,

domingo, 21 de agosto de 2005

As últimas emoções

Da última vez que passei por aqui, falei de minha ansiedade em sentir os primeiros movimentos do bebê. Ainda não posso afirmar que ele tenha sido tão obediente, mas o fato é que na sexta-feira eu estava na minha mãe deitada e eis que de repente algo se moveu dentro de mim... Não posso afirmar que tenha sido ele, pode até ter sido gases, mas que gases são esses que mais parece um pássaro batendo asas? Foi dessa forma que senti... como um pássaro querendo voar... Foi realmente como disseram que seria, como uma ondinha. Mas não correu de um lado pro outro, ondulou de forma fixa no canto da barriga, do lado direito para ser mais exata. Foi... sei lá como explicar... se não fosse pela dúvida, teria sido muito melhor! Caio em redundância, mas não posso deixar de repetir: a natureza é realmente divina! Permitir a um simples ser carregar no ventre uma pessoinha que é a continuação de sua própria vida... e ele será minha companhia por mais cinco meses, e me dará respostas quando eu assim solicitar... porque ele já me escuta e já conhece minha voz, porque EU sou a MÃE dele. ELE é muito importante para mim, mas EU também sou essencial a ele! Não é fantástico? E isso que eu acabei de escrever deixou ele emocionado de alguma forma, pois acabou de ondular na minha barriga mais uma vez... (Quem tem coragem de dizer que os gases se manifestam em momentos de alegria? rs)
*****
Hoje, deitada na cama da Beth, de lado, e com um enorme espelho na minha lateral, tomei um imenso susto diante da barriga (e todo o resto) e-n-o-r-m-e! Céus, como ele tem crescido nos últimos dias! Motivo pelo qual já estou sentindo a barriga pesada, e mal consigo sair do carro sem ajuda... rs
*****
Como já disse algumas vezes aqui mesmo no blog, tenho lido bastante a respeito de gestação e tudo o que acontece conosco, barrigudas da vez....
Semana passada ganhei mais um livro da Jacque, chama-se Totalmente Grávida (Luli), e uma das passagens que mais me chamou a atenção foi a respeito de nossa sensibilidade. Ele cita nossa capacidade de rir e chorar pelos motivos mais banais, até pelas intruções de caixas de sabão em pó... (rs) E é assim que me sinto ultimamente... De sexta-feira pra cá tenho tido pena do Dri, já que tem tirado paciência de sei lá onde pra me aturar... Mas é claro que antes de sentir pena, eu falo alto, digo que a culpa de tudo é dele, faço charme, digo que preciso de atenção, proteção, etc. O máximo que ele faz é dizer: "Bem que me avisaram que ia ser assim..."(Culpa de Jacque, Sheila e Rô que desde o início deixaram bem claro para que ele se preparasse... rs)
Mas é realmente incrível essa mudança de humor. Eu estou bem, e parece que busco motivos para entrar em uma espécie de transe... ninguém me entende, o mundo está nas minhas costas, ninguém me ajuda, coisas desse tipo... Aí chego a conclusão que estou me tornando uma chata... choro escondida e pronto! Fico bem outra vez! Não é incrível? Seria cômico se não fosse trágico (ou melhor, seria trágico se não fosse cômico - prefiro assim...)!

2 comentários:

Tia Beth disse...

O meu comentário é:
"NINGUÉM MERECE!"
Coitadinha da minha criança.
Ainda bem que desde sábado eu venho dizendo à ela (a criança) que irei salvá-la!!!rsrsrsr
Beijinhos.

Jacquelinne disse...

Bom dia, Mamãe!
Bom dia, Bebê!
Só passei para saber das últimas e dizer que estou com saudades...