,

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Dodói

Uia... quanto tempo!
Tanta coisa aconteceu desde meu último contato...
Bem, o aumento da adenóide foi detectado, e foi isso que falei no último post, né?
Então...
Mas no dia anterior à consulta, quando Adriano foi buscá-lo na escola, a tia disse que ele acordou depois do soninho da tarde com a boquinha um pouco inchada, mas que não sabia dizer o que havia acontecido: se ele havia batido em algum lugar, se machucado com algum objeto, enfim, não sabia dizer o que era. Como era um inchaço bem de leve, não demos muita importância, mas de qualquer forma conseguimos ver a gengiva furada, como que por um lápis. Embora a escola diga que não oferece ainda lápis para a idade dele, lá em casa vez ou outra ele encontra um perdido. Lápis ou caneta. Então pode realmente ter acontecido.
No dia seguinte, quando o levamos no alergista, eu já comecei a ficar preocupada, já que o inchaço aumentou. Mas com a historia da adenóide eu acabei deixando o tal inchaço na boca em segundo plano. Tá, por muito pouco tempo...
Na noite seguinte não conseguimos dormir, tamanho o incômodo do meu pequeno. E de madrugada faz-se o quê? Passar o quê, se nem sabemos o que é? Se a essa altura ele não deixava sequer chegarmos perto? Demos novalgina para alívio de uma provável dor, trouxemos para nossa cama e tentamos acalentar. E só.
Eu ainda estava acreditando que ele tenha se ferido em casa com algum objeto pontiagudo, mas Adriano começou a bater na tecla do dentinho quebrado (há quase 04 meses atrás) já que no primeiro descuido de Arthur e que ele conseguiu ver o interior da boquinha, ele viu um abcesso. Então entre levar a um dentista ou a uma emergência, Adriano optou por levá-lo primeiro ao PS, com a orientação da pediatra com quem falei pelo celular. A caminho do PS o tal do abcesso se rompeu. O médico conseguiu olhar, limpar e passou Amoxil 250 suspensão (4 ml de 8 em 8h por 7 dias) e Novalgina em caso de dor. Liguei novamente para a pediatra que orientou trocar o Amoxil 250 para o 400 BD e dar 3,5ml de 12 em 12 h por 10 dias. E após tomar a medicação, visitar o dentista para bater um Raio x.
Então a medicação acabou na sexta e antes que desse tempo de marcarmos a visita ao odontopediatra, do nada ele me aparece com uma febre de 38,5º. Isso em pleno final de domingo. Pleno Dia das Crianças. Na hora de colocá-lo no berço. Então demos Novalgina, febre cedeu e voltou às 05 da manhã, novamente cedendo após o antitérmico. Fizemos nebulização e foi quando ele conseguiu dormir. Ontem acordou bem e levamos para a escola, mas a febre voltou às 11h, assim como às 18h e às 02h da manhã de hoje. Meu pequeno está totalmente sem apetite, o que me leva a crer que seja a garganta. Liguei agora para a escola e a danada ainda não deu sinal de vida e diferente de ontem, ele hoje se alimentou normalmente. Que essa ziz zira vá da forma que veio, e de vez!
Tem notícias boas também tá? Mas vou dividir os posts. Volto logo.

Nenhum comentário: