,

segunda-feira, 23 de junho de 2008

O susto - parte II

E então que na quinta feira ele passou o dia bem na escola. À noite vi na agenda que se alimentou muito bem (banana amassada com geléia de manhã, purê de batata com caldinho de feijão no almoço e maça raspadinha no lanche), não "reclamou" nenhum momento de dor, dormiu muito bem (de 12h às 15h), fez todas as atividades solicitadas e brincou o resto do tempo, o que me deixou muito aliviada.
Adriano saiu da escola e o levou ao consultório da Marcela, que embora não seja especialista tem tudo para ser uma excelente odontopediatra, segundo Adriano falou. Disse que de cara Arthur foi rindo, que bastou algumas alterações na cadeira (sobe, desce, vira pra cá e pra lá) pra Arthur gostar da brincadeira e permitir que ela visse sua boca. No colo do Adriano, claro!
Ela disse que aparentemente não vê nada demais, mas que seria preciso bater o Raio X (que naquele momento estava ocupado). Marcaram então para hoje após o horário escolar para a radiografia e a restauração com o pedaço do próprio dente, que Dri guardou.
Aí eu cheguei, o Dri me deu as excelentes notícias, fomos dormir muito bem, Arthur já correndo de um lado para outro, feliz da vida...
Tudo beleza, né?
É... Não fosse o menininho acordar mais ou menos à 01 da manhã em estado febril (37,7º), tossindo e vomitando. Demos Novalgina e ele dormiu. Acordou novamente às 05 já com febre de 39,4º e vomitando novamente. Ou seja, acho que a febre nem cedeu. Dei um banho de gato não muito frio e dei Novalgina novamente às 05:30h. Nada dela ceder. O vômito ainda aconteceu às 06h, e a febre oscilando entre 38,8º e 38º, mas nada de chegar à 37,5º.
Não fui trabalhar.
Adriano precisou sair com a mãe dele para fazer um exame que já estava combinado há tempos e não podia desmarcar (pois ela havia feito preparo durante 01 semana), então ficamos sozinhos (com a Beth de plantão na casa de cima).
Somente às 08h quando dei a mamadeira e ele suou que então a febre baixou para 37,4º. E aí ele dormiu. E eu também. Por apenas 01 horinha, mas que foi suficiente para o meu pequeno acordar já com aquele sorriso maroto, animadinho.
Dei um banho e fui pro quintal com ele. Brincou, lanchou, foi ver a Beth, mexeu nas coisas dela e então por volta da 11:45h começou a ficar amuadinho de novo, e a febre voltou.
Não quis almoçar. Estava no estômago apenas com a metade da mamadeira e o que aceitou depois foi uma caixinha de geléia de mocotó.
Às 12h tomou Novalgina de novo e essa só fez efeito mais de uma hora depois.
Liguei para a pediatra que ficou preocupada com o vômito (se estivesse constante poderia ter relação com o tombo). Como a última vez que vomitou havia sido às 6h da manhã me tranquilizou, mas disse que se eu pudesse levá-lo ela gostaria de vê-lo.
Levamos, óbvio! Chegamos lá às 16h (foi só o tempo do Dri chegar em casa e almoçar) e saímos às 21h. Estava lotado!
Lá Arthur teve febre, 38,4º. O relógio marcava 18h. Lá mesmo demos a Novalgina e em meia hora já havia baixado. Também não aceitou a vitamina que levei prontinha, mas tomou uma caixinha inteira de suco de pêssego Adess. E pedia água, o tempo todo!
Quando foi atendido, Dra. Mônica já nos tranquilizou que a febre/vômito nada tinham a ver com o tombo. Olhou o dente e achou a gengiva escurecida, mas indicou o RX para ter a precisão. Ficou preocupada foi com o catarro no peito, o que justifica a febre. E o vômito pode ser tanto consequência da tosse quanto algo que ele tenha comido e não tenha caído bem. Lembramos da mortadela de frango da Turma da Mônica que ele comeu na quarta e na quinta, na minha sogra.
O peso alterou menos de 100g mas em compensação cresceu 2 cm. Passou a 89 cm (um molecão magrelo, meu menino!).
Indicou outro alergista, já que a que ela havia indicado anteriormente faz três meses que tento marcar e não consigo.
Como esse catarro no peito nunca apareceu antes (ele tá sempre com secreção mas essas são nas vias áereas - da alergia mesmo) e como o machucado no dente pode ser uma entrada para infecção, ela achou por bem entrar logo com o antibiótico Clavulin BD de 12h em 12h. Também receitou xarope Filinar - 12h em 12h e o uso de Noex no nariz 2x ao dia por 7d e depois 1x ao dia por 03 meses.
Não fizemos outras perguntas corriqueiras pois eu estava tão exausta e minha perna já doía tanto que tudo o que queria era sair dali e ir para a minha cama.
Vou abrir aqui dois parênteses:
1. Na quarta feira, dia da queda do Arthur, descobri que havia na batata de minha perna esquerda um projeto de furúnculo, ou um pêlo encravado, sei lá o quê! Com a confusão toda deixei a ziquezira esquecida e somente no sábado passei a colocar pomada. Hoje, 23/06, o danado está enorme e eu mal consigo andar!
2. A festa da escola foi antecipada de sábado para sexta (só soubemos na quinta, dia que a Light informou que no sábado ficariam sem energia). Até levei a roupinha dele no carro, para o caso dele passar a tarde bem e se por uma glória do destino conseguíssemos sair cedo do consultório.
Como saímos de lá às 21h, Arthur na horinha de mamar, Adriano já cansado da agitação do dia inteiro, eu com minha perna já latejando, correndo ainda o risco de chegar na escola e a turminha dele já ter se apresentado e (pior!) encontrar aquela escola lotada, sem lugar para sentar, achamos mais sensato ir para casa e descansar. A melhor coisa que fizemos.
Arthur mamou, logo dormiu, e dormimos também. E fomos juntos até as 08 da manhã seguinte.
Fiquei triste por ele ter perdido a festa, mas a saúde dele está em primeiro lugar.
Ele vai ter muitas festas juninas escolares para curtir!
De qualquer forma semana que vem tem o Arraiá dos Carvalhos, lá na Tia Bina, e ele vai curtir toda pescaria e todos os estalinhos que tem direito.
A febre foi embora de vez, graças a Deus! E Arthur já é de novo o menininho sapeca, super fã de Carros e Cocoricó (que ele havia enjoado na semana passada mas já é fã de novo), desenhista de folha e chão (rsrsrs). Isso sim, é o mais importante!
E com certeza se não fosse pela minha perna perebenta teríamos tido um final de semana bem feliz.

Nenhum comentário: