,

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Me dá, me dá, me dá... me dá danoninho, danoninho já!

Graças a Deus, desde a última postagem Arthur parou de acordar chorando...
Talvez fosse mesmo dos dentinhos nascendo, mas também levei bastante em consideração o que algumas amigas blogueiras disseram a respeito de sonhos ruins... principalmente porque o choro era sempre muito sentido, e ele parecia custar a se acalmar...
Mas passou... tomara que em definitivo!
Só voltou a dormir mal no final de semana, já que o resfriado voltou no sábado. Mas também pudera, com esse tempo que não se define...
Começou apenas com a velha e chata corisa (E muita, nossa!). Depois começou com o nariz entupido e uma tosse que o fez até vomitar. No final do domingo teve um princípio de febre (que eu logo cortei com novalgina) e que tentou novamente voltar na manhã de ontem, depois de uma noite mal dormida à três (já que ele acordava de 05 em 05 minutos com dificuldade de respirar) e embora a gente revezasse em levantar para vê-lo, a gente acabava acordando junto, até porque o barulho do nebulizador não deixava ninguém dormir.
Achamos melhor não levá-lo pra escola ontem, então recorremos aos cuidados da vovó Quinha, e tirando a secreção no nariz, passou o dia bem. Cuidado de vó é outra coisa, né? Se em casa ele toma 01 danoninho de sobremesa, minha mãe dá dois, porque diz que o potinho é muuuito pequeno, só dá pro cheiro e coitadinha da criança né? Nem preciso dizer que Arthur agradece... Aliás ele anda amando essas guloseimas infantis... No sábado teve aniversário do amigo da escola. Acho tão bonitinho porque na escola as tias se referem sempre ao "amigo": "...Arthur precisou usar a fralda do amigo... Arthur tropeçou na mochila do amigo... O amigo levou a meia pra casa, por engano... " E é assim que elas avisam que "na mochila tem convite de aniversário do amigo" No sábado (01/09) foi do João Pedro. No próximo (08/09), do Arthur Guedes. E é lindo também o encontro dos amigos... Quando chegamos, o João Pedro não queria cumprimentar ninguém, mas bastou ver Arthur no meu colo que abriu o sorrisão e lascou um quase cantado "Rartu Eial!" (que vcs já sabem que significa Arthur Leal né? rs). Arthur ainda não entende muito, na verdade ele não curte tanto os amigos quanto eles o curtem, mas de qualquer forma eu acho lindo ele já ter um "círculo de amizades". Os outros amigos foram chegando: Enzo, Breno, Malu, Arthur Guedes e Gabriel e a cada um que ia chegando, os que já estavam presente faziam a mesma festa. Dali a pouco quase todos estavam pulando na cama elástica, inclusive Arthur, fazendo seu debut no brinquedo favorito da casa de festas. Ali sim, ele se animou. E o olhar que os amigos lançavam um pro outro mostravam que nem é preciso que todos falem, mas que apenas se olhem para ser entendidos. A afinidade entre aqueles pingos de gente me deixou boquiaberta, espantada, orgulhosa (ai sei lá qual a palavra... fiquei mesmo foi babando... quase me derretendo de corujisse...) Foram juntos na piscina de bolas, nas gangorras e algumas vezes um dava a mão pro outro para ajudar a fazer alguma coisa. Enquanto o experiente Enzo ensinava o Arthur por onde ele deveria escorregar, o afoito do Breno atropelava os dois e escorregava na frente. Do lado, as tias Andrezza e Adriana falavam: "cuidado com o amigo, hein!" como se eles estivessem aos seus cuidados (mesmo que a mãe de cada um estivesse do lado!)... Foi a extensão da escola, com certeza! E os fotógrafos amaram porque o encontro rendeu belíssimas fotos que lá na frente o JP vai amar rever. De forma quase inédita eu não levei minha máquina, e infelizmente esse momento eu não pude registrar... snif!
Mas voltando às guloseimas, e ainda falando sobre os amigos, a única coisa que eles comiam na festa era pipoca. Eu sempre tive pavor do Arthur se engasgar e por isso eu fico catando a parte branca da pipoca para dar a ele. Ora bolas, amigo que é amigo dá a pipoca inteira, e foi assim que Arthur comeu pipoca pelo resto da noite. Ou catava do saco de algum amigo, ou o próprio amigo dividia um bocado com ele... e em nenhum momento se engasgou! rs
Se anda apaixonado por pipoca, anda muito mais por danoninho... e é o que justifica o título do post de hoje!
Dou sempre como sobremesa e como já disse aí no início, ele ama! Se não for para dar, não o deixe ver, pois é uma guerra na certa! Como não está tomando gelado, tenho que tirar da geladeira e deixar escondido, até que a temperatura esteja no ponto.
Ontem, após sua janta, dei um. (Foi quando minha mãe disse que após o almoço ela tinha dado dois! Argh! O danado comeu três (!!!) danoninhos em um dia só, e nem sei como não deu dor de barriga!). Mas o engraçado foi que quando terminei de dar (como aquele potinho realmente parece não ser suficiente) ele me tomou o potinho vazio e descobriu que é possível raspar com o próprio dedo. Infelizmente a minha camêra não estava na bolsa, então tive que apelar para o celular (cuja resolução não é muito boa) para registrar o dia em que Arthur aprendeu a não desperdiçar danoninho... Exatamente como eu fazia (e com certeza todos que lerão esse post também já fizeram!)

Só para registrar, ele hoje já voltou pra escola, mas continua tomando decongex e fazendo nebulização antes de dormir.

Nenhum comentário: