,

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

Queremos paz!

Deprimida... assim estou desde o assassinato do pequeno João. Não estou sozinha, eu sei. Todo o Brasil está chocado. Não consigo ouvir explicações. Não consigo ouvir as supostas soluções. Não consigo imaginar o tamanho da dor dessa mãe que não conseguiu soltá-lo do cinto. A única coisa que tento fazer é me colocar no lugar dela e imediatamente vem o aperto do peito, meu coração dói. Se para mim apenas o “pensar” machuca de uma forma inexplicável, não consigo calcular a proporção do “ter acontecido” com ela.
O que todos nós devemos fazer, como brasileiros, é pedir por JUSTIÇA! Tudo bem, nada vai trazer o pequeno João de volta, mas tremo dos pés a cabeça só de imaginar que daqui a três anos um desses monstros estará livre nas ruas. Meu Deus! A punição é nossa! É certo vivermos como reféns dentro de nossas próprias casas? É certo os direitos humanos ser a favor de bandidos? É certo ainda termos que arcar com as despesas desses marginais?
Não gosto de discutir política, mas não estou conseguindo visualizar um futuro de paz. Nossos governantes dizem que é um trabalho a ser feito a longo prazo. Que prazo? Estaremos vivos até lá? Em que Brasil meu filho vai viver? Que futuro posso esperar para ele? Da onde posso tirar esperança? Precisamos de respostas, e isso é para ontem!
O que posso fazer daqui, como mãe, é rezar pelo pequeno João e pela sua família, e rogar a Deus que na sua infinita misericórdia os ilumine e conforte.

Nenhum comentário: