,

terça-feira, 2 de janeiro de 2007

Seja bem vindo, 2007!

E começamos 2007!
Na verdade eu gostaria de iniciar esse post com a minha retrospectiva (como está acontecendo nos blogs amigos), mas por falta de tempo vou ter que adiar para os próximos dias.
Vou dar prioridade para falar do que foram esses quatro dias em casa, totalmente curtidos com meu bebê que se mostra a cada dia mais independente e por isso mesmo necessitando de atenção redobrada.
Não quer mais colo. Passa quase que o dia inteiro no chão, brincando. E eu tendo que ficar de olho, porque ele quer abrir gaveta, enfiar o dedo no vídeo, apertar os botões do DVD, enfim... não pára um minuto! E assim passaram-se quatro dias. Resultado? Estou exausta!
O Réveillon foi bem legal. Ficamos na minha sogra onde tradicionalmente acontece o amigo oculto da família. Assim como no Natal, Arthur conseguiu passar da meia noite. Para minha surpresa não teve medo dos fogos. E se não fosse pelo sono que ele já estava sentindo, acho até que ele teria curtido o brilho no céu com euforia, como as outras crianças presentes. Acho que 00:20 ele já tinha apagado (literalmente) no ombro da minha mãe, e nem os gritos das crianças desejando "Feliz Ano Novo" a todos os que passavam na rua, fizeram com que ele sequer se mexesse da posição em que o colocamos no berço, muito menos a farra do amigo oculto que só aconteceu por volta das 02:00.

Acordou apenas no dia seguinte, sorridente e totalmente descansado para curtir o início de um novo ano.
E assim foi. Como o primeiro dia do ano também é comemorado na minha sogra, lá estavam vários primos juntos. E, como a minha sala virou o playground do Arthur, era lá que todos eles queriam ficar. Até o momento que eu pedi que eles voltassem para minha sogra, porque Arthur se recusou a dormir enquanto a farra acontecia. Óbvio! O bonitinho de tudo foi que quando eu pedi que eles subissem, fizeram mutirão e arrumaram todos os brinquedos (que nem tinham sido bagunçados por eles) sem que eu sequer pedisse. Fiquei boba com o bom exemplo que deram pra mim, pois ainda não tinha pensado que esse ensinamento é dado por nós, pais. Serviu como lição, e com certeza vou empregar no Arthur: "Terminou de brincar tem que arrumar!"

Amanhã ele tem pediatra, então não venho trabalhar. Volto na quinta com as novidades da consulta, e, espero, com minha retrospectiva 2006.

Nenhum comentário: