,

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Soltando pipa

No último final de semana Arthur aprendeu a curtir pipa.
Influenciado pelo primo Cauã, a onda do momento é ficar no quintal da Vó Quinha procurando pipas presas nas árvores.
O primo achou uma pipa. Velha. Rasgada. Sem rabiola. E ele veio me pedir uma também.
Sem saber o que responder, o máximo que fiz: "Liga pro seu pai e pede pra ele comprar".
Ele pegou meu celular como quem diz: "Liga aí que eu falo". Acatei.
O pai atendeu e ele falou: "Papai... pipa Cauã... compra pra mim?"
E então o pai trouxe uma pipa para Arthur e outra igual para o Cauã, com linha e rabiola. Completinhas.
Tá... e vai soltar aonde? A pipa ficou lá o resto do sábado, enfeitando a mesa da sala de jantar.
No domingo o pai saiu pra fazer um trabalho e lá fui eu, improvisar um "soltar pipa" no minúsculo quintal que temos, entre a piscina e a garagem da sogra.
E deu certo.
Os poucos centímetros de linha que soltei foram suficientes para a pipar voar sobre sua cabeça e ele morrer de rir. Ele corria e a a pipa voava...
Foi revigorante curtir com ele mais essa emoção...
É molequinho virando menino grande.
E o pai já prometeu que vai soltar pipa de verdade com ele no próximo final de semana.  

Um comentário:

Musa disse...

Sandra, que legal ver uma criança se interessando por pipa hoje, em que o mundo é dominado por eletrônicos! Adorei a novidade, e ele pedindo... que fofo! rsrsrs

Beijos!