,

quinta-feira, 12 de abril de 2007

Senhor, renovai a minha Fé!

Ando tão sumida daqui... tão desanimada... mas é passageiro, eu juro!
Ontem cheguei em casa e tive a ingrata surpresa de encontrar meu bebê com 38,8º de febre. Ainda não tinha comentado, mas os molares inferiores se romperam na semana passada, enormes! Agora já são 08 dentinhos. Nem sei como ele ainda não tido reação. Ocorre que os molares superiores tb estão para romper, as gengivas estão super inchadas, então já viram né? Bebê com febre, ligeira diarréia e sem apetite. Aliás, a apetite até existe, mas ele ameaça comer (ou mamar) e desiste.
Ontem não quis jantar, e só tomou metade da mamadeira antes de dormir. Acordou 2:30h com 38,5º e não quis mais dormir. Demos a Novalgina, 120 ml de mamadeira (que ele não mamou toda), passamos nenedent e ainda assim para dormir ainda levou mais de 01 hora. Eu já estava um bagaço, mas bastava pensar no Vini, na atual situação dele, para que a febre do Arthur se tornasse algo tão pequeno. Poxa, ele estava medicado... tudo o que precisava era da nossa companhia, e eu egoistamente preocupada com a minha hora de acordar... Graças a Deus, eu sei o motivo da febre, e a Novalgina se encarrega de afastá-la. Mas e o Vini? E a Renata? Será que ele estava dormindo bem? Será que os efeitos da quimio (iniciada ontem) já estavam se manifestando? Aproveitei, mais uma vez, para agradecer pelo meu pequeno, e para pedir humildemente pelo pequeno Vini, que mais do que nunca precisa de nossas orações.
Hoje, mal cheguei no trabalho, e recebo a notícia de que a Thaís voltou para o hospital. Teve vômitos e dores de cabeça ontem (mas que dia foi “o de ontem” hein?!), e após contato com o médico, a Paty foi orientada a levá-la de volta ao hospital. Em suma, vai precisar passar por nova cirurgia no sábado para colocar duas válvulas (uma na cabeça e outra no estômago). A Jacque não tinha detalhes para me dar, mas adiantou que a do estômago é como se fosse a continuação da que vai colocar na cabeça (?). Enfim! Não preciso conhecer os detalhes da cirurgia, basta saber que ela está lá, internada, e que precisa muito de nossa ajuda. E lá vamos nós ajudar da única forma que podemos: Orando! Pedindo! Implorando se preciso for! E eu peço com toda a fé que existe em mim, porque eu acredito Nele! Porque Ele vai mais uma vez renovar a minha fé e mandar esse meu sentimento de desânimo, de impotência para as cacuias, e é Ele mesmo quem vai me fazer voltar aqui amanhã e postar notícias melhores.
Assim como também prometo voltar com a ultra-mega-super atrasada postagem de como foi a nossa Páscoa!

Nenhum comentário: