,

terça-feira, 18 de setembro de 2007

07 anos de casamento

Foi no sábado, 15 de setembro. A princípio não faríamos nada no dia, porque já estava nos planos passar o domingo em Penedo, lugar que amo e onde passamos a lua de mel. Mas o "não fazer nada no dia" seria inviável: primeiro porque sábado a noite x ficar em casa não combina nem em dias em que não comemoramos nada, quem dirá no dia de nosso aniversário de casamento, segundo porque de qualquer forma alguém sempre lembra e vai até nossa casa. Então na sexta a tarde eu resolvi fazer um jantarzinho para os mais íntimos, assim comemoríamos no conforto de nossa casa e não precisaríamos sair para restaurante (que resultaria em não jantar, já que: ou a gente come ou olha Arthur correndo de um lado para o outro - rs).
Então passei a manhã de sábado adiantando tudo: roupa para lavar, casa para arrumar, brinquedo para juntar, almoço de pequeno e sobremesa para o jantar... enquanto faço uma coisa e outra, dou uma pausa para um pelada com o pequeno, uma voltinha de velotrol, uma brincadeira de pique pega (que ele ama!). A criança já estava imunda, no ponto para tomar aquele banho e almoçar... Ainda me faltava estender a roupa, então o deixei solto no quintal enquanto fazia isso. Dali da máquina de lavar eu tinha a visão dele: saiu do quintal e foi pra cozinha brincar com as tampas de minhas panela (aliás já avisei ao mais íntimos, no dia das crianças nada de brinquedos, podem dar uns jogos de panela porque é o que ele tem preferido nos últimos dias! rs). De repente se fez o silêncio... e isso eu já sei que não é bom! Roupas para lá e vou atrás. No banheiro não está, nos quartos também não! E na sala eu encontro a criança sentada com a cara mais lavada do mundo, a mão melecada, e como companheiro, um pobre de um ovo quebrado que ele alcançou na pia e espatifou no chão! Achou engraçado né? Eu também! Não sabia se ria da cara de nojo que ele fazia, se brigava, se pegava a máquina para registrar, se o tirava dali para evitar que ele espalhasse a sujeira, enfim! Deu pra fazer tudo... e agradecer por não ter sido algo pior (ter pego um copo de vidro, por exemplo) e dele ter feito isso antes de ter limpado a casa! Criança! Dois olhos não estão sendo suficientes não! Atenção redobrada está sendo pouco para ele!

Créditos:
Frame by KsharonK @ Artistic Musings / Doodle frame @ peppermint creative / envelope tie
by Eclectic team / Doodle @ Scrapkut / Fonte CrayonE


O jantar foi um sucesso! Fiz strogonoff de carne e para sobremesa pudim de leite. Foram poucas pessoas, só os mais íntimos, mas foi uma delícia. Arthur logo dormiu e pudemos curtir a noite bebendo vinho, falando besteiras e dando boas risadas.
No domingo acordamos cedinho e partimos para Penedo. Nossa! Que calor era aquele!
A cidade, linda como sempre! O sorvete, melhor ainda!
E assim comemoramos... em família! Sei que algumas pessoas podem criticar, que deveríamos curtir um pouco a sós, mas não entendo dessa forma... Sem querer usar de demagogia, não vejo o menor sentido em comemorar sem ele, que foi sem dúvida, o melhor presente que Deus nos deu!
E que venham muitos outros sete anos de casamento...

Créditos:
Template Lindsay Jane Designs / Papéis, alfa e elementos @Digital Freebies / Fonte BrockScript

Nenhum comentário: