,

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Quase 4!

Demorei a voltar, né?
É que assim... Os dias têm passado tão corridos que quando vejo já é sexta-feira.
Com o lance da decoupage minha vida está meio que do avesso. O combinado entre eu e Rosana seria trabalharmos apenas terça, quarta e quinta, mas como (graças a Deus!) as encomendas não param de pipocar, estamos trabalhando todos os dias da semana até às 23h.
E toda noite o pequeno vai me buscar. Segundo o pai já a partir das 19h ele começa a pedir: "Buscar a mamãe" e sempre quando chega na Rô me dá um abraço forte e um beijo gostoso. Também eu tenho sentido falta de estar mais tempo com ele. E tenho me sentido muito cansada com a tripla jornada de trabalho: no escritório, no atelier e em casa. Mas fazer o quê, né? Ossos do ofício! De qualquer forma estou feliz com a nova empreitada e vejo que temos um futuro próspero e promissor.
Aí tem só alguns dias que eu me dei conta que estava chegando o aniversário do meu gatinho e eu não tinha pensado em nada!
E sem pensar muito (porque se eu penso acabo cometendo loucuras - tipo alugar salão, buffet, etc) decidi fazer como no ano passado: um lanche da tarde com banho de piscina para os amiguinhos mais próximos.
Minha cunhada já tem uma festa montada do "Carros" e em base nisso foi só bolar o meu toque pessoal para tudo.
O bolo já foi encomendado. As mini pizzas também.
Ontem, feriado aqui no Rio, aproveitei para fazer gelatina, brigadeiros (tradicional e de colher), montar as sacolinhas de brindes, personalizar os pirulitos e as bolinhas de sabão e decorar os copinhos de brigadeiro. Modéstia a parte, ficou bem legal.
Amanhã minha mãe faz o molho do cachorro quente e as pipocas a gente faz no dia mesmo.
E pronto! Festa típica para crianças!
Agora é só torcer para o sol não resolver se esconder justo no sábado, uma vez que sem piscina não tenho espaço para criança correr... Cruzem os dedos, por favor!!!!!!!!!!
Ah sim! Acho que esse ano Arthur vai curtir bem sua festa. A gente pergunta: "Quantos anos o Arthur vai fazer, hein?" e ele de imediato: "4!" e conta nos dedos: "1, 2, 3, 4!". E também responde qual será o tema da festa: "ca-os".
Ultimamente não pode ver um embrulho que já diz se tratar de "pisente", por isso eu não vejo a hora de ver a carinha que ele vai fazer a cada embrulho que receber.
Claro que isso é o que menos importa. De verdade! Se a casa estiver cheia de gente (o que nem é muito difícil em se tratando de uma casa pequena como a nossa) isso sim vai ser legal. Receber o carinho dos poucos amigos que pude convidar (de novo o problema de espaço) não vai ter presente que pague...
Ele está em colônia de férias e tem poucas crianças na escola. Então estou pensando em levar bolo e brigadeiro no dia de retorno oficial das aulas, dia 01/02, para que ele comemore também com os amigos de lá.
Numa época em que contenção de despesas têm sido o nosso nome, fazer duas festas pequenas e simples acaba sendo a melhor opção.

Nenhum comentário: