (desejável abaixo de 110 mg/dL e aceitável até 129 mg/dL). 
De qualquer forma, levaremos para a Dra. Mônica avaliar melhor e nos dizer se há algo a ser feito.
Para fechar o mês de janeiro com chave de ouro passamos o último final de semana na Região dos Lagos. Sol bombando de dia e tempo fresco a noite. Delícia, delícia!
Amanhã tem a volta às aulas. E para finalizar a última excelente notícia: Tia Adriana (a primeira assistente pra quem Arthur se jogou ainda na creche e ela carinhosamente até hoje chama de "meu filho") foi promovida e será a nova professora dele. Não sei quem tá mais feliz, se eu ou ela...

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

5 anos

Estou sem muitas palavras para descrever a festa.
Foi linda. Arthur se divertiu horrores. Muitas pessoas queridas presentes.
Acho que só isso aí já diz tudo.
Como as imagens valem mais que mil palavras, fiquem com algumas fotos.
 [os convites]
[a mesa]
[o bolo] 
 [mesa de lembranças]
[kit bebê]
[kit cinema]
[Sr. Cabeça de Batata feito em feltro]
[Enfeite das mesas]
[o aniversariante]
 [os pais babões]
[o parabéns]
[o Woody]

Sim! Os convites, os enfeites de mesa, o Sr. Cabeça de Batata foram feitos por mim! Claro, com a enorme ajuda de Vovó Quinha, da Vovó Conceição, da Tia Berna, da Tia Dani e da Tia Rô, que tanto ajudaram na confecção desses itens, quanto me deram o apoio necessário para a montagem de kits. 
Um agradecimento especial para a Berna, minha cunhada, que não mediu esforços e esteve comigo TODAS as noites nas duas últimas semanas, recarregando minhas pilhas quando essas beiravam o fim... rs
Graças a ela deu tempo de fazer tudo o que planejei e ainda tive o sábado de folga para cuidar da beleza!
Todas as fotos estão aqui.