,

quarta-feira, 4 de julho de 2007

Bem família

Arthur já demonstra claramente a satisfação de ter nós dois por perto. Ele nos olha e suspira, sorrindo.
No final de semana foi assim.
No sábado, quando acordou, levei-o para nossa cama. Ele ficou naquele chamego gostoso, virava pro meu lado, virava pro lado do pai, uma delícia.
Na hora que o Adriano saiu para trabalhar e foi se despedir dele, o menino estava tão entretido com alguma coisa que não deu atenção pro pai. Quando ele ouviu o carro ser ligado na garagem, saiu em disparada e se jogou no colo do Adriano, que não teve alternativa senão tirar o carro da garagem com filhote ajudando na direção.
O mesmo tem acontecido quando o pai chega. Ele reconhece o barulho do motor e corre para a porta da cozinha para esperá-lo entrar. E o Adriano baba...
Quem também babou foi a Jacque. Chegou lá em casa no momento exato em que Arthur acordava, e ao invés de encontrar um menininho chato ao despertar, deu de cara com uma criança risonha. Aí ele andava na sala de um lado para outro e de repente parava na nossa frente rindo... Sei lá do que ele ria, mas a gente acabava rindo também, e assim ficamos um bom tempo, tentando (quase que em vão) manter um diálogo decente, com aquela criaturinha rindo da nossa cara...
E foi no sábado também que eu me flagrei encantada com meus meninos na maior farra... Adriano o girava no alto, jogava no sofá, virava pra lá e pra cá... Arthur amando a bagunça e eu babando com a cena de amor explícito entre os dois.

Eu e Dri tínhamos planejado uma ida ao Shopping, mas o pequeno estava tão feliz de um lado para outro empurrando um carrinho barulhento que eu não tinha coragem de cortar a brincadeira para arrumá-lo. Então ficamos ali um bom tempo, curtindo nosso molequinho e sua descoberta ao mundo dos automotores. Depois de algumas horas, já no shopping, sentamos para lanchar. Pedimos três sucos: um para mim, um para o pai e outro só para ele “de laranja e sem gelo, por favor!”. As compras também foram do Arthur: um tênis para a escola e uma calça jeans, já que as dele de uma hora para outra começaram a pescar siri.
Já entende claramente o significado de ir para a rua, e basta que ele perceba isso que dana a mandar tchau para quem estiver na frente. Até para a cozinha vazia, quando estamos fechando a porta para sair.
Na próxima sexta-feira haverá um passeio na escola que faz parte do projeto “Mundo Afora”. Irão para o Jardim Zoológico, mas Arthur não vai participar por alguns motivos: ele não vai entender muita coisa, não vai saber se comunicar, não acho seguro tantas crianças com as tias da escola num lugar tão aberto, e ainda achei muito caro... R$40,00 por pessoa. Tenho certeza que ele curtiria andar de um lado para o outro na Quinta da Boa Vista, e por isso já estamos programando um passeio em família até lá. Agora, Zoológico... acho que só quando ele começar a falar... E aproveitando que não haverá aula, Arthur ficará a parte da tarde inteirinha com a Vovó Quinha, que estará completando mais uma primavera na sexta-feira.

Hoje é dia de festa para a tia Belina. Tia Belina está na nossa família nos cercando por todos os lados. Ela é tia do Dri, mas eu a roubei para ser a "minha" tia também. E além de ser tia do Dri, ela também é sua madrinha. E além de ser sua madrinha de batismo, também é nossa madrinha de casamento. E agora, depois de nossa tia, e nossa madrinha, ela também é a Vovó do Arthur (como pediu que ele a chamasse desde seu nascimento!). Tem um coração enorme e me sinto muuuuuito privilegiada em receber sua visita dia sim, dia não (dias em que ela vai visitar o neto com o VôDindo Paulo - seu marido, nosso tio/padrinho (meu e do Dri) e do Arthur (que além de ser avô também é padrinho de consagração! rs) Entenderam? Não? Tudo bem! O fato é que nós os amamos e pedimos todos os dias para que Papai do Céu os abençoe para sempre!

Parabéns tia, o dia é todo seu!

E já que abri espaço para dar parabéns, vai também os parabéns para Gagau Alê, grande amigo, que está de casamento marcado com minha amiga/irmã Rô. Não sei quem tem mais sorte, ela ou ele. Acho que sorte maior temos nós, de sermos seus amigos. Ah! Mais que amigos... seremos padrinhos do casamento... que responsabilidade, não?!

Nenhum comentário: