,

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Caminhando e cantando

... e seguindo a canção!
.
Por aqui tudo se enquadrando nos devidos lugares.
Arthur totalmente recuperado. Ainda tomando antibiótico, mas sem febre, sem tosse, sem nada além da costumeira sapequice.
Como há males que vem para o bem, na quarta feira fui na dermatologista ver (dentre outras coisas) meu furúnculo. Ela achou que ainda estava inchado e pediu que eu fizesse em média três compressas de água quente por dia. Para isso, me deu a quinta e a sexta de repouso.
Além disso passou um exame a ser realizado por mim, Arthur e Adriano, já que vez ou outra alguém lá em casa adquire a citada ziquezira.
Sendo assim, realizamos o exame na sexta e no fim do dia eu ainda pude ir na exposição dos trabalhinhos na escola, que eu já estava conformada em não poder ir.
A turminha apresentou um repente. Todas as crianças tocavam (ou deveriam tocar - rs) um instrumento musical. Arthur estava munido de um pandeiro que em nenhum momento balançou (hahaha).

Depois das apresentações pudemos conferir a exposição. Muitos bichinhos espalhados pelo pátio. Cartazes lembrando os cuidados que devemos ter com o nosso meio ambiente. E arranjaram até um coelho de verdade, que foi a sensação entre as crianças.
Mas o melhor de tudo é receber o abraço gostoso da criança que te encontra no meio daquele mundo de gente. Faz a gente se sentir enorme. Gigante. Única.
Só ter tido essa oportunidade já teria valido a pena eu ter ficado em casa. Mas além disso eu ainda pude agilizar T-U-D-I-N-H-O referente ao niver da Quinha.
Salão alugado;
Mesa/decoração alugada;
Bolo e torta salgada encomendados;
Doces comprados;
Descartáveis comprados;
Convites entregues.
O que falta agora são detalhes menores, que posso resolver à noite, durante a semana.
Acho que uns dois dias mensais, assim, em casa, não seria de mal tamanho não... :)
Ah sim... Mas com Arthur indo normalmente para a escola, sem precisar ouvir o mesmo repertório dentro de casa. Porque ontem à noite eu já estava pedindo arrego de não aguentar mais ouvir Cocoricó...
Meu Pai! Ele havia enjoado (trocou pelos Carros que via cinco, seis, sete vezes seguidas) mas o enjôo passou. Só ontem eu assisti Cocoricó umas dez vezes! Já num guentava mais! rsrsrs
Adriano passou o dia quase inteiro na rua e quando voltou (por volta das 18h) eu tive que pedir "pelamordedeus, me tira daqui!".
O dentinho ainda não foi restaurado, pois além da minha ziquezira, Adriano também acabou por cair doente, gripadão.
Veremos se nessa nova semana conseguimos marcar com a Marcela.

Nenhum comentário: