,

quinta-feira, 28 de setembro de 2006

A genética explica!

A genética é algo incrível...
Arthur tem dado cada vez mais sinais de sua semelhança com o pai. O mais incrível é que as coisas que mais me irritam no Adriano estão aparecendo de forma estrondosa nele. Como se fosse mesmo para pagar minha língua... :)
Concentra-se frente a televisão a ponto do mundo poder acabar lá fora... e ele ali... amarradão no que estiver vendo... Dia desses ele estava prestando atenção no Jornal Nacional (sim... meu bebê é bem informado a respeito das pesquisas eleitorais!) e Tio Paulo colocou a mão na frente dele para tirar a sua atenção da TV. Tolinho, crente que Arthur se voltaria para ele... o que ele fez? Arrancou a mão do Tio Paulo da frente de seu rosto e continuou ligadão na interessante programação. E ainda fez cara feia! Kkkkk
Outra característica forte é ao dormir. Eu sempre reclamei da bagunça que o Adriano faz dormindo. Tudo bem, ele não tem como se controlar se está dormindo... mas custa não se mexer tanto e deixar o lençol preso no colchão pelo menos? Custa deixar o travesseiro abaixo da cabeça? Custa? O meu lado fica impecável! Da forma com durmo, eu acordo! Não preciso nem dizer que o pequeno também não me puxou nisso! Vejam a bagunça aí na foto!

Aff! Que genética forte é essa?! A cada soninho tirado lá temos nós que arrumar tudo de novo... E cá entre nós, arrumar berço é um saco! Principalmente quando a altura não ajuda... :o (Isso realmente eu não faço questão que puxe a mim...)
Sua personalidade vem sendo descoberta aos poucos, mas ele já está com oito meses, e nada meu ainda foi localizado nele... Ah sim, tem o queixo! E a brancura! Mas levando-se em consideração que ele AINDA não tem acesso a piscina, não sei por quanto tempo ele ficará com a minha bela cor de “morena como a neve”.... Fazer o quê?
Tadinho, semana passada um infeliz de um mosquito fez a festa na cabeça dele de madrugada... Oito picadas! Sim... oito! Provavelmente invadiu o berço e ficou lá escondido até a hora de atacar pela madrugada... aff! Como mãe sofre! Imagina isso coçando e ele não sabendo coçar? Sofri só em pensar... Passei ledum (um creme manipulado que a Berna usa no Bernardo) e em dois dias secou. Minha sogra disse que a Beth (minha cunhada) tinha reações alérgicas na época da dentição. E o Tio Paulo insiste que apenas um mosquito não faria tamanho estrago. Será? O dente ainda não saiu, mas percebo que as gengivas andam mais vermelhas e ele bastante agitado mexendo com os lábios e fazendo bicos muito engraçados... Aliás, o biquinho é a coisa mais linda!
Agora ele senta mesmo! Sem apoio! Brinca sentadinho por um longo tempo... às vezes com o mesmo brinquedo. Ainda não está engatinhando, mas em compensação roda a sala inteira se arrastando de ré ou rolando de um lado para o outro. Por acaso ontem minha mãe deu mole e ele quebrou a tromba de um pequeno elefante que fica na lateral da porta. Quando ela viu, ele estava com a tromba numa mão e o resto do elefante na outra. Pronto, acabou o sossego de ter qualquer souvenir ao seu alcance. Quero muito que ele engatinhe logo, mas por outro lado, começo a me preocupar com a independência que ele vai tomar em razão disto. Já adverti o Dri com relação ao portão que teremos que colocar no acesso a casa da minha sogra. Não vai demorar muito ele descobrir o caminho que leva a piscina. Deus me livre!
.
Momento de concentração!

Para finalizar, está cada dia mais agitado, atento a tudo. Já sabe abrir os braços e se jogar para as pessoas. Todos os dias quando eu chego e bato com a chave no vidro da porta da sala, ele me dá aquele sorriso enorme, e vira o pescoço em direção à cozinha pois sabe que é por lá que vou entrar. E eu que não demore, pois ele reclama! E esse sentimento de posse, de saber que sou única para ele é de uma responsabilidade deliciosa pra mim. Ele pode estar com qualquer pessoa, mas se eu aparecer, é o meu colo que ele pede. E se joga... Se estiver chorando então... o conforto só é encontrado se estiver comigo... É uma delícia! É um sentimento muito egoísta, eu sei. Mas se eu ansiei tanto para ser mãe foi porque eu tinha absoluta certeza que seria assim... dá licença?

Nenhum comentário: