,

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

23 meses

De volta!
Como diria minha mãe: "Afemaria!" Quanta coisa tem acontecido nos últimos dias...
Depois de tanto reclamar pela falta de tempo consegui chegar no sábado com tudo completamente pronto para o Natal. Até os presentes já estavam embrulhados, aos pés da árvore. Graças a Deus!
Hahahaha, mas deixem-me contar que tive de recolher tudo...
Como faço todos os anos vou embrulhando presente por presente e colocando-os lá, arrumadinhos, pois acho o máximo olhar a árvore cheia... Tudo embrulhado, sofás fazendo o cerco para Arthur não mexer e então fui colocar Arthur para dormir. De repente um grito de espanto. Era do Bê, meu sobrinho de 06 anos que fez carta para Papai Noel e tem aquela fantasia linda de que o bom velhinho só vem na noite de Natal: "Tia Sandrinha, tia Sandrinha! O Papai Noel já veio aqui!" Gelei. Não posso acabar com a fantasia dele. Nem quero! Sem saber o que dizer (ah, crianças!!!) e com Arthur dormindo nos meus braços só consegui mandá-lo para a copa, a fim de ganhar tempo para pensar em alguma boa desculpa para a antecipação do bom velhinho lá em casa. Arthur dormiu e cadê Bernardo? Já havia subido. E lá fui eu atrás. Conforme orientação de minhas cunhadas, ambas pedagogas, expliquei pro menino que aqueles presentes que ele viu eram das crianças da igreja, "imagina se Papai Noel ia passar lá em casa se ele só vem na noite de Natal" e blá-blá-blá. Ele acreditou e ainda me alertou: "Ah tá, tia Sandrinha! Mas acho melhor você tirar tudo da árvore por que vai que Papai Noel passe e vê que ela tá cheia... vai achar que deixou seus presentes... e etc etc etc" Foi coerente e eu tive de concordar: "Vou tirar de lá agora mesmo!" Recolhi tudo, enfiei num saco vermelho enorme que ganhei de brinde no Shopping da cidade e escondi no banheiro social, único lugar com espaço livre na casa, mas que não tem chave pelo lado de fora. No mesmo dia, um pouco mais tarde, Bernardo voltou. Pensei comigo mesma: "Preciso vigiá-lo para que ele não vá no banheiro social". O que aconteceu? Num piscar de olhos lá estava Bernardo na minha frente: verde, azul, amarelo "Tia Sandriiiiiiiiiiinha! O saco do Papai Noel tá lá no banheiro!!!!" Aimeudeus! Que desculpa dar? Disse que era melhor não mexermos... que Papai Noel podia não gostar... que de repente nem era dele... aff! Não sei mentir viu? Nem por uma causa tão nobre. Despistei, corri pro celular e apenas disse pro Adriano: "Se Bê te perguntar alguma coisa a respeito de um saco no banheiro, você fala que É SEU!" Dito e feito. Bernardo mal o esperou entrar em casa e já foi perguntando. Dali a pouco veio até mim desolado: "É tia Sandrinha... o saco lá do banheiro é de material do tio Dri... ele escondeu lá pro Arthur não mexer..." Ufa! Papai Noel pode vir tranquilo na noite de 24.
Foi até bom ter tirado tudo da árvore porque eu não tinha idéia de como Arthur está craque em rasgar embrulhos...
23 meses
No domingo meu pequeno completava seus 23 meses de vida e eu ainda custo a acreditar que em menos de um mês ele completará seu segundo ano de vida.
.
Nesta idade a criança corre muito, chuta uma bola pequena com mais força para a frente e desce escadas. Combina palavras, identifica partes do corpo, nomeando-as e seu vocabulário possui mais de 50 palavras, consegue construir frases com duas ou três palavras. Canta canções simples e curtas. Pode construir uma torre de blocos e identificar figuras simples em livros. Consegue mastigar com a boca fechada. Interessa-se mais por outras crianças, inclusive pode até brincar um pouco com elas, mas não gosta de compartilhar ou dividir brinquedos. Fala a respeito de si mesma: gosto disso, não gosto daquilo. Pergunta “por que?” para tudo. Gosta de falar: obrigada e por favor.

.
Ainda não fala as 50 palavras que sugerem o site, muito menos tá formando frases...
Mas tenho muito orgulho em relacionar as primeiras:
- ma mã (mamãe)
- pa pa iiii (papai)
- cáu (carro)
- au (água)
- ua (rua)
- au au (de cahorro)
- dê (deidei - a dinda Beth)
- alô
- pi-piu
(Será que esqueci alguma?)

Ainda assim nem adianta esperar repetição, pois ele só fala quando quer.
Entende tudo e assimila as coisas com muita facilidade.
Após montar a árvore da minha sogra a Beth explicou que ele não podia mexer lá sozinho e mostrou para ele o que era cada item pendurado. Ele agora a puxa pela mão até lá e faz com que ela repita o nome de cada item mil vezes: bolinha, papai noel, lacinho, sininho... eu fico cansada só de olhar! rs
Quando quer ir para a rua e está descalço eu digo: "Cadê o chinelo?" ele olha para o pé e corre a procura do dito cujo.
Ah sim! "Andar para quê se eu posso correr?" tem sido seu lema constante.
Também aprendeu a subir no sofá e sua nova diversão é acender/apagar as luzes da sala e do corredor.
Continua fascinado por portas e gavetas.
Aprendeu a música do Cailou: "Caiuuuu, caiuuuuu..." (desenho da Discovery Kids).
Ontem pela primeira vez assistiu o DVD da Aline Barros e Cia. Adorou!
Está dançando com mais frequência, mas somente de forma expontânea. Nem adianta eu repetir quarenta e sete vezes: "Dança filho, dança", que provavelmente ele não vai dançar.
Também está dando beijos. Não são beijos estalados, mas são beijos.
Toda vez que sai do banho e dá de cara com a imagem dele mesmo no espelho ele dana a dar tchau e a mandar beijo. Aliás ele é apaixonado por ele mesmo. Não pode se ver num espelho que fica todo contente e se enche de beijo. Totalmente narcisista...
O livro de pano continua sendo companhia constante, até quando não tem quem conte a estorinha ele mesmo aponta para os personagens e "improvisa" o texto.
É isso.
.
Não vou prolongar muito não, que o post já está ficando enorme. Amanhã (ou depois) volto para falar dos preparativos do aniversário dele, dos furúnculos na nossa vida, do nosso Natal e da consulta que ele terá amanhã com a pediatra. Também tenho muitas fotos para postar. Voltem hein?

Nenhum comentário: