,

segunda-feira, 4 de setembro de 2006

Consulta - 7º mês

Aconteceu na sexta-feira, 01/09.
Arthur está com 68 cm e pesando 7.185 g.
Agora pode comer angu (1 ou 2 vezes por semana). Ontem mesmo fiz e ele gostou... só acho que errei na medida pois quando esfriou ficou durinho, igual polenta. Mesmo assim ele aceitou numa boa. Quero novidade...
Dra. Mônica passou fígado de galinha para comer 01 vez na semana.
Estou achando legal pois agora ele tem um cardápio bem variado.
Ah! Não citei aqui ainda, mas na semana passada, após a luta para encontrar rã a venda nos mercados locais, meu chefe (bendito o seja!) encontrou no bairro dele, e (bendito o seja outra vez!) disse que era de presente para o filhote. Minha mãe fez e disse que o gosto é mesmo de frango. Curiosa como boa taurina, experimentei. E não é que ela estava certa...?
Voltando à consulta, Dra. Mônica orientou que a partir de agora devemos bater as folhas e a carne que colocamos na sopa e até então deveríamos desprezar.
Aumentou a dose de ultrafer de 05 gotas para 06.
Quanto ao meu questionamento com relação à gelatina ela disse que não vê problemas, desde que seja feita em casa, com suco de frutas e gelatina incolor. Achei uma boa idéia.
E indicou o uso de dedeira nas gengivas. Disse que pelo visto temos dentinhos à vista. Que os superiores devem sair a qualquer momento. E que após o nascimento do primeiro já vai ter que escová-lo com gel dental infantil sem flúor (weleda). Estou até com medo de perguntar o preço...
Realmente existe a tendência do Arthur ser alérgico e por isso descartou o uso de perfumes e similares. Inclusive pediu que evitemos usar quando estivermos em casa com ele.
Falou da importância do uso da cadeira de auto, esclarecendo as dúvidas do Dri, pois eu mesma já tinha a certeza do que ela falou. E com relação ao andador ela disse que não é contra, mas que também não tem nada a favor. Só alertou que o bebê pula a etapa da descoberta de andar (já que o andador tira esse estímulo), além de ser perigoso (já que na euforia o bebê acaba correndo...). Mas ressaltou que se tivermos espaço na casa e alguém para ficar correndo atrás dele, não vê problemas... Eis a questão! Minha mãe disse preferir o método antigo, passar uma fralda por entre os braços, e guiá-lo! Vamos ver...
Dessa vez não houve travessura com a pediatra, mas em compensação a deixou encantada com os olhares que lançava e o sorrisinho tímido que se transformava numa gostosa gargalhada. Ela me perguntou se eu não tinha vontade de mordê-lo algumas vezes... Fui obrigada a dizer que não só tinha vontade, como o fazia com frequência!
Para finalizar disse que ele está ótimo! Crescendo e engordando dentro do permitido.

Nenhum comentário: