,

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Desfile, febre, infecção cutênea, mesversário... aff! Muitas emoções!

Foi assim o final de semana.
Na sexta-feira cheguei em casa e estava na agenda: 37,8º de febre, e conforme minha orientação, ministraram 3 mls de novalgina. Ele estava bem, nem parecia que tinha tido a tal da febre. Assim como não havia qualquer sinal de resfriado ou outra coisa que pudesse ter causado a bendita... Graças a Deus ela não voltou e ele dormiu bem a noite inteira.
No sábado foi o desfile da escola, e meu bebê deu um show! Primeiro um show de choro, já que não queria sair do meu colo e ficar na salinha com as tias no momento de concentração (hahaha). Só a tia Adriana conseguiu acálma-lo, e dali a pouco ele já estava que era só sorriso.
O desfile foi lindo! O tema era “No Pan da Paz!” e as crianças do Ninho desfilaram vestidos de atletas da natação, com direito a sunga, roupão, chinelo, touca e óculos. Como me viu pertinho dele o tempo inteiro, Arthur ficou tranqüilo. Ficou apenas o início do desfile no colo da tia Adriana, e dali a pouco já estava no chão. Na frente da escola tinha a banda musical e em cada pelotão um monte de bolas brancas que posteriormente foram soltas e seguiram céu afora. Lindo espetáculo! Não demorou muito e Arthur me deu a mão e fez com que eu participasse do desfile também (assim como as outras mães, pais, avós e até o Bernardo também acabaram desfilando! Rs). Só teria sido melhor se não estivesse fazendo tanto calor e eles com aquela roupa tão quente...
Em casa, Arthur já de banho tomado e almoçado, percebi que estava em estado febril, 37,8º. Ministrei a novalgina e o coloquei para dormir. Dormiu pouco e acordou ainda com febre. E essa durou o resto do dia. Ora 38º, ora 38,5º. Não havia sinal de resfriado, e o único sintoma aparente era a falta de apetite. Almoçou bem, mas recusou o danoninho, não tomou nem metade da vitaminha do lanche (que ele ama) e na janta comeu três ou quatro colheres. Foi quando medi sua temperatura, e ela estava em 39,5º. Dei banho frio (frio mesmo!), outra dose de novalgina (aumentei para 4 mls) e dei um prazo para mim mesma de que se até 19h a febre não cedesse, levaríamos pro P.S. Graças a Deus a bendita cedeu, e por volta das 20:30 ele mamou (menos da metade) e dormiu (sem febre). Quando deu 22:30 fui dar uma olhadinha nele e lá estava a bendita de novo, em 39º. Ele acordou e com o coração apertado lá fui eu de novo, dar banho frio. Sofri com ele. Ele berrava e eu pedia desculpas, como se ele fosse entender que era pro bem dele...
Depois disso dormiu novamente, a febre cedeu, e não voltou mais. Acordou algumas vezes chorando, mas não tinha febre. A gente ninava e ele dormia de novo.
Ontem acordou bem, só sorriso e com uma fome de leão.
Dormiu de 12:30 às 15:30, e pelo visto a febre tinha realmente desistido de voltar. Ainda assim a preocupação: ninguém tem febre do nada... e então descobrimos que a mordida de mosquito (?) que estava na testa dele (acho que desde sexta feira, já que o cabelo esconde) estava meio que inflamado. Em volta estava aquele vermelhão e a gente não podia sequer tocar (provavelmente doía). Fomos ao Shopping e lá sentimos que a febre estava querendo voltar. Então passamos a nos questionar se a febre não teria a ver com aquela pequena erupção na testa. Resolvemos então ir na farmácia e perguntar se haveria alguma pomadinha que pudéssemos passar e então o susto: O farmacêutico pediu desculpas, mas disse que não pdoeria receitar nada sem saber se aquilo era mordida de inseto, furunculose, cabelo inflamado... e nos aconselhou a procurar um Pronto Socorro. Putz! Domingo a noite levar meu pequenino para um sanguinário espremer sua testa? Nem pensar! Fomos pra casa e eu passei uma pomada (que esqueci o nome) e cuja bula informava que o uso poderia ser pediátrico e as indicações eram as mesmas citadas pelo farmacêutico. Para quê fui passar? Dali a meia hora a pomada fez efeito e a bolinha estourou. E lá fomos nós: Dri segurar Arthur (tadinho!) e eu limpar com gaze e passar álcool iodado. O bichinho chorou muuuuuito! E eu me xinguei por ter tomado uma atitude que caberia a um médico e não a mim... Quem sou eu para medicá-lo? E se aquilo piorasse? E se...? Fui dormir mal, rezando para que amanhecesse sequinho e ao invés de me sentir culpada eu me sentisse orgulhosa por ter tomado a melhor atitude...
Bem, não foi nem um e nem outro...
Hoje pela manhã eu vi que o treco cresceu de novo, embora já não houvesse sinal da inflamação. Como eu acordo muito cedo e o quarto dele estava escuro, não deu pra eu ver se estava melhor do que ontem, o que ficou a cargo do Dri. Esse me ligou às 07:40 dizendo que não estava legal e partiu com meu bebê pro Pronto Socorro. Ao ser examinado o médico deu o diagnóstico: provavelmente houve uma picada de inseto, Arthur coçou, feriu, e após ferido ele mexeu com a mão suja, e isso fez com que o ferimento infeccionasse. Que agimos certos em limpar (ufa! Era só o que eu queria ouvir!) e que não tem como afirmar se a febre foi disso ou não, e que blá, blá, blá... e para finalizar receitou nebacetin e cefalexina. Limpou com soro fisiológico e segundo Adriano não houve necessidade de espremer. Que Arthur foi um príncipe e só deu uma pequena resmungada. Menos mal.
Por conta disso achamos melhor não levá-lo pra escola e ele está nesse momento sob os cuidados da Deidei. Já liguei pra ela por volta das 14:00 e ele estava dormindo. Segundo ela o nebacetin continua expulsando a secreção e que deve estar bem dolorido já que ele não deixa nem encostar.
Amanhã volto com calma para falar sobre o 20º mesversário e postar as fotos do desfile escolar.

Nenhum comentário: