,

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Otite

Então...
Busco sempre achar o lado positivo de tudo, ainda que não seja um positivo muito bom...
No sábado após postar meu bebê grande (Dri) começou a dar indícios de que não estava legal. A garganta estava arranhando e o estômago embrulhado.
No domingo a desagradável surpresa: Adriano tinha vomitado de madrugada (e eu nem vi), estava com a garganta fechadinha e uma febre de 38,5º...
Arthur enjoado que ele só... não queria chão, não queria ninguém... e a febre voltou! Não tão alta, só 37,8, mas estava lá para deixar meu bebê pequeno caidinho.
Então fiquei aqui com duas crianças para cuidar: Arthur para acalentar e Adriano que sem conseguir se levantar tomou café da manhã na cama (dá-lhe tratamento vip da adorável esposa!)
Eu que tinha prometido que se Arthur tivesse uma nova febre o levaria ao PS, tive que adiar por mais um dia.
Como aqui em casa ainda tinha do antibiótico que eu tomei quando caí doente, foi ele mesmo que Adriano tomou e bastou criar coragem para levantar e tomar um banho que a cara dele mudou e passou a tarde bem melhor. Teve febre mais uma vez, mas que cedeu tão logo tomou o antitérmico. Repousou o resto da tarde e hoje acordou 99%.
Arthur passou o dia bem e como estava bem animadinho resolvi levá-lo a festa de uma amiguinha, Laís, aqui pertinho de casa. Pela primeira vez o levei a uma festa sem o pai, então sabia que seria cansativo para mim. E foi. Embora estivesse em companhia da minha mãe (que também está gripada) e de meus dois sobrinhos Bia e Bernardo. Só consegui trégua nos momentos em que ele foi na cama elástica. Ele curtia e eu descansava. Próximo ao fim da festa a febre voltou e viemos embora.
Chegamos, dei-lhe um banho e então a novidade: secreção no ouvido.
Putz! Já estava preocupada, fiquei mais ainda, mas por outro lado, uma provável causa para a febre me dava um certo alívio (esquisito, né?!)
E então fui dormir decidida a acordar hoje já ligando para um otorrino, tentando um encaixe, sei lá! Mas bastou eu levantar que tive um estalo de ligar para o consultório da pediatra. Foi desse jeito mesmo. Saí da cama às 6:40 e falei pro Dri: "Vamos ligar pro consultório da Dra. Mônica, vai que ela está atendendo hoje, já que passou a semana anterior em congresso?" Dito e feito! Telefone ocupado: sinal de consulta! Tentamos por uns longos 10 minutos e então a secretária atendeu. Após dar uma resumida no que vem acontecendo com Arthur ela pediu que chegássemos às 07:30h. Foi só o tempo de arrumar bebê (que já havia acordado e estava choroso), bolsa, colocar qualquer roupa e ir. Por sorte (êta que estava com saudade dessa palavrinha...) chegamos lá e não tinha ninguém! Apenas uma criança sendo consultada e que saiu dali a cinco minutos.
E então relatei tudo o que vem acontecendo desde o início de novembro: A tosse seguida de febre, a ida ao PS, os raios x e o antibiótico tomado, para dali a alguns dias a febre voltar, sem tosse, mas com uma secreção quase verde que até já feriu seu nariz e no final de tudo a secreção no ouvido...
Dra. Mônica muito atenta a todos os detalhes deu o veredicto: Otite!
Otite - é uma inflamação do ouvido médio: o espaço atrás da membrana timpânica. A otite média é muito comum na infância, e possui condições agudas e crônicas; todas envolvendo inflamação da membrana timpânica e geralmente associadas com o aparecimento de fluido no espaço atrás do tímpano, o ouvido médio.
Progressão - Tipicamente, a otite média aguda ocorre após uma gripe ou resfriado (no caso do Arthur foi causada pelo quadro alérgico): depois de alguns dias de nariz obstruído o ouvido se envolve e isso pode causar uma dor severa. Ocorre assim: as bactérias presentes na boca e garganta migram pela tuba auditiva até o ouvido médio, onde se multiplicam nas secreções acumuladas, causando a inflamação.
Sinais e sintomas - Dor severa, diminuição da audição, febre, choro constante (nos bebês), irritabilidade, desconforto, perda de apetite e secreção no ouvido se houver ruptura timpânica (perfuração do ouvido). Vômitos e diarréia podem ocorrer nas crianças pequenas. Pode também haver presença de pus na região externa do ouvido.
Dra. Mônica receitou Novamox 2x (3,5 ml de 12/12 por 14 dias) para combater a infecção. Orientou a permanência do decongex plus (07 gts por 10 dias) e lavar as narinas com rinosoro de hora em hora.
Após o término do antibiótico levaremos Arthur no Otorrino (ela indicou dois nomes) e pediu para voltarmos com a homeopatia.
Tá bom! Ela diagnosticou o problema, mas era preciso um culpado, e no caso do Arthur foi o seu quadro alérgico. Ah tá! Mas como acabar com essa alergia, se ainda nem sabemos do que é? Os testes de alergia só são feitos a partir de 02 anos, então ela nos propôs tirar o leite e todos os seus derivados para ver se haverá alguma melhora. Ela não afirmou que ele seja alérgico à lactose, mas disse que tem todos os indícios de ser. Principalmente por causa do peso, que não sai do lugar. Neste mês em especial ele perdeu: estava com 9.840g e passou para 9.750g. Disse achar muito estranho Arthur ser uma criança que se alimenta bem mas que não aumenta o peso, e ainda por cima tomando o PediaSure que é um complemento alimentar.
Se for para meu pequeno melhorar, vou tentar sim. Só não sei muito bem por onde começar.
Tudo o que ele ama tem leite na composição: danone, leite fermentado, biscoito trakinas e maisena (da piraquê). O único leite de soja que conheço, o Adess, ela cortou. Disse que é pouco calórico, e nesse caso Arthur perderia mais peso ainda. Passou então Aptamil soja 2, Nan Soy 2 ou Isomil, que já dei uma pesquisada e descobri que custam em média R$40,00 a lata.
Mas acho que tudo é uma questão de hábito. A própria Dra. Mônica me deu uma relação de biscoitos: Água e sal, cream cracker e maisena do Carrefour, maisena e recheado de um tal de Zabet, waffer da aymoré, e outros.
A propósito alguém conhece alguma marca de iogurte sem lactose?
Ah sim! Vocês devem estar se perguntando: "Mas cadê o lado positivo de tudo isso?! O marido também ficou doente, o filho está com otite, a pediatra cortou o leite e seus derivados, vai ter que arcar com um leite que custa em média R$40,00 a lata e ela vem falar de lado positivo das coisas..."
Pois é. O lado positivo é que eu sei contra o que estou lutando. Não há nada pior do que lutar contra o desconhecido. Ver uma criança doente e não saber a causa. Agora que sei o que ele tem, ele será medicado. E para que não volte a ter, faremos o possível. Descobrir o que não tem leite vai ser fácil (vou me tornar especialista no assunto!) e gastar 05 vezes mais do que já gastamos com o leite comum, vai ser o de menos. Deus há de ajudar!

2 comentários:

FAZZICA disse...

OLÁ,ESTÁS CERTA SOBRE SABER CONTRA O Q ESTÁ LUTANDO,POIS DEMORAMOS 9 MESES PARA DESCOBRIR Q O JOÃO PEDRO TEM REFLUXO,INTOLERANCIA A LACTOSE E ALERGIA AO LEITE DE VACA. HJ SABEMOS O QUE DEVEMOS EVITAR.POIS ATÉ ENTÃO ELE NÃO GANHAVA PESO, TEVE OTITE,LARINGITE,GRIPES INÚMERAS...
AH,SOBRE O ISOMIL,LIGA PRA ABBOT IMPORTADORA DE ALIMENTOS E 08007020710 E FAZ UM CADASTRO COM O NOME DO BEBE E O MEDICO Q INDICOU O LEITE AÍ VAI SAIR R$27,90 A LATA,ESSE LEITE É MUUUUITO BOM. E SOBRE O IOGURTE TEM UM DA BATAVO,NATURIS SOJA ELES GOSTAM MUITO. ABRAÇOS,CONTINUA VENDO O LADO BOM DAS COISAS,ISSO É IMPORTANTE.

Graciana disse...

Cheguei até aqui pesquisando sobre a otite e a intolerância à lactose. O João Guilherme está com 1 anos 5 meses e teve 6 otites consecutivas. Levamos ao otorrino e ele sugeriu a retirada do leite e derivados e vem dando certo. Há mais de um mês está bem (ele ficava bem somente por 15 dias e depois tínhamos que entrar com antibiótico). No início assuta, a sensação que dá que nosso filhote vai passar fome, mas venho aprendendo que há várias alternativas e hj descobri o maisena do Carrefour. Dava um apertinho no peito quo ele pedia o bis (biscoito de maisena)e não podia. Agor já descobri várias marcas e ele vem aceitando e gostando. Espero que isso passe logo. Hj ele é pequeno, dá para controlar. Mas, depois, ele vai querer sorvete, danone, etc. Já converso com ele, mas sei que não vai ser fácil conviver com outros que podem e ele não. Tento me consolar e agradecer por ser só isso, pois basta olharmos para o lado e veremos crianças com problemas ainda piores e sem solução. Vivendo, aprendendo, acostumando e amadurecendo.