,

segunda-feira, 19 de março de 2007

Pequeno cigano

Por conta das férias do pai, Arthur está me saindo um belo de um cigano. Tudo porque o Dri se comprometeu com minha mãe a ficar com o pequeno durante suas férias, mas cada dia tem um compromisso diferente, e como não pode levar filhote junto, uma hora ele fica com a Beth, outra hora com minha sogra, outra hora com minha mãe, e na falta dessas, ainda sobra para tia Belina, que ao não saber trocar fralda (hahahaha) acaba sobrando para a Ziza!
Sempre que estou saindo do trabalho tenho que ligar antes para saber onde estão meus dois tesouros.
Hoje aconteceu algo cômico. Ligo pro Dri para saber do meu bebê, para orientar no almoço dele. Segue diálogo:
Eu: - Bom dia amor, tudo bem?
Ele: - Tudo e você? Blá-blá-blá, blá-blá,blá e blá-blá-blá...
Eu: - Você está aonde?
Ele: - Com minha mãe comprando umas coisas, Arthur ficou na sua mãe, pois a Beth foi trabalhar.
Eu: - Levou os legumes pra fazer o almoço dele?
Ele: - Não, levei a sopa que estava pronta.
Eu: - Que sopa????????
(Eu tenho certeza que não deixei nenhuma sopa pronta no congelador...)
Ele: - Uma que estava lá...
Eu: - Você quer dizer, a metade da caixa de pomarola que eu congelei na sexta... :O
Ou seja, ele levou sem ao menos olhar o que era! Minha mãe recebeu e não teve maldade de olhar. Por sorte, sempre tem comidinha fresca por lá.
Eita pai desligado! Tadinho do meu filhote... (rsrsrsrs)
Porém, embora só-um-pouquinho-de-nada desligado (que dependendo do ponto de vista vira até um charme), meu marido é muito prendado. Lembram da estória do portão da área que dá acesso à piscina? Pois é. Ele fez! Tudo bem, tudo bem, teve a ajuda do vizinho marceneiro, mas o “projeto” do portão foi dele, e ficou lindo! Vamos reconhecer!!!!

Arthur continua na fase do “quase andando”. Segura nossos dedos e vai embora. Algumas vezes nem faz força ao segurar de tão equilibrado que está, mas basta que soltemos para ele se desesperar. No sábado fomos para o Shopping e quem disse que ele quis o carrinho? Só quer o chão! E como tem espaço de sobra, deixamos que ele “andasse” à vontade. O problema é a coluna...
Ainda no sábado fomos à festa da Maria Eduarda, nossa vizinha. Ele se esbaldou passeando pelo salão. O que não aconteceu no aniversário dele, já que ele ainda estava na fase de engatinhar. Acho mesmo que é uma questão de dias.

Ontem, por conta do seu estilo totalmente independente, Arthur estava sentado na cadeira de praia com seu padrinho Zé Luis, e do nada se jogou para frente. Resultado: Deu de cara no chão! Por sorte a distância entre a cadeira e o chão é bem pequena, e por isso a cabeça só ficou levemente arranhada e o rosto vermelhinho na hora. Mas isso não impediu que o bebê independente chorasse horrores, só parando quando o levei pra rua para ver os carros passarem. Colocamos gelo e dali a pouco já não tinha mais qualquer sinal da arte.

Gente, como eu acredito mesmo no poder da fé, vamos fazer uma corrente positiva para o Vini (já falei dele, lembram?)... Após ter tido alta, ele teve nova recaída e agora está em estado grave.
Orar só faz bem, ainda mais por uma criança de 2 anos e meio... Vamos lá?

Nenhum comentário: