,

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Natal

Fomos à Missa na noite de Natal e Arthur foi um dos anjos no cortejo que levou o Menino Jesus para o presépio. Comportado que só enquanto aguardava. Quando mandaram ele entrar, lá foi ele com pressa sem olhar para trás. rs

[Hellen, Arthur e Maria Vitória]
De lá fomos pra minha mãe e depois fomos ceiar na casa da sogra.  
Papai Noel passou e deixou muitos presentes para o pequenino.
Orientado pela Deidei e pelo Doudou (padrinhos do Arthur) ele trouxe os bonecos do Toy Story, Woody e Buzz, respectivamente. Na casa da vovó ele também deixou o Sr. Batata. Na casa da tia Berna ele deixou um mini projetor do Toy Story e mais uma toalha do Woody. Na nossa própria árvore tinha um super trunfo (que ele chama de cartinhas) também do Toy Story. Na vovó Belina tinha um acquaplay do Buzz e meu chefe levou o que o bom velhinho também deixou em sua árvore, um jogo de memória que tinha como personagens quem, quem? A turma do Toy Story. Ou seja, esse Natal foi uma verdadeira overdose de Toy Story. Hahaha.
Além desses itens também vieram roupas, meias e cuecas, e ele foi a sensação na casa da Vovó Belina ao gritar, eufórico, quando abriu o primeiro presente: "Uau! Cuecas! Que legal!" rs
Repararam na falta de fotos, né? Minha máquina morreu! E tentando achar o cabo do celular para baixar as poucas fotos que consegui. Aff.
Acho que não volto mais aqui em 2010.
Fiquem então com meus votos de um excelente 2011! Que ele venha cheio de paz, muita saúde para todos nós e muito amor também! O resto… o resto a gente corre atrás, não é mesmo?

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Natação - a primeira apresentação

Na escolinha de natação eles não fazem competições entre as crianças. E eu achei esse um ponto muito positivo quando matriculei Arthur lá.
Quando ele passou das aulas individuais para a turminha não houve nenhum cerimonial para isso, tipo a troca da faixa no judô ou a troca de corda na capoeira. Éramos só eu e o pai celebrando o "momento".  Comemorando com ele essa (na nossa opinião) ENORME conquista.
Mas aí fomos convidados a participar da apresentação de fim de ano.
Sem saber muito bem o que aconteceria, lá fomos nós: eu, Dri, minha sogra e ele. E que surpresa boa! Primeiro descobrir que tantos amigos da escola também fazem natação ali.
Segundo que fomos muito bem recebidos pelas tias e pela dona da escola, como se realmente fosse um prazer estar dividindo conosco esse ano.
E por fim, por que cada criança é chamada no microfone como profissionais, e são aplaudidas uma a uma como vencedores: " E na raia 3, Arthur!" "Uma salva de palmas!"
E que felicidade a dele! Ao encontrar o Tio Paulinho, ao ser (finalmente) chamado, ao ser aplaudido, e no final disso tudo ainda ganhar medalha e diploma!   

Todas as fotos aqui.

Apresentação de fim de ano

Aconteceu na última sexta feira.
Nem preciso dizer que ele arrasou né?
Na verdade ele já havia se apresentado para a família inteira. Bastava perguntar qual a música ele ia dançar na escola e ele imediatamente iniciava a coreografia.
#Arrasou.com.br
É ou não é para morrer de orgulho?
No final das apresentações teve a chegada de Papai Noel. Muito bom ver como a cada ano ele curte mais a chegada do bom velhinho. Enquanto Noel ia chamando as crianças para entregar para cada uma delas seu presente, meu pequeno não cabia em si tamanha ansiedade. E a excitação quando chamou seu nome? Muito legal!  
Todas as fotos aqui.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Curtinhas

Ontem eu perguntei pro pequeno, sem a menor pretensão de receber a resposta:
- Arthur, qual a música que você vai dançar na festa da escola?
E ele, inacreditavelmente, parou tudo o que fazia, e iniciou a coreografia de "Palavrinhas Mágicas" da Xuxa.
Não só dançou, como cantou! 497 vezes para mim e mais 356 vezes para as tias.
"Pode começar?" ele dizia ao início de cada apresentação.
#morrodeorgulho
***
Também ontem, deitados, curtindo a fresca após o banho recém tomado. Ele vira para mim com algo entre os dedos e diz:
- Meleca, mamãe!
E eu, se acreditar no que vejo e ouço, respondo:
- Ai que nojo! (escondendo dele a gargalhada que não consegui evitar...)
Dois minutos depois, ele de novo:
- Meleca, mamãe! Huuum, que nojo!
Toda criança passa por isso, né? E depois passa, né?
#dizquepassa

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

A semana que passou

No sábado passado, 04/12, o Atelier da Vovó promoveu seu 1º Bazar Natalino.
Os dias que antecederam o evento foram tensos, de muita correria. Eu trabalhei com dedicação durante vários finais de semana e durante todas as noites de novembro, para que tivesse material suficiente para expor.
E esse foi um dos motivos de minha ausência aqui, como vocês devem ter percebido.
Tanto esforço deveria trazer bons resultados e graças ao bom Deus trouxe, viu? rs 
Deu tudo certo... e valeu muito a pena.
Maaaas... (sempre tem um porém, né?)
Eu comecei a sentir que vinha um novo abscesso na minha axila. Um não, dois!  Mas não dei a mínima para eles. Não tinha tempo pra isso...
Resultado: No domingo eles já estavam enormes e eu só comecei a usar o medicamento na segunda-feira a noite, depois de um dia sofrido de dor.
Enfim, não consegui vir trabalhar nem na terça, nem na quarta e vendo que eles não estavam cedendo aos medicamentos me enchi de coragem e fui ao médico na quinta. Já sabendo o veredicto do médico (que tinha cara de louco): "Vamos ter que drenar!"
Resumindo: Dor! Muita dor! E um alívio total na finalização do procedimento.
Uma hora depois eu já não me lembrava de dor nenhuma, tamanho alívio com a drenagem...
Com isso, pude acompanhar mais um avanço na vida de meu pequeno que na semana retrasada deu adeus às aulas individuais de natação e na última terça iniciou na primeira turma. São quatro crianças: três meninas e ele, o único menino. Todas as amigas maiores que ele.
Assim que chegamos elas já estavam lá, agarradas no Tio Paulinho (ele realmente tem doce... todas elas loucas por ele, assim como Arthur, rsrsrs).
Achei bonitinho que assim que chegamos o Tio Paulinho mostrou o Arthur e todas elas: "É ele o amiguinho novo, tio?" Achei carinhoso da parte dele já ter preparado as meninas de que um novo integrante faria parte da "equipe" e no final da aula ele fez uma roda na piscina para que todas fizessem perguntas pro Arthur. Do lado de fora eu só via meu menino falando o nome e mostrando os 4 dedos (a idade dele).   
Tãããão fofo... Não é que o danado está nadando direitinho?! Executa todos os comandos solicitados pelos tios (além do Tio Paulinho tem mais três, ou seja, um instrutor para cada criança) e a alegria dele dentro d'água é contagiante. "Céus! Por que ele não está mais tempo na natação?" era só o que eu conseguia me perguntar. Porque não é que ele goste da natação... ele é loucamente apaixonado! E assim... nem é tão caro o quanto eu pensava que era... enfim! Há males que vem para o bem (porque eu só coloquei na natação por recomendações médicas) e ainda que a taxa de triglicerídeos normalize ele vai continuar nadando.
Pena eu não poder estar lá constantemente como as outras mães! Enfim... foram duas tardes deliciosas e tentarei dar fugidas esporádicas para vivenciar isso mais vezes.
Outra coisa que aconteceu de marcante também foi na festa que fomos no sábado, da prima Maria Clara.
Pela primeira vez Arthur participou das brincadeiras do animador sozinho, sem a nossa interferência.
Dançou, copiou coreografia, realizou comandos solicitados.
Parece bobinho né? Mas até então ele não participava. Ficava agarrado comigo (ou com o pai) e só fazia qualquer comando se a gente incentivasse.
Também está totalmente familiarizado com a bicicleta. Aprendeu a fazer curvas e já não fica pedindo pra gente empurrá-lo ou ajudá-lo nas manobras. Bonitinho ouvi-lo: "Pega minha biciqueta". Ontem voltamos da casa da tia Bina e ele veio na sua bicicleta pedalando nas calçadas esburacadas.
Tá um molequinho, literalmente.
Ah sim! Eu pedi para ele desenhar o sol e quando vi estava e-s-c-r-i-t-o, corretamente! Pedi para escrever lua e ele também escreveu. Também pedi Bia e também saiu, direitinho. Fiquei com medo de pedir mais...
Fui soletrando e ele escreveu todo o alfabeto, direitinho. Depois soletrei mamãe Sandra, papai Adriano e vovó Maria. E de novo, ele escreveu corretamente.
Ai ai... medo de descobrir até onde ele é capaz de ir... rs