,

terça-feira, 26 de dezembro de 2006

...E o Papai Noel já passou

Aqui estamos novamente. Exaustos e cheios de novidades. E com uns três quilos a mais, depois de tanta comilança!
Ainda na sexta feira fomos ao aniversário do Rafael (primo de sei lá que geração do Arthur). Lembra que disse aqui alguns tempos atrás que entre out/05 e jan/06 nasceram 5 crianças na família? Pois é. Rafael foi o terceiro e o próximo da vez é o Arthur.
Como a festa foi na sexta feira e eles moram um pouco mais distantes da gente (Campo Grande) já chegamos lá cansados de ter que procurar pelo salão.
Festa bonita (o tema foi floresta (?)), gente bonita e muita comida! Foi quando iniciei minha aquisição dos quilos extras.

No sábado foi o 11º mesversário do meu pimpolho. Último mesversário. Foi como uma despedida do meu bebê como bebê (entendeu?). Só para variar mais um cadinho fizemos gelatina, cachorro quente e pastel. E lá em casa passou aquele mesmo pessoal querido de sempre. Ganhou presentes. Muitos por se tratar de uma véspera de Natal: Sunga de praia, camiseta, toalhinhas, tênis All Star (lindo!). Arthur se esbaldou de brincar no chão, que agora é o seu lugar predileto. E resistiu acordado até o último convidado ir embora (vide as fotos no próximo post).
No domingo, véspera de Natal, passamos o dia para lá e para cá. Fomos para minha mãe (onde fiz a minha tradicional rabanada) e de lá só saímos à tarde. Propositalmente não forcei a sonequinha do Arthur à tarde, deixando esta para o inicio da noite. Então ele dormiu de 18:30 às 20:00 hs e eu tive tempo de ajudar a Beth com os pastéis.
Por volta das 21:30 voltamos para minha mãe, onde jantamos e distribuímos os presentes para as crianças de lá, que com o Arthur somam 06. Que farra! Era um tal de carrinho pra lá e pra cá, e Arthur doidinho, tentando acompanhar os maiores. Muito bom presenciar a alegria dos pequenos! No ano que vem vou tentar vestir alguém de Papai Noel (nem que seja eu mesma!).

Saímos da minha mãe às 23:40 e partimos para minha sogra. Após a meia noite abrimos os presentes. De lá fomos para tios Paulo e Belina. Arthur resistiu até 01:15 quando não mais agüentando o cansaço, cedeu aos ombros da Deidei Beth e dormiu ali, pegajoso de suor e imundo de pêssego (comeu dois inteiros). Fomos embora e dei banho num Arthur imóvel de tanto sono, mas vitorioso por ter celebrado seu primeiro Natal acordado. Como se ele conhecesse a importância da noite. Como se ele soubesse que naquele dia nascia um bebê que veio para transformar a humanidade. Como ele próprio, que nasceu não com o propósito de transformar o mundo, mas de fazer a nossa vida melhor de se viver. E ele foi sim, o nosso melhor presente de Natal que veio com 11 meses de antecedência. E nada mais justo do que agradecer ao Menino Jesus também por isso!

Ontem, Natal, passamos o dia para lá e para cá novamente. Fomos pra Berna, pra tia Bina, pra minha tia Josefa (que mora em São Cristóvão) e no final do dia estávamos mortos e acabados de tanto comer. Ainda tivemos que ter pique para voltar pra minha sogra e sortear nosso amigo-oculto que acontecerá no Reveillon (como acontece todos os anos). De dia fez um calor insuportável, na Tia Bina estava mais quente ainda e então montamos a piscininha do Arthur. Todos sofrendo com o calor, e ele lá... de bob!

No final da noite, exausta, cheguei à conclusão de que precisamos de um quarto novo, só para os brinquedos espalhados adquiridos no Natal. Mês que vem tem aniversário. Vou enfiar os presentes aonde?????? Socorro!!!!!!!!!!!!

Nenhum comentário: