,

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Triglicerídeos, a nova batalha.

Não bastassem as preocupações existentes, uma nova tinha que aparecer...
Deve ser algo assim... Lei de Murph, sacam?
Então...
Em outubro do ano passado Arthur realizou um hemograma que detectou um índice elevado de colesterol: estava em 195 mg/dl, quando 200 mg/dl seria o limite da normalidade. Ou seja, estava alto, mas dentro do limite permitido.
Tanto que a pediatra não pediu dieta, apenas que trocássemos o leite comum para o semidesnatado e que evitássemos gorduras (o que sempre fizemos).
Pausa para a história do leite:
Quando ele teve a primeira consulta com a Kenia (a fono especialista) ela pediu que tirássemos a mamadeira dele, porque o movimento de sucção ajudava no atraso da fala, e fazia com que ele regredisse mentalmente na idade, e blá, blá, blá. E assim eu fiz. No fim de semana seguinte preparei o leite e coloquei no copo. Ele não quis. Nem com canudo, nem sem canudo, com válvula, nada. De jeito nenhum.
E o impasse apareceu: retornar com a mamadeira, correndo o risco disso prejudicar mais ainda seu desenvolvimento ou não voltar com a mamadeira e buscar formas de suprir a falta do leite (essencial na alimentação dele). Optei pelo segundo e desde então seu café da manhã tem sido 01 copo de suco Adess (com 01 colher de Nutren) e pão de leite com requeijão. Ou, ao invés do pão de leite, biscoito de leite. Todos os dias dou um iogurte (e incluo mais uma colher de Nutren) e vinha esperando pelo dia da próxima consulta para saber se estou procedendo de forma correta.
Despausa
Na última consulta a pediatra passou novo hemograma para ser realizado assim que ele tomasse as duas doses de remédio para verme e mais as doses da H1N1.
E então ele fez o exame e o resultado saiu na última sexta feira, com a inesperada surpresa. O colesterol subiu de 195 mg/dl para 209 mg/dl e o triglicerídeo, que no último exame estava em 100 (dentro da normalidade), passou para 399! Podem imaginar meu susto?
No mesmo dia Adriano passou no consultório e deixou o exame pra pediatra analisar e à noite a secretária me ligou para passar as instruções:
CORTAR do cardápio ARROZ, MASSAS, PÃES e BATATA.
Fazer EXERCÍCIOS FÍSICOS
Levar em NUTRICIONISTA
E dar Noripurum (15 gts 2x ao dia) por + ou - 4 meses, pois o exame também acusou um pouquinho de anemia.
Já viram, né? Meu final de semana foi péssimo. A criança querendo comer coisas que sempre comeu e eu escondendo dele os biscoitos, os pães, tudo. Até inhame eu não deixei ele comer porque na internet diz que não pode, mas que por outro lado seria bom para a anemia...
Confusa, esse era o meu nome!
No sábado coloquei no seu prato um pouco de arroz, purê de abóbora e feijão. Ele não quis. Eu, nervosa, insisti, forcei, me estressei, mas ele não comeu... Foi meu sogro quem solucionou o caso: não adianta tirar de uma vez o que ele comeu a vida inteira, e então eu dei arroz puro com feijão e ele comeu tudo.
À noite fomos comemorar o niver de nossa amiga Petinha/Dia dos Namorados em um rodízio de massas. Tive que deixar meu pequeno na casa da avó porque ele simplesmente ama pizza mas não poderia comer...
Eu continuei dando o arroz mas me sentia culpada a cada refeição. E preparei na agenda da escola um testamento pedindo que elas não dessem bolos, doces, frituras, nada além de legumes e frutas.
Eu estava completamente perdida.  E então na segunda feira liguei pra pediatra e conversei com a secretária. Expliquei que não conseguia vizualizar um prato de refeição para uma criança de 4 anos que não levasse arroz... Expliquei a história do leite, que a pediatra ainda não sabia... Expliquei que só consegui marcar nutricionista para o final do mês e que não sabia como proceder até lá.
Na frente de tantos questionamentos e dúvidas ela me garantiu que passaria o caso pra pediatra e que pediria para ela me ligar. E assim foi.
Dra. Mônica me ligou e disse que na verdade só cortou o básico do básico. Que na opinião dela não convém repetir o exame agora, apenas daqui a 01 mês, pelo menos. Que quem passaria a dieta definitiva seria a nutricionista, que provavelmente passaria arroz integral e outros itens em substituição ao que ele está acostumado. E que até o dia da consulta eu poderia dar tudo o que sempre dei, exceto os 4 itens, que no ponto de vista dela, são os maiores inimigos dos triglicerídeos.
Bem, como eu continuo sem conseguir visualizar um prato de comida para ele sem o montruoso arroz, a gente continua dando. Hoje vamos experimentar dar a ele, por nossa própria conta, arroz integral.
Semana que vem levaremos ele para a avaliação na escolinha de natação. Isso sim foi até bom, pois tem tempo que ensaio em ligar para pegar informações e hoje descobri que o preço nem é tão cabeludo quanto pensava...
Enfim...
Mal saímos de uma luta e entramos em outra. Mas não é disso que a vida é feita?
A propósito ele teve a segunda consulta com a Kenia na semana que passou. Como da primeira vez, entrou numa boa na sala dela, enquanto Adriano esperava do lado de fora. No final da consulta ela foi só elogios pra ele e disse que estava muito animada com as perspectivas favoráveis a ele. Falou do quanto ele a vem surpreendendo. Ela assistiu aos vídeos que a escola fez e pelo que o Adriano falou, parece que ela já tem uma opinião formada. Que provavelmente será necessária mais uma consulta para ela fechar o relatório que será encaminhado à escola.
Hoje terá consulta novamente. Talvez a última. Volto amanhã, se conseguir.  

3 comentários:

Essa vida de Mãe!!! disse...

Minha nossa Sandra, imagino seu susto no hora...
Nem sei o que falar...
Bom, o negócio é correr atrás da nutricionista, e fazer aquilo que seu sogro falou, ir mudando aos poucos, pra sofrer menos...
Qto a natação, é ótima mesma, pra tudo, a Ellen ama...
Boa sorte pra vcs...
Bjs

Simoni disse...

Sandra que coisa isso do triglicerídios alto!!!!
Traga notícias pra gente!!!

Olha coloca ele sim na natação, se ele gosta de água não tem medo, ele vai amar, Henrique ta adorando.

Beijos mil!!!

Eva disse...

Sandra, parece que essa história de triglicerídeos virou moda. Tenho uma amiga que está com as mãos na cabeça também por conta disso, a filhota dela come tão pouquinho e o pouco que come a pediatra queria tirar. O meu filho também acusou colesterol e triglicerídeos só que ele só come praticamente grãos, legumes e frutas. Não toma refrigerante. Eu sei que ele tem uma ótima alimentação. Ele tem acesso a doces apenas nos finais de semana e mesmo assim é regrado. Enfim, fiz algumas alterações que achei que dava para fazer como retirar o mucilon do leite por exemplo. Vamos repetir os exames daqui uns meses.
Só que me intriga tanta criança aparecendo com o mesmo problema sendo que tem uma alimentação legal. Eu estou até para fazer um post sobre isso.
Boa sorte aí com as mudanças. Dá notícias.
Bjs